Por Loui Jordan

Nesse domingo (29), Cruzeiro e São Paulo se enfrentaram pela 16ª rodada do Brasileirão. O duelo foi em Belo horizonte e o Mineirão recebeu duas das melhores equipes do país. Tanto mineiros quanto paulistas precisavam voltar a vencer, já que ambos competem por títulos e brigam na parte de cima do campeonato por pontos corridos.

O jogo

Quando a bola rolou no gigante da Pampulha, já se sabia como seria a tônica do jogo, tivemos um São Paulo usando a mesma estratégia dos últimos jogos e um cruzeiro apostando na velocidade. A raposa tinha boas trocas de passes até então, o problema é que erravam o último passe. O Tricolor buscou ficar com a bola no seu campo ofensivo no início, porém pouco durou o ímpeto paulista.

A primeira chance clara de perigo surgiu dos pés de Arrascaeta, o uruguaio não foi mal, mas também não foi tão bem. Barcos também teve suas oportunidades, faltou ao time celeste mais clareza para concretizar as tramas ofensivas. O time de Aguirre abriu o placar no primeiro tempo, mesmo com o Cruzeiro inserindo um volume maior. Após uma bela cobrança de falta de Edílson, Sidão conseguiu defender e acabou originando um contragolpe letal que parou nos pés de Diego Souza, o atacante que vive bom momento, balançou a rede adversária, aos 26 minutos, 1 a 0 para os visitantes.

A primeira etapa acabou com o Cruzeiro apostando em jogadas diretas e bolas paradas. O segundo tempo começou com um São Paulo mais estratégico ainda, sabendo dosar o ritmo do jogo. Mano Menezes fez até algumas mudanças, assim como Aguirre, nada de muito diferente aconteceu. O time mineiro teve chance de empatar com Arrascaeta dentro da área, o meia chutou em cima de Sidão, Barcos que sempre se mostrou presente, errou um pênalti, o bom jogador argentino colocou a bola no travessão.

Aos 31 minutos da etapa final, o time de melhor contra-ataque do Brasil, matou o duelo. Com boa participação do lateral Reinaldo, Éverton fez o 2 a 0 para o São Paulo. Essa foi mais uma amostra do cirúrgico São Paulo de Diego Aguirre. O Cruzeiro criou mais chances e foi bem interceptado pelos defensores são-paulinos. Agora,Mano e seus comandados irão focar suas atenções na Copa do Brasil e o tricolor na Copa Sul-Americana.

Lições para os próximos jogos

O Cruzeiro poupou alguns de seus principais jogadores, parece que time vai focar nas competições de mata-mata, as famosas copas. Na temporada passada deu certo, faturaram a Copa do Brasil. Por falar nesse torneio, a equipe celeste enfrenta o Santos nessa quarta-feira (01) às 19:30. O primeiro round do confronto será com o mando de campo santista, vale lembrar que o time da baixada não vive um bom momento. O que o Cruzeiro precisa agora é executar melhor seus lances capitais de ataque, o time perdeu muitos gols contra o Corinthians e deixou a desejar em alguns contra o São Paulo.

Hernán Barcos, foi contratado para fazer gols. O bom atacante teve bons momentos na LDU, clube no qual atuou antes de jogar pelo Cruzeiro. É claro que tem mérito do adversário por não sofrer gols do time mineiro, mas com o poder de criação que o elenco possui é de se esperar mais. No Campeonato Brasileiro da série A, por exemplo, o Cruzeiro só fez mais gols que Ceará e Paraná, é muito pouco ter 13 gols para um elenco estrelado. O Cruzeiro acumulou sua segunda derrota seguida após o término da Copa do Mundo, foi derrotado por times da capital paulista.

Se optar por jogadas mais trabalhadas e por menos jogadas esticadas, o time pode voltar a vencer, precisa também de uma peça que apareça como elemento surpresa. Vale lembrar que o Cruzeiro é muito bom time e dá a impressão que joga quando quer ou quando é importante para as pretensões do clube. O Tricolor do Morumbi precisa melhorar rapidamente no seguinte aspecto: o goleiro.

O São Paulo que irá receber nesta quinta-feira (02) o Colón da Argentina, o jogo será às 19:30, o duelo é válido pela Copa Sul-Americana. Como foi alertado, o goleiro Sidão falhou em todos os lances onde teve que sair do gol no primeiro tempo. É impressionante, o arqueiro não demostra segurança alguma. É bem verdade que defendeu a queima-roupa o chute de Arrascaeta, embora a bola tenha ido em cima dele. Sidão oscila muito e sua reposição de bola não é tão boa. O goleiro que foi bem no Botafogo em 2016, já não repete o mesmo sucesso com a camisa tricolor.

Outro aspecto é como se defender. Contra o Grêmio, o time cercou demais e cedeu espaços laterais e é claro que isso irá se repetir, entretanto é necessário o mínimo de erro possível. Menos mal que o sistema de marcação deixa pouco espaço para finalização de média distância. Outra coisa é o fato de Nenê que faz boa temporada, atrasar um pouco o jogo. Ele sabe acelerar, mas as vezes atrasa a passada, na maioria das vezes por estratégia. O equívoco é que na maioria de seus atos, o time está com a vantagem mínima, é arriscado, por mais que esteja dando certo até o momento.

Enfim, tanto Cruzeiro quanto São Paulo fizeram um jogo interessante. Os dois são favoritos a avançar em seus confrontos nas copas. É sempre preciso corrigir algumas coisas, o tricolor vai encarar um jogo mais acessível, por mais que em Copas continentais a quem se engane com times tidos como “inferiores”. Já a raposa vai disputar forças com um grande time no papel e na história. Dentro de campo, o Santos está longe de aprontar, mas é bom respeitar e jogar muita bola.

COMPARTILHAR

Comentários