Morreu aos 109 anos em casa na manhã desta sexta-feira (06), Dona Clemência Amorim da Silva. Ela morava com a família no bairro Jardim das Acácias em Três Pontas, e apesar da idade, não tinha nenhum problema de saúde e vivia uma vida de dar inveja.

Natural de Coronel Murta no Vale do Jequitinhonha, veio para Três Pontas a mais de 46 anos, quando a Usina Boa Vista ainda estava a pleno vapor. Foi casada com Daniel Tiago da Silva com quem teve dois filhos e mais quatro de criação –  Antônio Osmar, Maria Luzia, José Daniel, Valdirene, Suze Kelly e Patrícia Amorim.

Há muitos anos tinha aposentado os calçados, mas isto não a impedia de ir a qualquer lugar e de seguir uma rotina diária normal, sempre carregando o cigarro de palha.

 

E acreditem, apesar da idade até pouco tempo trabalhava na roça. Não gostava de trabalhar em casa de família e era na colheita de café que ela mais se sentia bem. Durante muitos anos, enfrentou as entradas e os bancos de caminhões para cumprir o ofício com determinação e compromisso.

SAM_3320Em dezembro do ano passado, a Câmara Municipal deu à ela o Título de Cidadã Honorária Trespontana. Ela fez questão de comparecer a cerimônia de entrega que premiou outras 10 personalidades. A honraria foi uma iniciativa do vereador Vitor Bárbara (PDT).

O corpo de Dona Clemência está sendo velado na casa onde morava, na Rua Vereador João Caetano do Couto 239, no bairro Jardim das Acácias. O sepultamento será amanha as 9 horas no Cemitério Municipal.

COMPARTILHAR

Comentários