Hospital Unimed começa a fazer cirurgias e internações nesta segunda-feira

0

PRONTO SOCORRO JÁ ESTAVA EM FUNCIONAMENTO HÁ UM MÊS

Inaugurado em abril do ano passado, o HU – Hospital Unimed Três Pontas, iniciou suas atividades na cidade exatamente em 17 de dezembro, com os atendimentos de urgência e emergência do Pronto Atendimento 24 horas. Nele há uma equipe de médicos plantonistas, clínicos gerais, especializados em atendimentos de emergência, inclusive de crianças.

De acordo o diretor presidente da Unimed Três Pontas, Dr. Dilson Lamaita Miranda, o desejo era manter na unidade, médicos pediatras, mas, estes profissionais estão cada vez mais difíceis de serem encontrados. Prefeituras encontram esta dificuldade e no setor privado não é diferente. Na cidade mesmo, há apenas dois ou três destes especialistas. Há pediatras que estão se desvinculando de outras cidades e plantões e chegarão para compor a equipe de médicos do Hospital Unimed Três Pontas.

Um mês depois, a cooperativa inicia nesta próxima segunda-feira (21), os atendimentos nos setores de cirurgia e internação. De abril até agora, os funcionários já trabalhavam no Hospital, fazendo simulações de processos e atendimentos, verificando materiais, colocando para funcionar junto a técnico dos fabricantes, equipamentos de ponta de foram adquiridos e passando por fiscalizações rigorosas da Vigilância Sanitária e Corpo de Bombeiros.

A partir de agora, os médicos começam a marcar cirurgias e fazer internações no Hospital. Muitos pacientes, clientes da cooperativa e outros que contratam serviço particular, que precisavam fazer procedimentos em cidades da região ou fora dela, terão o atendimento aqui mesmo.

A estrutura conta com 28 leitos prontos, entre os da emergência e de internação, incluindo os leitos infantis. O prédio está preparado para atender o crescimento da demanda, na medida em que for necessária. Há um terceiro andar pronto, capaz de ampliar o número de apartamentos.

A equipe é formada por 67 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos e técnicos de radiologia. Serviços como de limpeza e vigilância foram terceirizados de empresas especializadas.

Ao todo 67 profissionais estarão trabalhando no Hospital Unimed, incluindo serviços contratados

Como são os atendimentos

Dr. Dilson explica que o atendimento do Hospital Unimed Três Pontas são para associados e a população em geral que deseja um atendimento particular. A Unimed tem dois tipos de clientes. Aquele que adquiriu um plano de saúde que em que é pago um valor fixo mensal, independente de se utilizar ou não, que é o chamado de pré pago.  Estes podem ir até a unidade, realizar consultas, exames, medicações, internações e cirurgias sem custo nenhum.

E tem os clientes que são funcionários de empresas que fizeram convênio com a Unimed. Estes também tem acesso a todos os serviços, que pagam um valor menor, que pode ser quitado na fatura do mês que é enviado as empresas em que trabalham.

Tem também o atendimento particular. Qualquer pessoa pode procurar pelos serviços, ser atendido e pagar por ele no final, em dinheiro ou cartão.

A consulta no Pronto Socorro tem até um valor menor do que as consultas tradicionais, o que acontece em todo o Brasil.

Depois de realizar um sonho seu, de construir na sua cidade um hospital, Dr. Dilson Lamaita (foto) afirma que o objetivo agora é fazer o Hospital funcionar e bem. Primeiro ser um exemplo de atendimento, oferecendo para o cliente e para o profissional de saúde, as condições adequadas de saúde. “As pessoas que entram lá, os próprios profissionais de saúde, reconhecem e ficam satisfeitos e entusiasmados com a estrutura que foi montada. Há um profissional do Espírito Santo (ES) que vem à cidade dar plantão e volta para casa. O Hospital Unimed está equipado com equipamentos de ponta e montou uma equipe que vai exercer a medicina da forma adequada e correta”, ressaltou o médico.

Os objetivos se tornam audaciosos. Eles agora são de fazer procedimentos que ainda não são realizados na cidade. Muitas vezes há o profissional, mas faltam equipamentos.

A estrutura

Toda estrutura do Hospital Três Pontas, está em uma área de 43 mil m², sendo 7.500 m² de área construída. Ele atende os clientes de Três Pontas, Santana da Vargem, Coqueiral, Campos Gerais, Ilicínea, Guapé e das demais cidades próximas. Ele está localizado na Avenida Prefeito Nilson José Vilela, as margens da MG 167 e a obra começou a ser erguida a mais de 10 anos.

