Leonara Naves estava presa desde 19 de maio. Foto: Arquivo EP

 

A Justiça revogou a prisão preventiva decretada contra a ex-chefe da Guarda Civil Municipal de Três Pontas, Leonara Regina Naves e ela foi solta na noite desta terça-feira (05). Ela estava desde 19 de maio, suspeita de atrapalhar as investigações da Polícia Civil, que investiga o incêndio provocado na antiga sede da Secretaria Municipal do Meio Ambiente que funcionava no Parque Municipal Vale do Sol. Este foi o segundo pedido de revogação apresentado pelo advogado de Leonara Naves, Dr. Felipe Lobato.

Ele disse que a defesa não irá se manifestar sobre as acusações, mas informou que a causa maior pela revogação da prisão da GCM foi porque não há um prazo determinado para o fim das investigações.

Apesar de ser solta, Leonara terá que cumprir algumas medidas cautelares, como proibição de entrar em prédios da Prefeitura, se aproximar a menos de 200 metros ou manter contato com qualquer testemunha relativa as investigações da Operação Trem Fantasma, proibição de sair da Comarca sem autorização da Justiça e por fim ela não poderá exercer a sua função de Guarda Municipal até a conclusão das investigações.

A Polícia Civil já informou que o incêndio no Vale do Sol no dia 14 de maio foi criminoso. No local não houve arrombamento e, a suspeita é que outros documentos, além dos prontuários médicos do Pronto Atendimento Municipal (PAM), conforme informado no boletim de ocorrências, tenham sido queimados, com o objetivo de atrapalhar as investigações da Operação Trem Fantasma do Ministério Público. O então secretário da pasta, José Gileno Marinho é um dos presos denunciados à Justiça. Ele está preso no Presídio de Três Pontas.

COMPARTILHAR

Comentários