27/03/2014. Crédito: Breno Fortes/CB/D.A Press. Brasil. Brasília - DF. Perfil do jornalista e escritor Carlos Chagas.

*Câmara de Três Pontas criou em 2013 um prêmio em nome do jornalista, mas nunca foi entregue 

O jornalista Carlos Chagas morreu aos 79 anos, nesta quarta-feira (26), em Brasília. Carlos é o pai de Helena Chagas, ex-ministra-chefe da Secretaria de Comunicação Social no governo Dilma Rousseff. Ela avisou em sua página no Facebook sobre o falecimento. “Amigos, meu pai, jornalista Carlos Chagas, acaba de falecer. Era a melhor pessoa que conheci nesse mundo”, escreveu em um post.

Nascido em Três Pontas, em Minas Gerais, e morador de Brasília, ele iria completar 80 anos no próximo dia 20 de maio. Carlos também era formado em Direito pela PUC-RJ. Foi um dos nomes mais expressivos do jornalismo brasileiro e professor da Universidade de Brasília (UnB) durante 25 anos. Ao longo de sua carreira, ele passou pelo Estadão, O Globo, SBT, Manchete, RedeTV, CNT, entre outros veículos de comunicação.
No período da ditadura militar, Carlos Chagas foi assessor de imprensa da Pre­si­dência da República no governo do general Costa e Silva, e dessa experiência nasceu o livro “A Ditadura Militar e os Golpes Dentro do Golpe: 1964-1969”. Baseado nas suas próprias memórias e nos relatos de outros jornalistas, Carlos Chagas conta os bastidores do golpe de 1964, que tirou o presidente João Gou­lart e pôs o general Castello Branco no poder.

A causa da morte do jornalista ainda não foi divulgada.

Em 2013, a Câmara Municipal de Três Pontas criou o Prêmio Jornalista Carlos Chagas, de autoria do ex-vereador Vitor Bárbara (PDT). Ele deveria ser entregue nos meses de novembro, aos jornalistas mais importantes da cidade, mas nunca foi entregue. (Com informações do jornal Correio Brasiliense)

COMPARTILHAR

Comentários