Os vereadores se reuniram em sessão ordinária nesta segunda-feira (20), para a votação de um projeto de lei, um Decreto Legislativo e uma Moção de Aplausos. Outros quatro ítens foram inseridos durante a reunião atendendo a pedidos.

Antes do início da sessão, a vereadora Valéria Evangelista que preside o Conselho Municipal da Mulher, distribuiu a todos os vereadores o lanço, símbolo da Campanha do Outubro Rosa. Poucos os vereadores aderiram ao pedido da colega e, se vestiram de rosa. Joy Alberto usou camisa, Edson Vitor a gravata, Popó camisa com listras e Valerinha um vestido que chamou a atenção.

Durante a leitura das correspondências, o que é feito regimentalmente antes do Pequeno Expediente toda semana, a secretária da Mesa Diretora, Alessandra Sudério deu um puxão de orelha nos demais vereadores. A falação no Plenário enquanto ela lê os documentos acontece sempre, mas desta vez, irritou a vereadora, que disse no microfone que se sente desrespeitada, ao ver que ninguém prestava atenção. Antes dela reclamar, o presidente Sérgio Eugênio Silva (PPS), já havia tocado a campainha mas nada adiantou.

No Pequeno Expediente, Antônio Carlos de Lima (PSD), voltou a cobrar a melhoria nas estradas que ligam o Município aos Distritos do Quilombo Nossa Senhora do Rosário-Pontalete e Córrego do Ouro. Na visão de Antônio, é uma vergonha ver as máquinas e caminhões parados no Centro de Eventos, enquanto a população sofre com estrada ruim.

Outro ponto de crítica, é quanto as pessoas que consomem álcool nas proximidades da Avenida Oswaldo Cruz. Antes, o grupo permanecia no semáforo da Rua Frei Caneca. Com uma ação da Guarda Civil Municipal (GCM), eles foram para a Avenida, um dos cartões postais da cidade. Neste caso, falta ação da Secretaria Municipal de Assistência Social, segundo Antônio que chegou a dizer que ao invés de ficar passeando em carros luxuosos pela cidade é preciso trabalhar para justificar seu salário de quase R$5 mil.

O presidente da Câmara Sérgio Silva demonstrou preocupação quanto a forma com que vereadores tratam as pessoas. Reconhecendo o trabalho que a primeira dama Dona Fátima Rabello, secretária de Assistência Social faz por amor e não por dinheiro, por isto, merece um pouco mais de respeito. “Sobre a reclamação feita, em julho foi feita uma campanha para tentar conscientizar as pessoas de não ficarem naquele local, porém, não tem como impedir as pessoas de ficar em um local público. É impedir o direito de ir e vir”, defendeu Sérgio. Ainda em seu pronunciamento, ele reconheceu que a situação está ruim, mas registrou que a maioria deles tem casa, família e residem em Três Pontas.

José Henrique Portugal (PMDB), também saiu em defesa das pessoas em situação de rua que ficam no centro da cidade. “São seres humanos, doentes, que precisam de atenção e respeito. Eles não podem ficar jogados como estão. Ou será necessária uma ação do Ministério Público para resolver o caso”, questionou Portugal.

Geraldo Messias Cabral (PDT), pediu o envio de ofício com nota de condolências à família do prefeito de Santana da Vargem Vitor Donizete Siqueira (PT), que perdeu sua filha Anna Victória Siqueira (09) na última sexta-feira (17). Ela estava internada no Hospital Alzira Velano em Alfenas. Ele quer que seja citado no ofício, a grandiosidade do ato deles em doar o coração, os pulmões, rins e córneas.

Outro vereador que se solidarizou com Vitor Elói, foi Francisco Botrel Azarias (PT). Eles são do mesmo partido e Chico Botrel conhecia a menina.

Valerinha falou da participação dos servidores da Câmara Municipal e dos vereadores nos eventos do Outubro Rosa. Uma ação importante foi a coleta de preventivos do colo do útero, realizada no Centro Integrado de Assistência à Mulher e a Adolescente (CIAMA), que atendeu a 120 mulheres.

COMPARTILHAR

Comentários