Um dos “braços” da Associação das Crianças e Adolescentes Aprendizes da Arte com Cristo de Três Pontas, conhecida por Arte Cotidiana, são as aulas de jiu jitsu ministradas na Escola Municipal Escola Nilda Rabelo Reis, o CAIC, junto as demais atividades, que atende crianças carentes. São meninos e meninas entre 07 a 18 anos orientados pelo professor Wallace (Lalinho) Lima que é faixa marrom na modalidade.

Neste fim de semana, eles participaram em Cambuí (MG) de uma competição importante, considerada pelos competidores um divisor de águas entre as grandes equipes de Minas Gerais e São Paulo, que sempre tem a participação de equipes conhecidas a nível mundial, como Gracie Barra, Zenith, Cícero Costa, Paulão Rezende, Ringue Brasil e várias outras tanto no juvenil e infanto.

E os resultados foram satisfatórios, com 3 medalhas de ouro, 2 de segundo lugar e uma de terceiro colocado.

Apesar de todos estarem preparados e prontos para a disputa, apenas 7 crianças de cada modalidade foram levadas, por falta de patrocínio. Os professores convidam a comunidade para que conheçam o trabalho que é realizado, construindo um futuro diferente, promissor, formando campeões que ficam longe das ruas e bem perto do esporte.

Adriano (Adrianinho) Silva é faixa preta e no bairro Aristides Vieira mantém um outro projeto social, Lutar e Vencer Castro, com 25 crianças entre 4 e 15 anos. Eles mantém intercâmbio, viajaram juntos e algumas vezes treinaram em conjunto.

O próximo campeonato será em Jacutinga no próximo dia 06 de dezembro.

Projeto Lutar e Vencer Castro
Projeto Lutar e Vencer Castro

 

O PROJETO 

O Projeto Arte Cotidiana foi fundado em 09 de dezembro de 2012, em uma garagem de uma residência no bairro São Judas Tadeu.

Hoje atende mais de 300 crianças, com várias atividades, como aulas de violão, dança, jiu jitsu, percussão e futebol. Eles receberam em outubro deste ano, o projeto recebeu da Câmara o Título de Utilidade Pública Municipal, que abre a possibilidade de conseguir recursos públicos. (Fotos: Divulgação)

COMPARTILHAR

Comentários