Em Minas Gerais, a Unimed possui hoje 41 núcleos de promoção à saúde, 21 unidades de pronto atendimento, 16 farmácias, 24 clínicas, 14 laboratórios, 87 ambulâncias e 14 hospitais. (Reportagem: Denis Pereira “A Voz da Notícia)

Drogaria Americana em frente a Câmara está de plantão

0

A Drogaria Americana, localizada na Praça Prefeito Francisco José Vieira n º 07, com o telefone 3265-3978 está de plantão neste fim de semana

Polícia procura por ladrões que furtaram carnes e chocolates de restaurante

0

A Polícia Militar procura por ladrões que invadiram um restaurante, no Centro de Três Pontas, provavelmente durante a madrugada desta sexta-feira (18).

De acordo com a polícia, uma funcionária chegou cedo para trabalhar no estabelecimento que fica na Rua Sete de Setembro e encontrou uma janela da frente arrombada.

Ao entrar, percebeu que haviam sido furtados aproximadamente 15 quilos de carnes de frango e de boi, uma caixa de chocolate, uma caixa de doce e vários chicletes.

Segundo o proprietário o local possui alarme, mas não foi acionado na hora do crime. A Polícia Militar faz rastreamento a fim de encontrar os suspeitos. Até agora ninguém foi preso.  

Programa Passando a Limpo traz a notícia da volta do Fenac, graças a Agro CP

0

O Programa Passando a Limpo desta sexta-feira (18), traz a notícia que o Festival Nacional da Canção, o Fenac, está de volta em Três Pontas em 2019. O governador de Minas Gerais Romeu Zema, pediu ajuda ao Governo Federal. Na sua opinião, ele vai dar conta de tirar o Estado do buraco?

Programa Passando a Limpo traz detalhes da apreensão dos menores e recebe Marco Túlio

0

O Programa Passando a Limpo desta quinta-feira (17), traz detalhes da tentativa de assalto que provocou a apreensão de dois menores de 14 anos e um de 16, no bairro Santa Margarida. Marco Túlio lança nesta sexta-feira (18), o programa “No Mundo da Bola”, a partir das 8:30 da manhã. Ele deu uma palhinha do que será seu programa.

Meninos de 14 anos são apreendidos, depois de tentarem assaltar posto de combustíveis armados

0
Foto: Equipe Positiva

A Polícia Militar apreendeu na noite desta quarta-feira (16), dois menores de 14 anos acusados de tentar assaltar um posto de combustíveis no bairro Aeroporto, em Três Pontas.

De acordo com a polícia, os dois meninos chegaram no estabelecimento que fica na Avenida Ipiranga, um deles armado com um revólver, foram até o frentista e anunciaram o assalto. O funcionário fingiu que iria pegar o dinheiro, mas clientes chegaram e eles foram embora. A Polícia Militar foi chamada e iniciou as buscas. Populares informaram que haviam visto os dois suspeitos entrando em uma residência na Rua Bárbara Mendes, no bairro Santa Margarida.

Os policiais foram até lá e encontraram um deles no quintal da casa, no meio do mato. O outro estava escondido no imóvel ao lado e ambos foram apreendidos. Na casa para onde eles fugiram, depois de não conseguir cometer o assalto, mora um adolescente de 16 anos, que seria o mandante do crime. Eles haviam combinado que após o assalto, dividiram lá o dinheiro arrecadado.

Os dois de 14 anos haviam dito que a arma utilizada era de brinquedo e que eles teriam jogado fora em um matagal no início da Rua Dr. Carvalho de Mendonça. Mas depois confessaram que haviam dispensado na mesma via, próximo deste local. Os militares foram até o local e encontraram a arma, um revólver calibre 22, com cinco munições. Os três menores foram levados para a sede da Companhia de Polícia Militar, onde foi registrado o boletim de ocorrências e em seguida eles foram liberados às suas mães.

Agro CP investe em pesquisa e inovação em parceria com a UFLA

0

Um dos pilares da Agro CP é a inovação que gera resultados. E baseada nisto, a empresa juntamente com a Universidade Federal de Lavras (UFLA) iniciou um projeto desde a implantação da lavoura até a colheita, consolidando com os resultados conseguidos no campo.

Através dos estudantes da UFLA e agrônomos da Agro CP, o projeto fará a construção da fertilidade a partir do plantio das mudas e continuará com o acompanhamento durante variadas safras, avaliando desenvolvimento, produtividade, vigor, e qualidade dos cafés produzidos nos próximos anos.

