É bom a gente começar a reportar este grande evento que Três Pontas recebeu neste domingo (31), falando que a ‘tradição’ foi quebrada, pois todo show realizado no Parque Multi Uso da Mina do Padre Victor, acabaram sendo debaixo de chuva. Foi assim com Alexandre Pires e Milton Nascimento oferecidos também gratuitamente. Desta vez, foi o projeto Concertos IHARA que foi patrocinado pela Indústrias Químicas Mitsui Ihara S/A, foi enquadrado na Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, com apoio da Prefeitura de Três Pontas.

O domingo amanheceu com céu nublado e muitos apostavam que a história iria se repetiria, bastava olhar para o céu para apostar que o projeto Concertos IHARA,  que trouxe artistas de tradição e reconhecimento, traria chuva. Em alguns momentos a garoa fina caiu, mas quando o evento foi aberto, as 17:05 minutos, com Bruno e Diogo a chuva desapareceu. Mas teve gente que aproveitou para vender capa de chuva.

Explorando bastante os instrumentos, os toques da sanfona e do violino, as letras de clássicos sertanejos iam surgindo e Bruno e Diogo atenderam inclusive pedido de fãs.

Bruno e Diogo abriram o Concertos debaixo de uma garoa fina
Sá & Guarabyra subiram ao palco no cair da noite
Sá & Guarabyra subiram ao palco no cair da noite

Eles cantaram até as 18:05, quando a dupla Sá & Guarabyra foi chamada. Grandes ícones da música brasileira interiorana, eles sempre homenageiam o Brasil com suas canções que refletem momentos de harmonia e de ouro que o País teve.

O intervalo até o show de Zezé di Camargo & Luciano demorou um pouco mais. Eles chegaram em carros separados, usaram camarins individuais e até as entrevistas aos veículos de comunicação não foram juntas. Os “Dois Filhos de Francisco”, atenderam aos fãs, tiraram fotos e concederam entrevistas. O mais cordial e atencioso foi Zezé. Quando entramos no camarim, ele aquecia a voz com o refrão do novo sucesso da dupla, “Flores em Vida”.

Ai, perguntamos sobre a história curiosa desta canção que está tocando em todas as rádios do Brasil. “Eu estava descansando alguns dias na fazenda em Goiás, o Gustavo [Lima] ficou sabendo que a gente estava lá e foi me mostrar uma música. Passando alguns meses, eu estava no estúdio em São Paulo gravando e, o Gustavo apareceu de novo, me mostrou umas quatro ou cinco músicas, mas não estava a que eu havia gostado da outra vez. O problema é que ele não se lembrava. Eu cantei um trechinho, ele se recordou e eu disse, é esta música que eu quero gravar”, explicou.

Sobre o repertório das suas apresentações, Zezé que trouxe a sua namorada, a capixaba Graciele Lacerda de 34 anos para Três Pontas, contou que além do clássico “É o Amor”, que embalou muitos relacionamentos na década de 90, romantismo não pode faltar. Zezé e Luciano fazem um apanhado geral dos seus grandes sucessos, que são mais de 100, porém, não dá para cantar nem 30% deles. “A gente faz um apanhado daquilo que mais marcou a vida das pessoas, para que elas voltem para casa curtindo mais a dupla”.

Bastante preocupado de como iria sair na foto, Luciano falou da satisfação de visitar mais um pouco de Minas Gerais e da grata coincidência do Concertos IHARA ter a mesma concepção que eles trazem da nova turnê pelo Brasil da dupla.“O DVD ‘Flores em Vida’ tem orquestra e agora juntá-los a Sá & Guarabyra é um privilégio que poucas vezes é possível se repetir na vida”, comentou.

Antes de atender os fãs e a imprensa, o sertanejo se alimentou e a foto já estava nas redes sociais. Ele revelou que só consome carne branca e sempre a sua produção prepara uma saladinha, um franguinho ou salmão, para antes das apresentações.

Show de Zezé e Luciano o show mais esperado do Concertos
Show de Zezé e Luciano o show mais esperado do Concertos

No palco eles encantaram com uma super produção, telões enormes apresentavam artes e fotos que revezavam junto a imagens de Zezé e Luciano. Canções mais antigas retratando bem a vida no interior estavam na boca do povo, cantadas ao som da sanfona. Apesar da ascensão do universitário, que estão nas paradas, todo mundo, independente da idade, cantou as canções que estão vivas na memória.

A festa terminou sem problemas as 21h25 com um público satisfeito com os shows diferentes e inéditos à multidão calculada pela Polícia Militar em 10 mil pessoas. Nada mal para um começo de semana, quando todos vão voltar na segunda-feira bem cedo ao batente.

Quem acompanhou a festa foi o prefeito de Três Pontas Paulo Luis Rabello, e as secretárias de Cultura, Lazer Turismo e Espotes Débora Andrade e Érika dos Reis.

Da estrutura a pontualidade pregada e cumprida pela Marolo Produções, receberam os elogios da Polícia Militar. O comandante da 151ª Companhia de Três Pontas, Tenente Bruno Neves Tavares registra que não houve a confecção de nenhum boletim de ocorrências. As medidas adotadas pelo cronograma da organização, aliado ao planejamento e policiamento ostensivo empenhado no evento que inibiu as ações criminosas, como por exemplos, brigas, confusões, furtos e arrombamentos a veículos. A revista que todos foram submetidos na entrada impediu a entrada de armas e outros objetos que pudessem ser usados em caso de confusão.

Aniversário de 50 anos com um brinde a cultura

A IHARA é uma empresa tradicional, fabricante de defensivos agrícolas que atua desde 1965 no mercado. De acordo com o Gerente Regional Comercial da IHARA responsável pela região sudeste e o estado de Goiás Leonardo Campos Araújo, que é trespontano, mas que mora em São Paulo, quis compartilhar com seus conterrâneos a satisfação que as cidades de Campo Mourão (MG), Santa Maria (RS), Sorriso (MT) e Luis Eduardo Magalhães (BA), tiveram ao receber a comitiva. Léo, como é chamado, é filho do produtor rural também de Três Pontas Clóvis Alfredo Araújo e ressalta, porém, que foi empenho seu que possibilitou a vinda do Concertos IHARA. “Nós trocamos impostos que a empresa paga por recursos que vão nos ajudar a investir na cultura do Brasil. A IHARA está orgulhosa; por isto está disposta a investir pesado em um festival cultural”, ressaltou.

COMPARTILHAR

Comentários