O empresário e pré candidato a deputado estadual Marcos Vinícius Silva, visitou a cidade de Três Pontas esta semana para rever amigos e expor seu desejo de disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, nas Eleições de outubro deste ano.

Marcos Hema, como é conhecido, tem 39 anos e atua no ramo comercial atacadista, agropecuário e imobiliário. Proprietário da Hema Distribuidora, empresa que tem mais de 30 anos e que possui 600 funcionários, sendo 300 deles diretamente na sede da empresa em Boa Esperança.

Durante todos estes anos sempre morou na sua terra natal, saiu apenas por oito anos para estudar. Se formou em Direito e fez mestrado em Direito Tributário. Hema é filiado ao Partido Humanista da Solidariedade (PHS), tem como padrinho político, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, ex presidente do Atlético. É irmão do prefeito de Boa Esperança, Hideraldo Henrique Silva (PMDB), conhecido em todo o Sul de Minas pela boa gestão que empreende no município.

A decisão de entrar na vida pública foi tomada ao longo dos anos, ao ver a situação que vive o Brasil e o estado de Minas Gerais, que está sempre nas páginas políticas. Um grupo de empresários do bem, se reuniram e vão tentar entrar na política, com a intenção de administrar o estado que está quebrado. “Precisamos gerir Minas Gerais, da forma que gerimos nossas empresas. Queremos levar para a vida pública, aquilo que praticamos na vida privada. Se uma pessoa ganha R$2 mil, ela não pode gastar R$2,5 mil. Ela precisa ter um orçamento e gastar de acordo com suas possibilidades”, explica.

Marcos Hema tem muitos amigos, clientes e negócios em Três Pontas, a mais de 20 anos. Na opinião do empresário, a cidade é um pólo mundialmente conhecido por causa do café e esta cultura cafeeira precisa ser explorada. Como é cafeicultor, o setor será uma de suas bandeiras caso seja mesmo confirmado candidato com as convenções. Hema explica que é defensor da curva de laffer. Ela é uma representação teórica da relação entre o valor arrecadado com um imposto a diferentes alíquotas. “Se todo governo soubesse como praticar a curva de lafer. Quanto maior a tributação, maior será a sonegação. Precisamos levar a sociedade a dialogar com o Estado, para demonstrar que esta política não é correta”, opinou. O Estado precisa ter uma carga tributária justa, possibilitando que empresários possam investitr, gerando renda e impostos. Esta é uma das maiores bandeiras de Hema.

O empresário deseja que seu nome seja avaliado pela população e se povo achar que temos que votar no novo, em uma ideia e projetos novos, que tenha competência e capacidade, podem contem com ele. “Serei um defensor da região e Três Pontas é uma cidade desenvolvida, que inspira a região, que tem muita cultura, povo honesto e trabalhador.

COMPARTILHAR

Comentários