Em cima disto, serão feitas análises dos resultados e aplicá-los em outras lavouras. “Sabemos que uma nutrição bem equilibrada, é um dos principais fatores para se obter uma excelente produtividade, e através da utilização do Multfertilizante Organomineral  temos conseguido resultados muito satisfatórios.Sendo um fertilizante de liberação controlada e com um alto desempenho agronômico, minimizamos as perdas que ocorrem nos fertilizantes convencionais, podendo assim fazer um ajuste na demanda dos nutrientes sendo de 30% a menos para N e K e 50% a menos pra P, além de poder antecipar e  reduzir o parcelamento das aplicações, não ficando refém do clima e aproveitando o máximo o período de maior desenvolvimento das plantas com um alto equilíbrio nutricional, conseguindo  assim fazer seus tratos culturais a tempo e tendo uma planta mais vigorosa resultando em uma maior produtividade e qualidade”, ressaltou um dos responsáveis pelo projeto, o agrônomo Francisco Moreira de Sousa Neto.

Agro CP – Inovação que gera resultados

Sobre o Multfertilizante Organomineral

O Multfertilizante Organomineral é um fertilizante que atende a todas as culturas. Por se tratar de um produto orgânico, enriquecido com os minerais (N, P, K, Mg, Ca, B, Zn, Mn, S) proporcionar uma maior atividade microbiológica, favorecendo a liberação dos nutrientes.

Suas vantagens e benefícios vão desde a liberação inteligente que propicia uma absorção mais equilibrada, maior atração das raízes pela parte orgânica (quimiotropismo positivo), ao melhor enraizamento, que propicia uma maior tolerância a adversidades climáticas.

Além disto, o Multfertilizante Organomineral possui diversas formulações baseadas na necessidade de cada solo. O produtor ainda ganha na melhoria da logística da propriedade otimizando o tempo para outras culturas e conta com a economia de se fazer apenas uma única adubação. (Assessoria de Imprensa Agro CP)

PROGRAMA PASSANDO A LIMPO TRAZ DETALHES DAS DUAS SESSÕES EXTRAS DA CÂMARA

0

O Programa Passando a Limpo desta quarta-feira (16), traz a repercussão e os detalhes das suas sessões extraordinárias realizadas pela Câmara Municipal. Entre as votações está o reajuste e adequação do salário do funcionalismo e o Veto do Poder Executivo a algumas emendas impositivas, dos vereadores.

CÂMARA faz duas sessões extraordinárias, aprova reajuste dos servidores e derruba vetos do EXECUTIVO

0
Servidores acompanharam a primeira sessão extraordinária deste ano. O presidente do Sinfas Valdeci Inácio de Assis esteve na primeira fileira


Os vereadores ainda estão no período do recesso parlamentar, porém, eles passaram a maior parte do tempo nesta manhã de quarta-feira (15), em reuniões. Com pedidos de projetos em caráter de urgência enviados pelo Poder Executivo, os legisladores foram convocados e votaram ao todo 10 itens, nas duas reuniões, uma seguida a outra. Porém, alguns se irritaram com a convocação, justificando que falta respeito do Executivo, com questões regimentais da Casa Legislativa.

A primeira sessão extra, contou com o Plenário Presidente Tancredo Neves cheio. Servidores foram acompanhar de perto, a decisão que os parlamentares tomariam quanto ao projeto de lei que reajusta e adequa os salários dos funcionários públicos municipais.

Os vereadores tiveram que falar alto e o público permanecer em silêncio, conforme solicitou o presidente Maycon Douglas Vitor Machado (PDT), que presidiu sua primeira sessão na legislatura. É que os microfones não funcionaram. Eles até atrasaram o início tentando consertar, mas não conseguiram. Os ex presidente e vice, Luis Carlos da Silva (PPS) e Donizetti Benício Baldansi (PSL), ocuparam a bancada da esquerda, onde há o maior número de vereadores.

Reajuste e adequação e aumento de auxílio aprovados

A matéria mais esperada foi o primeiro item da pauta. O projeto 002, fixa a nova tabela de salários e adéqua ao mínimo vigente para 2019, concedendo a revisão geral, aos funcionários ativos e inativos em 3,56%, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e aos profissionais do magistério, o piso nacional, cuja revisão é de 4,17%, passando de R$2.455,35 para R$2.557,73. No mesmo projeto, eles fixaram um novo valor do auxilio alimentação, passando de R$150 para R$170.

