Almoxarifado no bairro Botafogo fica em área residencial

Secretário de Obras Gileno Marinho anuncia mudança no horário da coleta de lixo

A equipe do novo prefeito Luiz Roberto Laurindo Dias (PSD), encontrou a cidade em uma situação nada agradável. Falta de combustível, sujeira, maquinário quebrado e até que desapareceu da Prefeitura.

O mato e muita sujeira tomam conta de ruas não só nos bairros, mas também na região central. A determinação do secretário de Transportes e Obras José Gileno Marinho, foi uma força tarefa com uma equipe de 10 servidores, montada para a realização de capina mecânica e manual. É preciso ter paciência, mas todos os bairros receberão a limpeza que começou a ser feita no Centro, para que o efeito fosse imediato. Na opinião do secretário, se demorasse mais um pouco, seria preciso pedir autorização ao IBAMA por causa de tanto mato.

O problema é a falta de funcionários que cuidam da manutenção. Só para se ter uma ideia, são apenas 16 pessoas na varrição, porém, três estão de licença. Pedreiros na Prefeitura são apenas três. Número insuficiente e de longe atende a grande demanda que existe na cidade.

Gileno disse que porte da cidade necessita que a coleta de lixo seja realizada a partir do fim da tarde
Gileno disse que porte da cidade necessita que a coleta de lixo seja realizada a partir do fim da tarde

Ao se referir sobre a limpeza, Gileno adiantou que a coleta de lixo vai mudar de horário. Daqui a duas semanas, o lixo doméstico será recolhido a partir das 17 horas, começando nos bairros e concluindo o serviço na região central, por volta das 20 horas. Segundo ele, é inadmissível que um caminhão recolha o lixo nas Praças Cônego Victor e Tristão Nogueira as 10 horas da manhã, travando todo o trânsito.  “Três Pontas é uma cidade de porte maior. Somos a 10º maior cidade do Sul de Minas em termos de população e estamos entre as 100 maiores de Minas Gerais. Não podemos mais recolher lixo durante o dia”, comenta. Na terça-feira, um funcionário da coleta passou mal por causa do calor. Eles percorrem 25 quilômetros correndo por dia, debaixo de sol forte. Com a medida, a Secretaria acredita que vai melhorar as condições de trabalho dos funcionários, economizar combustível, pneu e causar menos transtorno à população. Quando o novo horário entrar em vigor, o roteiro será amplamente divulgado. Porém, é preciso que os moradores colaborem e coloque o lixo apenas no horário da passagem do caminhão.

Além da falta de profissionais, máquinas estão paradas e o setor de compra de peças está fora de controle. O sistema virtual não bate com o estoque e a partir de terça-feira (03), uma equipe tenta colocar tudo em ordem. O que mais o chamou a atenção foi uma caminhonete, que segundo Gileno soube, estava parada a um ano meio, porém, a peça que o veículo precisava estava no Almoxarifado. Ele determinou que fosse feito a troca para que a caminhonete volte a rodar.

Esta é a terceira vez que Gileno comanda a pasta considerada o “coração” da Prefeitura e na avaliação dele o estado do Almoxarifado também não é bom. Foi divulgado na gestão anterior, uma ampla renovação da frota, porém, o que foi encontrado é outra realidade. O Município possui três patrol’s, que estão todas paradas porque estão quebradas. Um trator de esteira novo com pouco tempo de uso está com o radiador furado e foi abandonado em uma empresa de concreto nos bairro dos Quatis. Uma draga que foi adquirida e ficou um bom tempo exposta em frente a Prefeitura não está em lugar nenhum. Ela deveria estar na Secretaria de Obras, mas nem no SAAE foi encontrada. “Foi muita propaganda e pouca ação. Nós vamos falar menos e fazer mais”, disse. Ele entende as dificuldades que é em uma prefeitura, porém quando a gestão da ex prefeita Luciana Mendonça entregou o Município, as máquinas estava ruins e agora também, declarou Gileno Marinho.

No Almoxarifado foi implantado um rigoroso controle na portaria, na entrada e saída de funcionários, carros e máquinas. Na visão do secretário de Obras, era tudo muito aberto e livre para qualquer pessoa. Agora há uma recepcionista para atender a quem procura algum serviço e no portão há um registro de tudo.

Sobre as obras que precisam ser concluídas, como as duas Creches nos bairros Padre Victor e Eldorado, Gileno afirma que a empresa que venceu a licitação não toca as obras que deveriam ser inauguradas no dia 20 de dezembro do ano passado. “Se reclamava tanto que no passado se deixou obras inacabadas e agora a história se repete. A gente tem que melhorar a cidade e o nosso objetivo é fazer um município melhor, melhorando a qualidade de vida das pessoas”, avalia.

As obras que foram frutos da gestão do mandato de Luciana Mendonça serão colocadas para funcionar, como o Posto de Saúde da Peret, porém, ainda não se pode confirmar uma data. O Posto de Saúde do bairro Vila Marilena que foi uma promessa de campanha de Dr. Luiz Roberto vai voltar a atender e a Academia que fica na Praça das Lavadeiras, no bairro Santa Edwirges será reaberta e as providências para que isto aconteça já estão sendo tomadas pelo secretário de Esportes e Cultura João Batista Rabelo, assim como o Campo do Pontalete.

A prefeitura está sem óleo diesel porque a licitação terminou no dia 31 de dezembro e a administração que terminou seu mandato, não preparou um novo processo para a nova gestão que assumiu em 1º de janeiro. Graças a eficiência da equipe do setor de compras e licitação, o problema está sendo resolvido.

COMPARTILHAR

Comentários