[php snippet=2]

 

*Vereadora Alessandra disse que está cansada de palhaça e chorou. Houve apenas uma votação e os votos tiveram que ser conferidos com a ajuda de celulares

Denis Pereira – A Voz da Notícia 

Os vereadores da Câmara de Três Pontas chegaram debaixo de muita chuva para a sessão ordinária desta segunda-feira (14). Por causa disso, ela começou cerca de 20 minutos depois do horário previsto, sem as presenças dos vereadores vice presidente Luis Carlos da Silva (PPS) e Antônio Carlos de Lima (PSD). O primeiro, foi substituído na Mesa Diretora por Vitor Bárbara (PDT).

O vereador José Henrique Portugal (PMDB), iniciou as explanações no Pequeno Expediente e disse que falta harmonia na Câmara. Ele se referia ao bate boca que tiveram Paulo Vitor da Silva (PP) e Alessandra Vitar Sudério Penha (PPS), a cerca de 15 dias, depois que um projeto de lei do vereador que havia sido aprovado, vetado pelo Poder Executivo, a maioria manteve a decisão do prefeito Paulo Luis que se refere a desmembramento de lotes. Na reunião seguinte Paulinho denunciou o caso e pediu providências ao presidente da Casa Sérgio Silva, de que Alessandra teria dito que ele estaria defendo o projeto em causa própria, levando vantagens. Para Portugal, é preciso provar se isto aconteceu. Se sim, Paulinho Leiteiro deve ser punido. Se não a vereadora deve pedir perdão. Em defesa do colega de oposição, Portugal disse que tem visto o vereador cabisbaixo e chateado. “Para a gente falar uma coisa é preciso ter provas. Isto deixou a harmonia no Legislativo abalada e precisamos de uma resposta”, cobrou o peemedebista.

Itamar Antônio Diniz (PRTB) foi outro que também falou do caso Alessandra x Paulinho. Falando em tempo de quaresma, reflexão e em Deus, Itamar alfinetou dizendo que desejos e vaidades levam as pessoas a equívocos. Por isto, tem visto na Câmara, ao invés de incenso, a fumaça de “Satanás” agindo no meio dos legisladores. Depois, destacou o brilhantismo e atuação que a Câmara precisa reconhecer da ex prefeita Adriene Barbosa de Faria Andrade na conquista da implantação da terceira vara para a Comarca de Três Pontas. Lembrou também dos móveis do Fórum Dr. Carvalho de Mendonça que estão sendo substituídos e destinados ao Município. Paulinho também disse que se está legislando em causa própria não merece mais ser vereador.

Geraldo Messias Cabral (PDT), repercutiu o Decreto de Estado de Emergência assinado pelo prefeito Paulo Luis Rabello (PPS) durante a manhã, a pedido dos produtores rurais, lideranças e órgãos ligados a agricultura. Para ele, a decisão foi acertada já que dá a oportunidade dos produtores que estão perdendo café nas suas lavouras a renegociar seus débitos juntos as instituições financeiras.

A vereadora Alessandra Sudério respondeu imediatamente as manifestações dos vereadores do bloco oposicionista. Ela fez um desabafo na Tribuna da Câmara e chorou ao afirmar que está cansada de tanta palhaçada. Na visão dela, muitos querem pregar inverdades e ficam desrespeitando as pessoas que se fazem de bonzinhos, são lobos escondidos de cordeiros. “Quanta palhaçada… ainda querem se fazer de vítimas fazendo teatro aqui no Plenário. Não aceito desrespeito com a minha pessoa e com as mulheres”, esbravejou. Terminou dizendo que o Deus que ela serve é maior que Satanás e que nada aconteceu no plenário e sim na cozinha quando Paulinho teria a mandado para o inferno.

Depois do clima pesado, foi hora de abrir as votações. Antes da pauta, o vereador Francisco Fabiano Diniz (SDD), Professor Popó pediu a inclusão do projeto de lei que autoriza a Prefeitura a conceder auxílio financeiro com o pagamento de alimentação e moradia aos três profissionais que serão destinados para Três Pontas no Programa “Mais Médicos” do Governo Federal. Geraldo Messias Cabral solicitou a votação do projeto de Decreto Legislativo de concede o Título de Cidadania Honorária ao Sub secretário do Trabalho e Emprego de Minas Gerais Hélio Augusto Rabelo. Ambos os pedidos foram atendidos após votação para a inserção deles nos trabalhos legislativos.

O primeiro item da pauta, um veto do Executivo a uma emenda feita pelo vice presidente Luis Carlos no projeto dos taxistas, que exige entre os acessórios nos veículos, ar condicionado foi retirado a pedido do vereador Popó, por causa da ausência de Luisinho.

Seguindo a ordem do dia, os vereadores votaram o projeto de Decreto Legislativo número 002, de 07 de abril de 2014 do vereador Geraldo Messias que dá o Título de Cidadania Honorária Trespontana à servidora Maria Helena Tinano Pieve, ela é natural de São Domingos da Prata (MG) e há vários anos trabalha na Secretaria Municipal de Saúde. O autor fez suas justificativas como de praxe e, os vereadores votaram na urna. Porém, quando o próprio autor e Itamar Diniz foram fazer a apuração, a luz acabou. O apagão aconteceu as 19:34 minutos. Os vereadores esperaram meia hora para ver se a energia fosse restabelecida, mas a notícia é que ela poderia chegar até as 22 horas. O presidente Sérgio Silva então, a luz de celulares promoveu a contagem dos votos, encerrou a sessão e convocou os edis para a sua sequencia, nesta terça-feira as 18:00 horas. Além da Moção de Aplausos indicada pelo vereador José Henrique Portugal, ao ex diretor da Cocatrel Adelino Junqueira Nogueira, os vereadores ainda votarão os outros dois projetos inseridos na hora.

Envolvidos com a implantação da coleta seletiva em Três Pontas iriam explanara após a sessão, mas com o apagão eles não falaram
Envolvidos com a implantação da coleta seletiva em Três Pontas iriam explanara após a sessão, mas com o apagão eles não falaram

[php snippet=4]

COMPARTILHAR

Comentários