O jovem Igor Francisco da Silva de 19 anos, acusado de matar o irmão com um tiro  na  cabeça, se entregou na Delegacia de Polícia Civil de Três Pontas, na manhã desta sexta-feira (20). O crime aconteceu no bairro Major Braz, na tarde de terça-feira (17), e chocou toda a cidade.

Robson José da Silva “Binho” de 22 anos, foi morto no quintal de casa durante uma discussão entre eles. A vítima que tinha diversas passagens pela polícia e tinha saído a pouco tempo do Presídio, era um rapaz violento, que agredia com frequência psicologicamente e fisicamente seus familiares.

Igor se apresentou espontaneamente acompanhado de seu advogado Francisco Braga Filho. O acusado entregou à Polícia Civil, a arma usada no crime, uma garrucha calibre 32, que tinha comprado de ciganos a cerca de dois meses, justamente para se proteger.

Bastante abalado com o ocorrido, a Polícia Civil não conseguiu ouvi-lo e Igor será intimado para prestar depoimento na próxima semana. Ele responderá o crime em liberdade. O seu advogado Francisco Braga foi quem falou com a Equipe Positiva sobre o ocorrido.

Segundo o advogado, o crime destruiu a família que lamenta a morte de Robson e vê Igor tendo que responder por este homicídio. A família inteira está dando apoio moral, emocional e psicológico para o acusado, entendendo que é isto que ele mais precisa neste momento. “A maior preocupação deles era em relação a prisão do Igor, porque a Polícia Civil já estava investigando o caso e tinha elementos suficientes para pedir a sua prisão, porque ele já poderia ser considerado foragido da justiça”, detalhou.

Igor entregou para a polícia, a arma que usou no crime

Dr. Francisco Braga (foto) conta que assim que Robson saiu da cadeia voltou a perturbar e agredir todos seus familiares com ele morava. Igor já havia sido esfaqueado no braço pela vítima e não aguentava mais a situação.

Na terça-feira, antes de tudo acontecer, Robson já havia agredido fisicamente os pais. Sem conseguir dar muitos detalhes ao seu advogado, o acusado antecipou que tinha sido agredido com um vaso de planta, que foi jogado em suas costas. A vítima foi pegar uma faca. Foi ai que Igor se dirigiu até seu quarto e buscou a arma. Mesmo vendo que estava com a garrucha na mão, ele tentou agredir Igor, que então efetuou três disparos para se defender. “Em momento algum ele [Igor] tinha a intenção de agredir o irmão, apenas se defender. Tanto é que ele somente fez o uso da arma dele neste caso”, reinterou.

Quando o advogado entrevistou o acusado, percebeu que ele é muito tímido, confirmando a versão dada por todos que o conhece. Ele não bebe, é trabalhador e mal consegue olhar nas pessoas com quem está conversando. “Vi que ele é um menino bom, de bom coração, mas que pode  ter destruído a sua própria vida”, opina.

O inspetor da Delegacia de Polícia Civil Gustavo Domingos, confirmou que o acusado estava emocionalmente abalado. Ele foi liberado e depois que for ouvido na próxima semana, o inquérito será encaminhado à Justiça. A Polícia Civil disse que Robson tinha uma ficha criminal extensa e que era usuário de drogas. Furtava  as coisas de casa para vender e manter seu vício. Por conta da abstinência, quando estava desesperado agredia seus familiares. Já Igor não tinha antecedentes criminais e vizinhos disseram que ele é trabalhador e não tinha vínculo nenhum com o crime.

ASSISTA O VÍDEO

COMPARTILHAR

Comentários