Populares tem denunciado com frequência à polícia, o filho do vereador de Três Pontas, Antônio Carlos de Lima (PSD) de 16 anos. Todas as vezes que o menor é visto andando de moto, em alta velocidade uma viatura da PM tenta abordá-lo, e ao ver que vai ser abordado, ele foge colocando em risco a si próprio e outras pessoas.

No domingo (12), uma guarnição deparou com ele descendo a Rua Nossa Senhora D’Ajuda. Segundo o boletim de ocorrências, quando os militares iniciaram procedimento para abordá-lo, ele saiu em alta velocidade entre os veículos no Centro e desapareceu. Os próprios populares disseram que seria o filho do vereador Antônio do Lázaro e reclamavam providencias.

Ainda de acordo com o boletim registrado, logo após, uma equipe fazia patrulhamento no alto da Avenida Ipiranga quando percebeu que o adolescente estava na pista de abastecimento de um posto de combustíveis. Novamente ao ver a viatura, ele empreendeu fuga em alta velocidade em direção ao Centro. O fluxo de veículos na hora novamente impediu que ele fosse abordado.

Em julho de 2015, o filho do vereador se envolveu em um grave acidente de moto e sofreu fraturas expostas. Ele tinha pegado uma moto também emprestada de outro adolescente que reside na cidade, mas no trajeto entre o Quilombo e a Comunidade do Congonhal, ele teria batido de frente com um trator. O adolescente precisou passar por cirurgia e ficou internado. No Pronto Atendimento Municipal (PAM), ele chegou a dizer que havia caído do cavalo, porém, o caso foi descoberto quando o pai do outro garoto quis a moto de volta.

Vereador já fez denúncias que após serem apuradas não tinham fundamento
Desde o mandato passado, o vereador Antônio Carlos de Lima denuncia arruaças no Distrito do Quilombo Nossa Senhora do Rosário. Há algumas semanas, Antônio criticou a falta de atuação da Polícia Militar contra às pessoas que vão ao Distrito do Pontalete nos fins de semana e na volta, percorrerem com carros e motos em alta velocidade promovendo algazarras e colocando moradores em riscos. Antônio disse que já havia pedido providências ao comando da 151º Companhia de PM em Três Pontas e ao 24º Batalhão em Varginha, mas nada teria sido resolvido.

Em fevereiro de 2015, Antônio denunciou um suposto tráfico de drogas na Escola Municipal Professor José Vieira Mendonça, a Escola Agrícola. Segundo ele, crianças estavam vendendo drogas e assistindo as aulas armados. O caso provocou uma enorme investigação por parte do Ministério Público, Polícia Militar e Polícia Civil. A conclusão foi de que as denúncias não tinham fundamento.

COMPARTILHAR

Comentários