A prefeitura de Três Pontas tem disponível subvenção social para ajudar a Associação Brasileira Comunitária para a Prevenção do Abuso de Drogas (Abraço) um montante aproximado de R$ 2 mil, mas ela não apresentou seu plano de trabalho, documento importante para a prestação de contas do que está sendo feito com o dinheiro público, repassado pelo Poder Público.

Isto é a principal justificativa do prefeito Paulo Luis Rabello (PPS), à alegação da direção da associação para a falta de apoio. Segundo o gestor, desde quando foi prefeito pela primeira vez a ajuda tem chegado a Abraço e a todas as instituições que são parceiras do Município. Nos primeiros quatro anos, quando Paulo, foram R$18.4 mil. Neste mandato, desde 2013 nada ainda foi repassado, por falta do plano de trabalho. “Todo recurso público é necessário a prestação de contas, sem o plano é impossível. Estamos esperando que os membros da diretoria nos procurem para que possamos diante do plano repassar o dinheiro”, destacou.

O prefeito desmente que a verba não possa ser usado custear despesas como a conta de luz, água, telefone, entre. Isto pode, desde que faça parte do plano de trabalho e que no final fique comprovado.  “Sempre ajudamos e estamos de portas abertas para auxiliar. Não quero de forma alguma que a Abraço feche suas portas, pois sempre caminhamos juntos” diz.

Paulo Luis afirma que foi um dos fundadores da Abraço, quando ela chegou em Varginha. Em Três Pontas ela foi instituída na época da prefeita Adriene Andrade.

Ele desconhece que a direção tinha tomado a decisão de fechar as portas e só soube da reunião marcada através da Equipe Positiva e um convite oficial ainda não chegou até ele. A reunião será na quarta-feira (09), no Plenário Presidente Tancredo Neves, da Câmara Municipal a partir das 20 horas. Ele só soube do encontro através da Equipe Positiva.

A Abraço foi fundada em 2001. Sem fins lucrativos ela atende usuários de álcool de drogas, assiste seus familiares, muitos encaminhados por diversos órgãos públicos. Além disso, os membros da diretoria, que são ao todo 10, sem ônus algum realizaram e participaram de palestras, escolas, indústrias, cooperativas, fazendas o que atingiu cerca de 2 mil pessoas, destacando sempre a prevenção.

Para manter as atividades, a diretoria conta com a colaboração da comunidade que faz doações. A Abraço chegou a ter uma equipe de telemarketing, mas com a queda na arrecadação precisou ser desativada. Ao longo dos anos foram muitas dificuldades enfrentadas e até chegar agora, ao ponto da direção convocar a imprensa para divulgar que a entidade está com os dias contados.

COMPARTILHAR

Comentários