*Mandado de prisão expedido é por causa de outros crimes que ele responde

O pai que é acusado de agredir o filho de 4 anos na semana passada se entregou a justiça nesta segunda-feira (03), no Fórum Dr. Carvalho de Mendonça. O caso que ganhou repercussão regional, teve o desfecho com a prisão de Glenan Messias de Almeida Pereira de 26 anos. Porém, o advogado Dr. Silvio Andrade lembra que seu cliente responde a crimes de furto e roubo e não há nenhum processo sobre a suposta agressão a seu filho. Pode existir ainda na esfera administrativa, que ainda será alvo de investigação.

Em seu escritório, Dr. Silvio revelou que na última quinta-feira (31) a família dele o procurou dizendo que Glenan estava preocupado com o mandado de prisão em aberto para ser cumprido e que ele soube que alguns policiais teriam dito, que se o pegassem ele sofreria agressões, afirmações do acusado feitas ao profissional. Como Glenan já foi vítima de violência policial em Belo Horizonte, pois, existe inclusive um procedimento em andamento na Corregedoria da Policia Militar para apurar o caso, já que ele tem marcas pelo corpo quando foi preso a cerca de um ano na Capital, a prisão dele era temida.

Dr. Silvio foi procurado para intermediar a sua entrega, permitindo que ele cumpra o restante da pena que ele está condenado. O advogado combinou com a família de que ele iria até seu escritório para que procurasse o Fórum Dr. Carvalho de Mendonça, o juiz de execução penal, no caso a doutora Aline Modesto para marcar com ela a possibilidade dele se apresentar e ela determinar o cumprimento do mandado.

Por volta das 14:30 o advogado foi até o Fórum, a juíza estava em audiência mas ele conseguiu expor a situação. Ele conseguiu que a juíza e o promotor de justiça Dr. Sartoratto encaixassem o caso nas agendas deles. Conforme combinado, as 15:15 ele chegou e as 15:30 começou a ser ouvido.

Ele revelou que realmente saiu para trabalhar e não voltou para cumprir o regime semi-aberto. Consequência disso teve o regime de cumprimento de pena regredido para regime fechado, o mandado de prisão foi expedido e estava no sistema da Polícia Militar para ser cumprido a certo tempo.

Depois de ser ouvido, Glenan pediu se houvesse a possibilidade de ser conduzido para o Presídio pela SUAPI. A juíza Dra. Aline até fez contato na instituição, mas não havia pessoal disponível e disse que esta não seria atribuição do órgão. Foi ai que a PM foi chamada por volta de 15:50 para dar cumprimento ao mandado. “Este foi o procedimento, em nenhum momento a Polícia Militar fez a captura dele por ação dela. Se ele não se apresentasse ele estaria na rua até hoje. Mas ele quis se apresentar para cumprir sua pena”, afirmou Dr. Silvio Andrade, que nega que a esposa do preso tenha chorado ao vê-lo sendo levado.

COMPARTILHAR

Comentários