Vereador da base do Poder Executivo vai comandar a Casa Legislativa, junto com Geraldo Messias e Valéria Evangelista

A cerimônia de transmissão de cargos e posse da nova Mesa Diretora, eleita para o biênio 2015-2016, aconteceu na noite desta terça-feira (06), no Plenário Presidente Tancredo Neves. Sérgio Eugênio Silva (PPS), passou o cargo ao seu ex vice presidente, agora Chefe do Poder Legislativo, Luis Carlos da Silva também do PPS, que já foi presidente nos anos de 2007 e 2008. Também foram eleitos para compor a Mesa Geraldo Messias Cabral (PDT) e Valéria Evangelista Oliveira (PPS). Ambos cumprem o primeiro mandato e Luis o quarto.

A solenidade contou com a presença do prefeito Paulo Luis Rabelo (PPS), do vice Érik dos Reis Roberto (PSDB) políticos, secretários da Administração, familiares dos eleitos e vereadores das cidades de Santana da Vargem, Ilicínea e Elói Mendes, além do presidente da Cocatrel Francisco Miranda de Figueiredo Filho, da Associação Comercial e Agro Industrial Michel Renan Simão Castro, do Procurador Geral do Município Leiner Marcheti Pereira e do presidente da UNIMED Três Pontas Dilson Lamaita Miranda. Todos estes ocuparam a parte interna do Plenário Presidente Tancredo Neves.

O que chamou a atenção negativamente, foi a ausência dos vereadores da oposição que perderam a Eleição. Com exceção do vereador Edson Vitor “Piu”, os demais faltaram a posse. Não fossem os visitantes, as cadeiras dos vereadores ficariam vazias. Faltaram Antônio do Lázaro, Joy Alberto, Itamar Antônio Diniz, Francisco Botrel, Francisco Fabiano “Popó”, Paulo Vitor da Silva e José Henrique. Pareceu até algo orquestrado em retaliação a derrota de Portugal,já que apenas a vereadora Alessandra Sudério que deixou o cargo de Secretária é que está viajando.

destaque 1
Luis Carlos recebeu documentos do Legislativo e depois homenageou o ex-presidente Sérgio Silva

A noite foi abrilhantada com a participação da musicista Laise Reis, que cantou o Hino Nacional Brasileiro e da garotinha Larissa Scalioni que interpretou a música Além do Arco Íris, em homenagem os novos responsáveis pela condução da Casa Legislativa Trespontana.

Sérgio passou a Luisinho, documentos da composição financeira da Câmara em 31 de dezembro de 2014, extratos bancários, conciliações bancárias, boletins diários de caixas, termo de conferência de caixa feita por uma comissão, inventário patrimonial, bens em almoxarifado, relação de contratos vigentes em 31 de dezembro, relação dos processos judiciais em tramitação por instância, entre outros.

Sérgio Silva foi ao microfone para se pronunciar. As primeiras palavras foram de agradecimento, a todos sem exceção. Depois, fez um breve balanço do seu mandato de presidente que considera ter sido positivo. Ele tentou ao máximo manter a união, distribuindo as responsabilidades pelas decisões tomadas, nas questões dos projetos, sempre ao Plenário, quando muitas vezes poderia ter chamado a responsabilidade para si. Como sempre alguns afirmam, ser ato discricionário do Chefe do Legislativo. Ele aproveitou para esclarecer que o prefeito Paulo Luis nunca chamou para interferir na votação das leis apresentadas pelo Executivo. Aliviado e sentindo saudades da bancada ‘de baixo’, Sérgio parabenizou Luis Carlos pela eleição difícil, tida como ganha, mas que com a desistência de Vitor Bárbara que também era candidato, a grande maioria optou por fechar apoio garantindo vitória a Luisinho. Antes de deixar o cargo, ele foi homenageado com uma placa comemorativa entre pelo parceiro de partido e de bancada, Luis Carlos. Em seguida, o cerimonial declarou simbolicamente empossada a nova Mesa Diretora.

