A Praça Prefeito Paulo de Paiva Loures, no coração de Três Pontas, se transformou num enorme palco, sem vozes, ao som de dezenas de instrumentos no 2º Encontro de Integração de Bandas Municipais. Para aquelas que mantém viva a tradição das bandas e corporações musicais, como a mais que centenária Corporação Musical Luiz Antônio Ribeiro (foto abaixo). Na manhã deste domingo (03), ela se juntou a outras quatro cidades, Guapé, Machado, São Thomé das Letras e Nazareno. Convidada especial, a banda da APAE abriu as apresentações e sob a regência da maestrina Lidiane Brito debaixo de um sol forte, os meninos e meninas mostraram dom pelos instrumentos.

DSC02211Eles fizeram um rodízio, cada hora uma banda tocava, com os olhares atentos do público que aproveitou a sombra das árvores da Praça do Centenário para se acomodar. Todas uniformizadas, os integrantes da Corporação Musical União de Machado, usam terno e gravata. A Banda das Letras de São Thomé utiliza até bateria e escolheu canções que contagiaram o público. Não tem uma que não alegrou o público formado por crianças que aproveitaram o balanço da praça, jovens, adultos e gente de mais idade.

O maestro trespontano Wander Scalioni trabalhou bastante. Além de estar a frente da Corporação de Três Pontas é ele o maestro de Guapé. Foi ele quem conduziu todas elas quando chegaram na praça onde iriam se apresentar.

Para o maestro da Corporação Musical União de Machado, Rocival Alves, Três Pontas dá o exemplo, como poucas cidades de Minas Gerais de manter viva esta tradição no Estado. Muitas cidades já perderam no tempo, suas bandas marciais, corporações e todas as suas musicalidades. O maestro explica que banda marcial toca marcha para desfile e banda de música está sempre com seus componentes assentados, assim como foi feito neste domingo. As corporações tocam além de canções centenárias, músicas atuais. As que não seguem isto, acabam morrendo, por isto, Rocival acredita que é ficando sempre na mesmice, as crianças e jovens não se interessam em tocar. A banda que ele dirige possui 30 componentes, 20 alunos e ensaia duas vezes por semana.

O vice prefeito de Três Pontas e secretário de Educação, Cultura e Esportes Érik dos Reis Roberto afirma que o evento mobiliza a região, tem precisa valorizar as suas tradições. A tendência segundo ele, é aumentar o número de participantes ano que vem. A Secretaria de Cultura planeja realizar a integração outras vezes.

O prefeito Paulo Luis Rabello também acompanhou ao lado da família o evento e se disse surpreso com a presença do público, superando suas expectativas. Sobre a escolha da Praça do Centenário, o prefeito disse que ela é o berço da musicalidade, onde residia a família Tiso, cresceu Wagner Tiso e deu seus primeiros passos na música.


DSC02200
DSC02226
DSC02232

COMPARTILHAR

Comentários