O Pequeno Expediente se transformou em um ringue e nesta briga, cada um defende seu lado. A oposição só toca nos defeitos e aponta possíveis os erros. A situação cumpre o papel de defender o Poder Executivo e contrapor, tentando responder imediatamente a todos os outros que vão a Tribuna da Câmara. Com a chegada das Eleições municipais, os nervos se afloram e o presidente Luis Carlos da Silva (PPS), já previa isto.

Nesta segunda-feira (11), quem usou primeiro o microfone foi o vereador José Henrique Portugal (PMDB), que anunciou que está agendado para esta quarta-feira (13), uma audiência em Brasília, na Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC), para tentar reverter a portaria que determina o fechamento do Aeroporto Municipal a partir do próximo dia 28.

Paulo Vitor da Silva (PSL) acrescentou que foi disponibilizado aos colegas um ofício, que será encaminhado anterior a esta viagem que ele fará a Capital Federal, demonstrando o pedido do Poder Legislativo em revogar a portaria. “Aqueles que acharem que o Aeroporto é uma conquista e que ele não pode ser fechado, mesmo o Executivo dizendo que já está estudando uma nova área, que não feche este que temos, enquanto não se constrói um novo, se ele conseguir que assinem este ofício, defendeu.

Paulinho destacou com tristeza o fumacê realizado no último domingo (10). O problema é que o serviço fundamental para o combate ao mosquito Aedes aegypti foi feito na Praça Cônego Vitor, durante a missa das 19 horas e incomodou quem estava na celebração. Pior ainda, opinou Paulinho Leiteiro foi que o carro subiu na contramão. Ele disse que até entende a necessidade do fumacê, mas questiona o horário. O líder do prefeito na Câmara Sérgio Eugênio Silva (PPS), respondeu em seguida, ainda no Pequeno Expediente que esta é uma questão obvia, o jato que solta a fumaça é apenas de um lado, e é claro que precisa voltar na contramão. Quanto ao horário, pior seria se fosse na segunda-feira, quando há grande movimento.

O vereador Antônio Carlos de Lima (PSD), denunciou a questão da Balsa do Pontalete, depois que ele recebeu um ofício de Furnas em resposta a paralisação do serviço. Nele, consta que em março de 2015, a Prefeitura de Três Pontas manifestou o desinteresse na manutenção do convênio. Por isto, Furnas recolheu a embarcação atendendo a manifestação que foi feita por escrito. Antônio do Lázaro não leu, mas o documento também traz que a estatal está elaborando um novo modelo de convênio, porém, está impedida de celebrar o convênio com prefeituras por se tratar de ano eleitoral. O vereador classificou o ato como mais um descaso do Prefeito.

O vereador Francisco Botrel Azarias (PT), comentou sobre a visita da representante do MEC em Três Pontas, a diretora de Políticas de Educação para Juventude Cláudia Veloso Torres Guimarães e do diretor do Campus Varginha da Universidade Federal de Alfenas (Unifal), Paulo Roberto Rodrigues. Ambos vieram porque Três Pontas está no ranking entre as 223 cidades, com maior índice de Dengue, a cada 1 mil habitantes. Para Chico Botrel, é um dado insatisfatório, que provocou o deslocamento de uma profissional da educação para acompanhar as ações de prevenção ao mosquito que estão sendo desenvolvidas nas redes municipal e estadual de ensino.

A boa notícia é que no final do ano de 2015, Chico Botrel fez um ofício à deputada estadual Geisa Teixeira (PT) e ao secretário de Estado de Governo Odair Cunha (PT), solicitando a possibilidade de enviar kits para os feirantes, para melhorar a qualidade do serviço e atendimento. O legislador está levando à Emater a informação que o Governo do Estado viabilizou 10 barracas, duas balanças eletrônicas e 20 jalecos. Defendendo o atual Governo de Minas, o petista afirmou estar feliz em poder ter a representatividade na Assembleia Legislativa e o reconhecimento do poder público que está apoiando os agricultores familiares.

O Professor Popó (PSL), quer saber do Poder Executivo quanto ao Concurso Público. Popó está preocupado porque a Cidade só tem um fiscal de posturas para uma infinidade de atividades e no Concurso haviam duas vagas disponíveis. As vagas foram preenchidas e os profissionais foram chamados, são perguntas que ele quer que a Prefeitura responda.

PREFEITURA DIVULGA NOTA SOBRE A BALSA DO PONTALETE

BALSA

A Prefeitura de Três Pontas divulgou uma Nota de Esclarecimentos sobre o serviço de travessia feito pela balsa do Porto de Pontalete, que está paralisado desde a última baixa das águas represa de Furnas, quando foi por falta de navegabilidade do lago.

De acordo com a nota, “outro ponto a ser observado é a grande dificuldade para o preenchimento das vagas necessárias a correta operação da balsa, vez que os antigos operadores não apresentavam as qualificações exigidas, além da necessária presença de três marinheiros/aquaviários, cada um em uma categoria – marinheiros fluviais de convés, auxiliar e máquinas. Por estes motivos a paralisação dos serviços foi imposta pela Procuradoria da República em Varginha , por meio de procedimento administrativo. Se não bastasse, por força do ano eleitoral, Furnas está impedida de celebrar novo convênio com o Município, único instrumento capaz de viabilizar a retomada da travessia, de sorte que resolução da questão, pela via da legalidade, passa pela realização de novo convênio e, posterior licitação do serviço ou então pela mobilização da sociedade e exigência judicial de suas pretensões em face de Furnas, como responsável direta e proprietária da embarcação”, diz a nota.

Por fim, a Prefeitura reforça que “a paralisação do serviço decorreu de fatos externos a vontade do Executivo que deve zelar, sempre, pela legalidade e o respeito do direito e anseios dos cidadãos e usuários do serviço da balsa. De sorte, que o serviço será retomado quando possível o atendimento das imposições legais como garantia de segurança do serviço de travessia, pela que estamos trabalhando dia a dia para atender aos anseios do povo”, conclui.

COMPARTILHAR

Comentários