Promotores do MP/ GAECO Varginha responsáveis pelas investigações (Foto: Arquivo EP)

Quatro acusados foram presos na Operação Hemorragia 

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Varginha e da 3ª Promotoria de Justiça de Três Pontas, ofereceu denúncia contra seis pessoas envolvidas com desvio de dinheiro público no município de Santana da Vargem.

A denúncia é um desdobramento da operação Hemorragia, realizada em maio. Agentes políticos e servidores públicos foram denunciados pela prática dos crimes de organização criminosa, falsidade material, falsidade ideológica, peculato e lavagem de dinheiro. No curso da investigação foram apurados 101 desvios, 101 falsidades materiais, 271 falsidades ideológicas e 101 crimes de lavagem de dinheiro.

Segundo os promotores de Justiça, dinheiro público destinado à Associação Comunitária Vargense por intermédio de subvenção vinculada ao auxílio da população carente nas áreas da saúde, alimentação e moradia foi desviado para agentes políticos. Conforme levantamentos feitos durante a investigação, documentos eram falsificados para forjar a necessidade da realização de exames complexos, os quais não eram realizados  ou  mesmo  necessários, e o dinheiro era desviado em espécie. O valor desviado teria sido de cerca de R$70 mil.

O MPMG requereu e a Justiça decretou as prisões preventivas de quatro denunciados. Foram presos o ex-prefeito de Santana da Vargem Vitor Donizetti Siqueira (PT) de 51 anos, a esposa dele que ocupou o cargo de secretaria municipal de Assistência Social Sandra Aparecida de Souza Siqueira de 49 e o ex coordenador de Saúde Luiz Donizetti Ferreira de 55 anos. Os três já se encontravam presos temporariamente. Posteriormente o presidente da Associação Delzone Ribeiro também foi preso. Todos eles estão no Presídio de Três Pontas.

De acordo com o advogado de defesa Dr. Lucas Pereira, foi pedido à Justiça a revogação da prisão de todos os acusados. Ele informou também que somente agora com o oferecimento da denúncia, é que os advogados terão acesso a todo o processo da investigação realizada pelo Ministério Público. (Com informações do MP Gaeco Varginha)

COMPARTILHAR

Comentários