A Polícia Civil de Três Pontas foi até Boa Esperança, na manhã desta quinta-feira (14), cumpriu um mandado de prisão contra Thiago Rodrigues Zifirino. Ele é alvo da Operação Pica Pau e não foi encontrado na casa onde ele morava no bairro São Judas Tadeu, na terça-feira (12), quando seis pessoas foram presas, acusadas de integrar uma quadrilha de estelionatários.

De acordo com a Polícia Civil, Thiago estava trabalhando em uma obra em loteamento na cidade. Ao ser abordado deu nome falso, para tentar evitar sua prisão, mas acabou se confundindo ao ter que dizer sua data de nascimento e o nome de seus pais.

O rapaz é o dono da área de lazer que está sendo construída no bairro São Judas Tadeu, inclusive com uma ampla piscina. Antes ele reformou a casa de sua mãe que fica em frente. As investigações apontam que ele é um dos integrantes da quadrilha que mais causou prejuízo no comércio da cidade, ao adquirir materiais de construção para as obras.

Com a prisão de Thiago Rodrigues, a Polícia Civil fecha as investigações, mas ainda aguarda novas vítimas que possam aparecer.

Área de lazer que Thiago construia no bairro São Judas Tadeu pagava com cheques sem fundos

Operação Pica Pau

A Operação Pica Pau prendeu o casal Sérgio Henrique Ribeiro da Silva, conhecido por “Zeca Urubu” e Regiane Aparecida da Silva, acusados de aliciar pessoas, a maioria delas usuários de drogas, para abrir contas bancárias, em agências de Três Pontas, Lavras e Pouso Alegre. Eles solicitavam talões de cheques nas instituições financeiras de Três Pontas que eram repassados no comércio, sabendo que não havia dinheiro nenhum na conta, causando um enorme prejuízo aos empresários.

Quando os cheques começaram a serem devolvidos por falta de saldo e a Polícia Civil iniciou os levantamentos, se identificou um grupo criminoso bastante organizado, que tinha além dos líderes, os cooptadores e os repassadores dos cheques. Cada um deles tinha um papel definido.

Além do casal foram presos: Elvis Coimbra Vitor, Daniel Lopes de Oliveira, Josiel Cirilo “Nenego” e Willian Bernardo Cândido.

As investigações apontaram até  agora um prejuízo de pelo menos R$25 mil.

Na terça-feira, a Operação contou com participação de policiais de civis da região, do Grupo de Operações Especiais (GOE) de Belo Horizonte e o auxilio do helicóptero Carcará.

Thiago nega integrar a quadrilha, mas não explica como estava construida a área de lazer
COMPARTILHAR

Comentários