A Polícia Militar de Três Pontas está a procura de Alessandro Pereira dos Reis de 45 anos, acusado de ter matado a tiro o motoboy Renato Batista de 28 anos, na porta de casa, no bairro Bom Pastor.

De acordo com a PM, Renato estava em casa na Rua José Gonçalves da Costa, tomando cerveja com mais quatro amigos, quando por volta da meia noite e meia desta quarta-feira (27), o suspeito o chamou. A mãe foi quem ouviu e avisou o filho que o vizinho estava o chamando. Quando Renato saiu na porta, segundo a PM eles discutiram, Alessandro sacou uma arma e fez um disparo que atingiu a cabeça do motoboy. Ele caiu na porta de casa, na frente da mãe. Um dos amigos que estava lá dentro saiu para ver o que era e já encontrou o amigo todo ensanguentado. Renato ainda pediu que o amigo não o deixasse morrer.

Na porta da residência ficaram as enormes marcas de sangue. O motoboy foi socorrido pelo SAMU para o Pronto Atendimento Municipal (PAM), mas já chegou morto.

O acusado que mora na casa ao lado pegou uma moto e teria fugido para a zona rural do Município.

Renato Batista foi morto com um tiro na cabeça
Renato Batista foi morto com um tiro na cabeça (foto: rede social)
A casa de portão branco é onde mora o acusado e do lado de baixo a vítima
A casa de portão branco é onde mora o acusado e do lado de baixo a vítima

Amigos do motoboy disseram que tudo aconteceu por causa do barulho. Eles já haviam discutido antes. A mulher do suspeito contou à polícia, que eles já haviam feito vários boletins de ocorrências denunciando o problema de som que segundo ela era frequente.

Os amigos de Renato contou que ele sempre foi uma pessoa muito tranquila e já estaria disposto a mudar da casa para evitar confusão. Já estava até procurando outra casa para alugar, mas não deu tempo.

A Polícia ainda procura por Alessandro Pereira dos Reis. Ele tem passagens pela polícia por envolvimento com o jogo do bicho.

O corpo de Renato Batista será levado para o Instituto Médico Legal (IML), de Varginha. A Perícia e o delegado de Polícia Civil Dr. Gustavo Gomes fizeram o trabalho pericial no local do crime.

A Perícia da Polícia Civil de Varginha esteve no local do crime
A Perícia da Polícia Civil de Varginha esteve no local do crime
COMPARTILHAR

Comentários