Ao abrir para o debate, o vereador Érik dos Reis Roberto (PSDB) comentou que fica feliz em dividir a responsabilidade do reajuste com o Executivo, já que não existe a necessidade dele passar pelo Plenário. Pode ser feito através de Decreto pelo Chefe do Executivo, como foi decidido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Roberto Donizetti Cardoso (Podemos) que também é servidor público reconheceu o trabalho do Executivo. Sérgio Eugênio Silva (PPS) comentou sobre a lei de sua autoria que garante o reajuste de acordo com o índice do INPC. Geraldo José Prado (Coelho – PSD), diz que poderia ser um valor maior, porém, as dificuldades financeiras encontradas impedem isso. O vereador Luisinho diz que gostaria que estivesse no projeto, a garantia que nenhum dos servidores recebessem menos que um salário mínimo, como infelizmente ainda existe no Município de Três Pontas. Em votação, o projeto foi aprovado por unanimidade.

Auxilio financeiro às Companhias de Reis

Os vereadores aprovaram com críticas, o projeto que concede auxílio financeiro de R$900, às 11 Companhias de Reis de Três Pontas. Elas já se apresentaram no 49º Encontro, no último sábado (12), na Praça Cônego Victor. Além delas, o projeto também autorizou o pagamento de R$450 para o radialista João Batista Martiminiano, que apresentou o evento. As críticas foram em relação a demora para envio da lei de um evento que é realizado anualmente. Em outros anos, as votações aconteceram antes do Encontro.

Vetos nas emendas são derrubados

Os vereadores mantiveram a mesma linha, desde quando aprovaram a criação das emendas parlamentares em julho e agosto, em primeiro e segundo turno. As indicações impositivas foram feitas no Orçamento e aprovadas por unanimidade, como já se esperava. Porém, o Poder Executivo vetou parte delas. A alegação segundo alguns durante a sessão extraordinária, é que como o recurso não foi reservado, os legisladores precisaram fazer anulações e acabaram retirando de onde não podia, das contratações temporárias. Para lembrar que cada um dos 11, tiveram pela primeira vez R$110 mil de emenda, sendo que obrigatoriamente R$55 mil teriam que ser destinados à saúde.

As emendas vetadas pelo Chefe do Executivo, Marcelo Chaves Garcia (MDB), são dos vereadores Érik dos Reis, Sérgio Silva, Professor Popó, Benício Baldansi, Geraldo “Coelho”, Flavão, Marlene Lima e Maycon Machado. Em linhas gerais, elas se tratam de investimentos financeiros em obras de infra estrutura, como na construção de faixas elevadas de pedestres, instalação de grades na Avenida Oswaldo Cruz. O que mais gerou insatisfação dos vereadores foram os vetos as emendas da área da saúde. Marlene e Coelho destinaram parte do que tem direito, para exames de alta complexidade. Sérgio, Érik e Popó por exemplo, destinaram juntos, R$205 mil para o Hospital São Francisco de Assis. Assim, a subvenção da Santa Casa subiria para R$1.805.000,00.

Érik discursou dizendo que fez para ajudar. Várias pessoas procuraram os vereadores fazendo esta solicitação e eles fizeram. Como todos os outros, as emendas são para atender as demandas feitas pela população. “A Santa Casa precisa. Ela é do povo”, defendeu Érik. Na opinião dele, existe uma politicagem atrás disso e dinheiro tem, está sendo é mal administrado.

Sérgio reconheceu que existe muitas outras demandas, mas quis colaborar mais uma vez com a Santa Casa. Disse que as emendas dele e dos outros três colegas, proporcionalmente é maior do que muitos deputados destinam à instituição. Ressaltou que o Executivo poderia posteriormente enviar projetos de suplementação ao Orçamento para ser votado, como sempre faz. Por isso, Sérgio que tem tido um estreito relacionamento com o prefeito Marcelo Chaves, não escondeu que estava chateado.

Quem também demonstrou sua insatisfação foi Coelho. Para ele, houve má fé da Administração, que deveria ter pensando mais. Para Luisinho, a justificativa aos vetos foi muito fraca. Apesar de não ter emenda sua vetada, anunciou que votaria contrário em apoio aos colegas.

Até mesmo uma emenda feita pela Comissão de Finanças e Fiscalização, que aumentava para R$500 mil a subvenção social da APAE, com recursos do FUNDEB, tinha sido vetada.

Posteriormente as manifestações contrárias a manutenção dos vetos, os cinco foram derrubados.

Segunda sessão extra do dia

Ao serem convocados pelo presidente Maycon Machado, para uma sessão a seguir, alguns vereadores protestaram, demonstrando a insatisfação com a interferência do Poder Executivo na Câmara. É que depois de fechada a pauta para a sessão extraordinária, a Administração protocolou outros projetos, porém, que passaram pela Comissão de Recesso. Nesta o sistema de som voltou a funcionar. Nesta pauta, três aberturas de créditos no Orçamento deste ano. Apesar da polêmica se a reunião extraordinária seria ou não realizada, os projetos foram todos aprovados por unanimidade.

