Por Loui Jordan

A seleção brasileira de futebol está eliminada da Copa do Mundo FIFA 2018. Esse é o melhor começo para contar uma história de 90 minutos. O jogo era entre Brasil e Bélgica, disputado pelas quartas de final e valendo vaga preciosa para enfrentar os franceses na semifinal. Primeiro ponto, os belgas mereceram ganhar e souberam se adaptar ao jogo. O time do Brasil era favorito, nem tanto, mas era pelo conjunto da obra e acabou que não teve obra e muito menos conjunto. A excelente geração belga que sempre foi respeitada, chancelou seu valor ao vencer de forma inteligente o maior vencedor de Copas do Mundo.

Resumo do Jogo

O resumo é simples e direto, a Bélgica estrategicamente e depois psicologicamente, foi superior. O primeiro tempo foi para os jogadores brasileiros esquecerem. Fernandinho aos 12 minutos fez um gol contra na cobrança num escanteio do adversário, belgas 1 a 0. O Brasil até poderia ter saído na frente com Thiago Silva, que meio sem querer, colocou a bola na trave de Courtois. Outro que poderia ter feito o gol cedo também foi Paulinho, mas não conseguiu, não pegou como queria na bola após escanteio.

A Bélgica acertava e errava alguns contragolpes, mas aos 30 minutos não errou. De Bruyne que jogou mais avançado, teve ajuda de Lukaku e seguiu com a bola rente a área brasileira pelo lado direito de seu ataque, o grande jogador belga finalizou e fez um belo gol, Bélgica 2 a 0. Na primeira etapa faltou qualidade ao Brasil, Neymar e Coutinho estavam desconectados assim como o time todo, muito disso por mérito belga e demérito brasileiro.

No segundo tempo era evidente que a postura iria mudar. No início, os comandados de Tite estavam com pouca inteligência emocional e erraram muitos passes. O Brasil tinha vontade, mas faltou competência, até pênaltis foram pedidos e aclamados. A Bélgica que tinha velocidade na transição, estava mais lenta e cansada, muito pelo posicionamento corrigido no intervalo por parte do seu rival em campo, o Brasil.

O gol brasileiro saiu aos 30 minutos da segunda etapa, Coutinho enfiou bom passe aéreo para Renato Augusto que entrou no lugar de Paulinho, o meia dentro da área colocou a cabeça na bola e cabeceou como poucos, agora Brasil 1 x 2 Bélgica. O time verde e amarelo até ensaiou o gol de empate, não conseguiu. No final da história, o Brasil até poderia empatar, entretanto o primeiro tempo belga foi completo, eles foram eficientes nas conclusões e em suas propostas, o jogo foi jogado de forma séria e estudada, venceu o time mais competente.

Opinião

O Brasil ter sido derrotado de forma justa pela Bélgica é normal. O autor do presente texto apostou na vitória brasileira, mas nunca desdenhou da geração incrível dos Belgas. Esse é o tipo de jogo que muda uma seleção e até jogadores de patamar e o time de Roberto Martínez jogou como se fosse o jogo da vida. A estrutura tática foi quase perfeita, eles esperaram o Brasil e não fizeram marcação alta subindo as linhas, preferiram esperar e jogar no contra-ataque.

Diferentemente do México, a proposta era transferir para o Brasil a responsabilidade de vencer. A surpresa pelo menos para alguns foi a linha defensiva belga se mantar a mesma, jogaram no 3-4-3. Vertonghen fazia a lateral esquerda e recuava sem a bola para a zaga. Chadli que foi titular no lugar de Carrasco, foi bem e soube fechar os espaços de William e Paulinho, ambos não foram bem. De Bruyne jogou quase como falso nove no começo do confronto, Hazard e Lukaku jogaram abertos, depois tudo foi invertido estrategicamente.

Um ponto especial é a entrada de Fellaini, era previsível que se a Bélgica quisesse ter chances de surpreender, iria fazer isso. O interessante é que Fellaini atacou menos do que de costume, dando consistência nos bloqueios no meio de campo. Da parte brasileira, faltou lucidez para antever e jogar com um meio-campista a mais, jogar no 4-3-3 que na fase defensiva, oscila para um 4-2-3-1 e um 4-1-4-1 e isso era arriscado devido à sobrecarga no centro do campo. A defesa na Copa foi bem, nesse jogo faltou uma melhor e maior proteção dos jogadores de meio de campo, Casemiro que faz a cobertura dos dois lados e dá o bote como poucos no mundo, fez falta.

O jogo é coletivo, não adianta culpar Fernandinho ou execrar Jesus, Paulinho e Marcelo, perderam todos. Alisson pouco foi exigido, no gol de De Bruyne poderia ter ido melhor, mas foi muito mérito do belga. O lateral Marcelo que voltou de lesão, não foi bem o mesmo do Real Madrid, aliás, desde o início da Copa ele não fez uma atuação condizente com seu nome e performance habitual. O atacante Jesus não fez o que dele mais se espera, gols, porém foi proativo e ajudou muito na recomposição, embora sempre será lembrado pela atuação discreta que teve durante os jogos capitais do Brasil.

Não foi nenhuma surpresa para quem acompanha futebol o resultado. Tite fez algumas escolhas ruins, é de se respeitar sempre, no entanto é preciso erguer a cabeça e trabalhar. O desempenho de Tite foi bom, muito bom até, o mais importante ele não conseguiu, acredito que ele possa ter mais uma chance no comando técnico. Já para outros jogadores foram a última Copa. É claro, muitos nomes vão ser criticados como devem ser, o que vale agora é saber que o Brasil se recuperou no segundo tempo quando já era tarde, apostou em peças que falharam e não trouxeram nada e mereceram perder para um time que no jogo foi melhor.

Os jogadores desequilibrantes, Neymar e Coutinho não tiveram os mesmos acertos, Neymar estava voltando de lesão e vive do céu ao inferno na crítica pública. Coutinho teve um lampejo no jogo e deu um bom passe, faltaram muitas coisas, não foi uma vergonha como o da última Copa, mas a conta de decepções só aumenta. Os reservas pouco tiveram chances, nomes de confiança se tornaram a certeza de uma convocação em que faltaram dois ou três nomes que poderiam ajudar. Por fim, a Bélgica deu o salto que precisava, ao Brasil restou o aprendizado que desta vez não deu, em 30 minutos tudo pode ir por água abaixo, muita coisa deveria mudar no futebol brasileiro, só não devem transformar essa derrota no fim do mundo. O time é muito bom, faltou repertório em alguns momentos, mas todo mérito do mundo aos belgas que seguem. Já a seleção canarinho volta para casa com a bagagem pesada.

Próximo desafio

A Bélgica vai enfrentar a França na terça-feira (10) às 15 horas pelo horário de Brasília. Tem tudo para ser um jogão, a França é favorita, porém se a Bélgica vencer não será surpresa. A Bélgica é um grande time com peças incríveis, mas a França é a partir de agora, o time a ser batido e esse duelo será válido pelas semifinais. O Brasil se concentra na próxima edição da Copa América que será em 2019, quando será anfitrião do torneio, mas até lá muita coisa pode acontecer, como também pode muito bem não acontecer.

 

COMPARTILHAR

Comentários