Desde a quinta-feira (22), o Hospital São Francisco de Assis de Três Pontas, tem um novo administrador hospitalar. Com a saída de Silvio Denis Grenfell que foi trabalhar no Triângulo Mineiro, Wagner José de Oliveira de 49 anos, natural de Passos, com experiência em administração hospitalar de mais de 20 anos, assume o cargo com a missão de reorganizar toda a estrutura da Santa Casa.

Wagner é formado em Administração de Empresas, Pós Graduado em gestão empresarial pela Faculdade Federal de Uberlândia e tem MBA em Controladoria, Auditoria e Administração Hospitalar. Ele trabalhou em dois hospitais de Ribeirão Preto e Passos e morou em Goiânia por 18 anos. Voltou ao Sul de Minas ano passado por problemas pessoais e assume o posto no Município que ele conhecia apenas pela fama de ser a terra de Milton Nascimento.

Nesta chegada ele está fazendo um estudo de cada departamento e as primeiras ações serão de reorganizar toda a estrutura da Santa Casa, em um curto prazo por uma questão de sua sobrevivência. Será preciso reduzir gastos, fazer novos negócios e melhorar o faturamento, para enxergar um horizonte melhor. Para isto será fundamental a colaboração, dedicação e compreensão de todos, principalmente dos funcionários. Wagner preza por um trabalho em equipe e o resultado dele deve ser compartilhado com todos.

O administrador revela que seu trabalho será pautado pelo profissionalismo e mesmo ainda sem estar a par de toda realidade do Hospital, a falta dos repasses do Governo do Estado de Minas Gerais é a maior dificuldade atualmente.

Wagner José de Oliveira tem 49 anos, é natural de Passos e tem experiência de mais de 20 anos em administração hospitalar

Nestes dias, ele tem visto o envolvimento da cidade para salvar a Santa Casa, e isto, segundo Wagner, é difícil de encontrar em outras localidades, por isto, a obrigação da direção é dar uma resposta a população com muito trabalho. “Não está sendo fácil. Há muita coisa a ser feita, com paciência e honestidade. É um problema vivenciado no Brasil inteiro, mas que eu acredito que a médio e longo prazo, seja solucionável”, refletiu.

Seu perfil é muito parecido com o do provedor Michel Renan, a quem ele faz questão de registrar a dedicação do empresário a frente das ações. “Tenho visto que o Michel tem deixado suas empresas e se dedicado exclusivamente ao Hospital, demonstrando o amor que ele tem pela cidade e pelos trespontanos”, terminou.

COMPARTILHAR

Comentários