A mãe do novo presidente Dona Célia Maria de Abreu e a nova secretária Valerinha, receberam buquês de flores.(fot0)

08

Os vereadores e convidados que ocuparam a bancada passaram a falar na sequência. Destacaram o desempenho que Sérgio Silva teve entre 2013-2014 e os desafios para o novo mandato. Entre os que falaram da capacidade, dedicação e compromisso em honrar o mandato de legislador, usou a Tribuna o presidente da Associação Médica de Três Pontas Dr. Gilberto Ximenes Abreu, padrinho político e responsável por estar na vida pública. Foi o médico quem filiou Luisinho da Saúde a um partido político e depois o inscreveu como candidato. “O Luisinho merece estar onde ele está e eu sou testemunha disso. Ele faz política com “P” maiúsculo. Sei da sua luta em favor dos menos favorecidos e principalmente de quem precisa da saúde”. Aproveitando a presença do prefeito Paulo Luis, Dr. Gilberto pediu que a Administração não esqueça de ter um olhar especial à Santa Casa de Misericórdia do Hospital São Francisco de Assis.

O vice prefeito Érik dos Reis Roberto (PSDB), demonstrou que atenção ao Hospital tem sido prioridade da Administração. Só em termos de subvenção ele comparou o que foi repassado pela atual gestão e a ex prefeita Luciana Mendonça. Em 2012, foram R$900 mil; 2013 R$1,8 milhão e em 2014 R$3,2 milhões.

Voltou ao foco da cerimônia, Érik enfatizou o trabalho de dos vereadores, que tem status de vida boa, luxuosa, cheia de regalias, mas é quem são mais cobrados, por estarem no meio do povo, andando pelas comunidades, ouvindo as demandas, mas são muito mal entendidos. Agradeceu o apoio que recebeu o ex-presidente Sérgio, elogiou, desejou sorte e bênçãos a Luis Carlos e enalteceu a atitude de Vitor Bárbara, que deixou a vaidade de lado e pensou no bem da cidade.

O prefeito Paulo Luis Rabello (PPS), disse que em 6 anos de mandato a frente do Executivo Municipal, tem exercitado e exercido a melhor forma de levar qualquer projeto de governo a frente, qual seja, a de respeitar as leis e acatar as decisões de competência do Poder Legislativo e Judiciário, ainda que eventualmente não concorde com elas.

mesaPaulo Luis chamou os vereadores de nobres, para se dizer a eles, que as atribuições que lhes são conferidas pelo voto livre dos cidadãos, de legislar, fiscalizar e auxiliar o Tribunal de Contas do Estado, encontram nele, ressonância, respeito e compreensão. Principalmente nos dias de hoje, quando as cores da corrupção assumem um brilho e visibilidade jamais visto na história do Pais, quando a propina se torna uma prática quase institucionalizada e mancham a bandeira do Brasil. “Diante de tanta indignação, reafirmou perante os senhores que meu compromisso com a lisura e a austeridade no trato da coisa pública, continuam sendo marcas da minha personalidade, das quais não abro mão”, realçou o prefeito.

Aos seus companheiros que deixarão a Mesa, ficou o cumprimento pelo respeito e diálogo que sempre mantiveram, com espírito altaneiro e ideais de prosperidade. Ao aliado que assume a Câmara, atribuiu adjetivos de ter na bagagem a experiência, sabedoria e a maturidade política adquirida ao longo de sua vida pública para reassumir o cargo de tamanha relevância, e o peso de mais de 1.700 votos para que juntos, possam levar adiante as propostas de desenvolvimento para Três Pontas.

Para os demais membros da Mesa Geraldo e Valéria, a mensagem é de que o povo espera o bom andamento da Casa e que eles possam desempenhar bem as funções com apoio dos pares, proporcionando o livre debate de acordo com as leis, com as normas do regimento interno e com o decoro necessário para obter de todos, inclusive do povo em geral, o respeito que o Poder merece.

Campeão de votos na Eleição de 2013, com 1.750 votos, Luisinho aproveitou a noite especial para agradecer. Aliás, a solenidade foi realizada para buscar a harmonia no Poder Legislativo, uma vez que a partir de 1º de janeiro de 2015 ele se tornou presidente. A lista de agradecimentos foi grande. Começou pela mãe Dona Celina, lembrou do pai José Ramos da Silva, taxista durante 35 anos em Três Pontas, já falecido, a esposa Marina e os familiares. Depois vieram políticos. Dr. Gilberto Ximenes seu padrinho que insistiu pelo seu ingresso na política, o vereador Vitor Bárbara que desistiu da disputa pela presidência sem receber nada em troca, o professor Popó pela parceria e pelo seu colega de bancada Sérgio Silva que soube manter o diálogo e tentou manter uma parceria com o Executivo pelo bem comum de um Município. Terminou dizendo que respeita e sabe da teoria tripartite de Montesquieu, porém não basta sempre citar é preciso vivenciar.

02

 Políticos da região marcaram presença na solenidade de posse

03

04

 

COMPARTILHAR

Comentários