O primeiro no valor de R$1.149.155,66, sendo R$295.300,00 e mais R$460.952,38 do Ministério das Cidades para recapeamento e pavimentação de vias urbanas e R$222.857,14 do Ministério do Esporte para a reforma do Campo de Futebol do Distrito do Quilombo Nossa Senhora do Rosário.

A segunda abertura foi no valor de R$30.960,00, incluindo elemento de despesa para execução do Termo de Cooperação com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais, Campus Muzambinho para pagamento de bolsas ao coordenador e tutor nos cursos de Cafeicultura e Meio Ambiente.

O terceiro e último projeto fazer abertura de crédito no Orçamento de R$475.350,00, para compra de kit escolares de língua português e matemática, no valor de R$285.350,00 e R$189.500,00 para a aquisição de ônibus escolar rural.  Os recursos são do Fundo Nacional de Desenvolvimento Educação (FNDE).

A próxima sessão ordinária está agenda para o dia 04 de fevereiro, quando os vereadores retornam do recesso.

O vice presidente Antônio do Lázaro, o presidente Maycon Machado e a secretária Marlene Lima

Com salários parcelados e sem receber o 13º, professores precisam se virar

0


A situação dos servidores estaduais vai piorando com o passar dos anos. A vontade de prestar um concurso público, ter estabilidade e seguir em uma carreira sólida, já não mais tão sonhada, diante da desvalorização dos funcionários públicos.

Desde 2016, o salário está parcelado e pensar em 13º salário é apenas expectativa, que a cada ano fica pior. O resultado é que há muitos profissionais endividados, por conta do Estado de Minas Gerais. Professores precisam contar com apoio de familiares para quitar contas básicas, como água, luz, telefone e financiamentos. Não há data para receber nem mesmo as parcelas. O governo até divulga um calendário, mas nem sempre ele é cumprindo. Com isto, perdeu-se a credibilidade, afirma o professor de português, Mário Fernandes de Carvalho, 53. Ele é vice diretor na Escola

Mário Fernandes é vice diretor e acompanha a situação da classe

Estadual Presidente Tancredo Neves, conversa muito com os colegas que estão vivendo uma situação complicada, principalmente os aposentados, que são discriminados em um momento em que mais precisam. Dependem do salário para comprar remédios e fazerem tratamentos médicos. Apesar de fazer uma economia ao longo dos anos, Fernando professor admite que mudou seus hábitos desde quando o governo começou o descaso com os profissionais da educação. Segundo ele, estar na sala de aula durante todo ano letivo é desgastante e os professores enfrentam uma pressão psicológica enorme.

Thiago e Débora planejam fazer a festa da filha Valentina que em breve completará um ano, mas não sabem se terão condições

A situação do casal Thiago de Oliveira 34, e Débora Sebastiana Mesquita 31, é ainda pior. Os dois são professores. Ele desde 2017 na Escola Estadual Marieta Castro e ela no Deputado Teodósio Bandeira desde 2016. Juntos eles contam que já não tinham esperança de receberem o 13º salário o ano passado, mas esperavam pelo menos uma parcela em janeiro agora, como aconteceu em 2018. Uma em janeiro e o restante divido em três pagamentos.  Com este novo governo, até agora não há notícias. Só que farão esforço de pagar até o fim do ano.

Como são os dois dentro da sala de aula, não há outra renda. Débora conta que precisa contar com a ajuda dos pais para controlar a situação. Fazer um passeio, uma viagem ou até mesmo comemorar o aniversário da filha deles, Valentina que tem 10 meses, são coisas que até agora está impossível. A prioridade agora é sair dos juros, do cartão de crédito, do cheque especial e manter em dia o financiamento que eles fizeram da casa própria.

“A gente trabalha porque precisa e receber o 13º é um direito nosso”, disse Débora.  Como o salário está parcelado e assim não faz volume no bolso de quem recebe ‘picadinho’, a intenção de Thiago era quitar algumas contas que estão sendo pagas em atraso e sair dos juros. “Poderíamos estar investindo em outra coisa, mas diante da situação, regularizar contas básicas mensais já seria um avanço”, lamentou o professor. Sem falar que eles não tem mais assistência médicas. Profissionais médicos da região e Hospitais não atendem mais os funcionários por conta do atraso do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg). Mas, no contra cheque todos os meses vem os descontos regularmente. (Reportagem – Denis Pereira ” A Voz da Notícia”)