Ascenção de Zika e Chikungunya, doenças provocadas pelo Aedes aegypti, expõe necessidade de evitar os focos durante o verão

É comum nesta época do ano, o aumento nas notificações dos casos de Dengue. O verão é o momento de redobrar os cuidados com o surgimento de novos e minúsculos criatórios, como tampinhas, copos e garrafas plásticas. Isso porque a água acumulada favorece os criadouros e o sol estimula a reprodução do mosquito Aedes aegypti.

A diminuição no número de casos registrados em Três Pontas entre 2015 e 2016, não é sinal que de que a situação está tranquila. É que o vírus da Zika e Chikungunya apareceram e número de casos confirmados são grandes e estão em ascensão.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, Três Pontas foi a primeira cidade da Superintendência Regional de Saúde (GRS) de Varginha, que abrange 50 municípios, que conseguiu detectar casos de Chikungunya, por causa da vigilância constante que foi feita em 2016. São os casos chamados pelas autoridades de saúde de autóctone, que é quando a pessoa foi contaminada sem viajar, ou seja em Três Pontas.

E a população precisa se conscientizar dos perigos do mosquito transmissor dessas doenças, já que pelos estudos e levantamentos feitos pela Vigilância Epidemiológica, muitos casos de Zika devem ser registrados em 2017. Por isto, a junção de esforços será determinante para manter o controle da doença para não transformar em epidemia, como já foi registrado com a Dengue em Três Pontas.

Veja os números

Dengue 2015
Notificados 1937 casos
Confirmados 1487
Descartados 450

Dengue 2016
Notificados 1189 casos
Confirmados até o momento 246 casos
Descartados 474
Continuam em investigação 480

Zika Vírus 2016
Notificados 244
Confirmados 241
Descartados 3

Chikungunya 2016
Notificados 5
Confirmados 2
Descartados 3

*Os dados foram divulgados no dia 30 de dezembro de 2016

(Foto: Arquivo – Equipe Positiva)

COMPARTILHAR

Comentários