Por Louí Jordan

A noite de libertadores prometia um duelo com cara de decisão, Vasco e Cruzeiro se encontraram pela quinta rodada do grupo E da competição. O único time que poderia sair da partida eliminado era o Vasco e foi isso que aconteceu. O time carioca até começou melhor, levou perigo em alguns lances, mas não passava de oportunidades bem interceptadas pela defesa da equipe mineira.

O Cruzeiro com gols de Léo, Thiago Neves e Sassá no primeiro tempo, repetia um esboço do resultado contra a Universidade de Chile. O time celeste ainda fez mais um gol no segundo tempo, Sassá novamente balançou a rede, se o Cruzeiro convencia com sua competência em converter oportunidades em gol, o Vasco esbarrava em Fábio e na trave.

Jogadores como Rildo, Galhardo, Evander e Ríos eram os que mais tentavam, até nas cobranças de falta o Cruz-Maltino levava perigo para o goleiro cruzeirense. Porém, nada disso foi suficiente para evitar a goleada sofrida e a eliminação na fase de grupos. Ambos os elencos estavam descansados para o jogo, mas o que se viu em campo foi um time desesperado e tentando criar jogadas a base da garra e um outro que sabia minuciosamente o que estava fazendo.

É a terceira vez nessa edição de Libertadores que o Vasco é goleado pelo placar de quatro a zero, as duas primeiras havia sido fora de casa para o Jorge Wilstermann na primeira fase e para o Racing que também é do grupo E. O Vasco que começou o ano apostando nos jovens talentos das categorias de base e em sua camisa pesada e tradicional, acabou vendendo para o seu torcedor a expectativa de um ano mais digno do que os anteriores.

 O Time de Zé Ricardo sucumbiu às expectativas e sempre mostrou suas fragilidades e virtudes, agora resta ao Vasco decidir qual rumo irá tomar daqui para frente. Já o Cruzeiro que no início do ano era apontado como um dos favoritos a conquistar os campeonatos que disputa, acabou sendo pressionado por alguns jogos onde deixou a desejar. Nem mesmo a excelente campanha no campeonato mineiro era aceita por alguns torcedores, o time tinha que provar dentro da competição mais importante do continente o seu valor, depois de alguns jogos fracos, o Cruzeiro atropelou seus rivais e está a um passo da classificação para próxima fase.

A raposa quando perdeu Fred, fez alguns testes com Thiago Neves ocupando aquele posicionamento, hora alternava com Arrascaeta e a movimentação dos dois era vista como uma boa opção. Mas com a volta de Raniel e uma boa atuação de Sassá, o Cruzeiro volta a seus melhores momentos. A entrada de Lucas Silva no meio de campo da mais velocidade ao time, a saída de Robinho deu ao coletivo uma velocidade explorada em Rafinha que hoje é o Motor do time, aos poucos Mano Menezes vai acertando novamente o gigante de Minas, peças é que não faltam.

Ao Cruzeiro resta mais um jogo onde depende dele mesmo, o desafio para o time de Mano é engrenar no Campeonato brasileiro o quanto antes, embora seja apenas o começo. Para o Vasco é o início de uma nova etapa, o clube sabe que será criticado e dias difíceis estarão na rotina do gigante da colina.

COMPARTILHAR

Comentários