Por Loui Jordan

Temos o campeão. A França venceu a Croácia por 4 a 2 em Moscou e sagrou-se bicampeã mundial. Foi um grande jogo, disputado, com lances polêmicos e os franceses que chegaram em sua terceira final em seis edições de Copa, voltaram a vencer. A primeira e até então única, foi em 1998. A forte e brava Croácia que não desistiu, fez a melhor campanha da sua história, viva o futebol. Belgas e ingleses terminaram em terceiro e quarto lugares respectivamente.

Primeiro tempo

A Croácia começou com o domínio do jogo, os croatas pressionaram a saída de bola francesa e dificultaram muito. Os franceses não conseguiam encaixar nenhum contra-ataque, mesmo quando tinham espaço para sair jogando sem riscos, o time azul não era perigoso. O plano de jogo da Croácia estava sendo superior, mas eles não contavam com a competência da seleção da França. Após conseguir uma falta forçada inteligentemente por Griezmann, o próprio cobrou para a pequena área e Mandzukic fez gol contra, o relógio marcava 17 minutos, França 1 a 0.

Tudo levava a crer que o jogo iria esfriar, não foi o que aconteceu. A Croácia continuou com seu jogo de posse de bola e se apoiou em jogadas alçadas na área inimiga. O empate veio sem tanta demora, depois de um escanteio, a bela jogada trabalhada de cabeça pelos croatas deram certo, a bola é escorada para Perisic, o meia-atacante dominou tirando do marcador e praticamente da linha da grande área finalizou com frieza e qualidade, era o empate, aos 27 minutos, agora França 1 x 1 Croácia.

O jogo continuava com a Croácia propondo melhor suas intenções, a intensidade e os duelos individuais por cada espaço no campo não paravam. A França parecia esperar a jogada certa para fazer mais um gol, o que aconteceu foi diferente, no entanto deu certo. Escanteio para os azuis e Perisic que fez o gol de empate, colocou a mão na bola dentro da área. O árbitro de vídeo foi acionado e o pênalti confirmado, Griezmann bateu e não desperdiçou, aos 37 minutos, França volta à frente no placar, 2 a 1.

O goleiro Subasic havia defendido 4 pênaltis nessa Copa, não foi dessa vez. Mesmo com o final do primeiro tempo, a Croácia ainda tentava empatar novamente, sempre esbarrava na defesa adversária e também teve um pouco de infelicidade, quando o juiz apitou o fim dos primeiros 45 minutos, sabia-se que o segundo tempo iria ser muito bom, assim como foi o primeiro.

Segundo tempo

A etapa complementar começou como previsto, a Croácia impunha seu jogo. O time de Modric e companhia tinha dificuldade pelo centro e explorava muito a jogada direta. Tudo que a Croácia tentou não deu certo e os Franceses erravam em algumas jogadas, porém a eficiência e o condicionamento físico pesaram e a França decidiu o jogo do seu jeito.

Aos 13 minutos saiu o terceiro gol francês, Pogba que vinha errando alguns passes no primeiro tempo devido a boa marcação, fez um passe magistral para Mbappé no corredor direito, o ponta foi pra cima do marcador, tocou para Griezmann dentro da área que dominou e ajeitou para o iniciante da trama, Pogba em frente a grande área. Ele chutou e foi interceptado, a bola voltou para sua perna esquerda e novamente chutou sem titubear, Subasic nem saiu na foto, belo chute, agora França 3 a 1.

O time croata sentiu o golpe, o outro gol foi questão de tempo. Aos 19 minutos, mais um ataque do forte coletivo francês, a bola fica com Mbappé em frente a grande área, o ponta-direita pensou e chutou com firmeza no canto direito de Subasic, a festa estava pronta, França 4 x 1 Croácia. A França anestesiou a partida, só não contava com a falha de Lloris. O goleiro foi jogar com os pés e errou o passe, Mandzukic atento interceptou a tentativa de passe entre a grande e pequena área, o ato falho estava concretizado, 4 minutos depois, aos 23 do segundo tempo, Croácia diminui, França 4 x 2 Croácia.

É bem curioso pensar que a Croácia voltava ao jogo, entretanto o domínio físico e coletivo da França na etapa final foi predominante. Pogba cresceu no jogo, mandou no meio de campo. Do lado croata, Rakitic e Perisic se destacaram. O título vai para a seleção mais correta, mais cirúrgica e completa, não necessariamente a mais brilhante. Aos croatas todo o merecimento pela campanha fantástica e merecida que fizeram, só um saiu com a taça, França bicampeã do mundo.

Detalhes

A copa ficará marcada por seus inúmeros gols de bola parada e por não ter um jogador que desequilibrasse tanto. O futebol disputado nessa edição, demonstra claramente um formato que se altera de ciclos em ciclos, não se encontra tantos espaços como antes, o jogo se adaptou.

Por mais que a Croácia tenha perdido a final, eles são campeões pelo futebol que jogaram e pela vontade que tiveram, sempre foram sérios e determinados. A França que havia sido campeã em 1998, deu um grande salto novamente, se junta a Uruguai e Argentina na prateleira dos bicampeões.

Um ponto importante e de grande honra, o melhor jogador dessa Copa do Mundo foi Modric, o meia foi o escolhido após a final. Poderia ser Hazard, Mbappé ou até Pogba pela final que fizeram, mas mesmo assim foi merecido o prêmio para o croata. Muitas foram as surpresas e as decepções, até a arbitragem foi criticada por alguns ou por muitos durante o torneio e a decisão, o mais incrível é que todos os jogos foram bem disputados e venceu o mais competente, a França coroou o excelente trabalho que vem sendo feito há anos.

Acabou a Copa

O maior evento do mundo voltará só em 2022, até lá novos sonhos e projetos farão parte de seleções, jogadores e por que não, torcedores. Heróis e vilões serão apontados, uma nova história se fará presente. Até logo Copa do Mundo.

COMPARTILHAR

Comentários