*Processo começou em 1993, mas foi retomado em 1998 por Paolo Vilotta (a esquerda na foto)

Depois de 110 anos do seu “nascimento para a vida eterna”, ocorrido em 1905, mais um “trespontano”, Pe. Victor, será beatificado no próximo sábado, amanhã, 14 de novembro. O Santo Padre, para tal evento, enviou como representante o Cardeal Angelo Amato, Prefeito da Congregação das Causas dos Santos.

A Diocese de Campanha é generosa em santidade. Três são os candidatos aos altares dessa igreja particular: Madre Tereza Margarida do Coração de Maria, popularmente conhecida como “Nossa Mãe”, Beata Francisca Paula de Jesus, “Nhá Chica”, leiga, e o Servo de Deus Francisco de Paula Victor, sacerdote. O postulador da causa de canonização desses três exemplos de Três Pontas, é o italiano Dr. Paolo Vilotta, que segue mais de 25 processos de canonização no Brasil. O postulador concedeu uma entrevista ao site Zenit de Roma e contou sobre

Dos candidatos a santos brasileiros que você acompanha, três são da mesma diocese. Sabe dizer por que? Ou seja, você percebe naquela região muita fé nas pessoas?

Dr. Paolo: Sim, na diocese de Campanha seguimos três Causas, das quais dois beatos e uma serva de Deus cujo processo está na fase romana. A fé tem sempre o primeiro lugar nestas ocasiões e aqui temos um exemplo concreto. Além disso a Igreja e todo o povo demonstrou a exigência de querer trabalhar para que a sua devoção, que pelos dois beatos perdura e aumenta por mais de um século, pudesse ser também reconhecida oficialmente pela Igreja.

Quanto tempo para o Pe. Victor chegar ao altar? Por que tanto tempo?

Dr. Paolo: Oficialmente o processo começou em 1993, mas foi retomado em 1998 e desse tempo até hoje não podemos absolutamente dizer que passou muito tempo porque em tempos muito curtos foram reconhecidas a heroicidade das virtudes e depois foi reconhecido o milagre. Tanto para o beato Victor quanto para a beata Nha Chica passaram-se muitos anos para se começarem os processos, algo comum em todo o Brasil e se deve à falta de experiência nesse sentido. Mas, apesar disso, como já destaquei, a fama de santidade nunca diminuiu, pelo contrário, sempre aumentou e se difundiu em todo o Brasil e também em outros lugares do mundo.

A Santa Sé aprovou o milagre relativo ao Pe. Victor. Como é que este milagre foi recebido pela Santa Sé?

Dr. Paolo: Terminado o Processo na Fase Diocesana foi entregue todo o material processual à Congregação das Causas dos Santos, que procedeu ao estudo normal, até a promulgação do Decreto sobre o Milagre e, portanto, a sua aprovação.

Com qual sentimento, também você, postulador da causa, recebe a notícia sobre a beatificação?

Dr. Paolo: Tendo acompanhado todo o processo do milagre não me surpreendi, mas, certamente, tive uma imensa alegria pelo resultado obtido. Já faz tempo que eu conhecia a figura do Beato Victor, conhecia já Três Pontas e a grande fama de santidade que tinha e poder dar essa notícia para a Diocese de Campanha foi uma honra e uma alegria infinita. Há muitos anos que todo o povo trespontano sonhava com este momento.

ZENIT: E agora, como é procedimento até a canonização? O que falta?

Dr. Paolo: As atuais normas preveem que para a canonização seja necessário provar outro milagre que tenha acontecido depois da beatificação. (Fonte: ZENIT)

COMPARTILHAR

Comentários