A chuva rápida, porém torrencial que caiu em Três Pontas na última quinta-feira (11), ganhou espaço na Tribuna Livre da Câmara Municipal, na sessão desta segunda-feira (15), durante o Pequeno e o Grande Expediente.

Quem começou o assunto foi o vereador José Henrique Portugal (PMDB), que disse ter acompanhado de perto as consequências provocadas pela enchente na Avendia Oswaldo Cruz e Zé Lagoa, que chegou a invadir casas e estabelecimentos comerciais. Não deixou feridos ou desabrigados, mas muita sujeira. Para o vereador, as pessoas reclamam e com razão e as perspectivas não são boas. Por isto, é preciso enfrentar e encarar o problema, buscar ajuda junto aos deputados mais votados e as autoridades dos altos escalões. E desabafou … “agora é que a gente precisa que eles mostrem a diferença, investir alto em algo que mexe com toda a estrutura da Cidade”, opinou.

O vereador Paulo Vitor da Silva (PP), apenas reafirmou que os moradores e comerciantes são prejudicados e a Administração, precisa mostrar que tem capacidade de envolvimento político, para corrigir este antigo problema.

Combate ao Aedes Aegypti

Os vereadores questionaram a Secretaria Municipal de Saúde, sobre as ações que estão sendo realizadas no combate ao mosquito Aedes Aegypti. O veredor Francisco Botrel Azarias (PT), disse que o governo federal disponibilizou R$500 milhões para combater o mosquito que está transmitindo a Dengue, a Chikungunya e o Zika Virus. Mas, as ações de prevenção em Três Pontas estão acanhadas, mesmo que tenha aumentado para 17 o número de agentes de endemias. É preciso envolver as crianças das escolas. A vereadora Valéria Evangelista (PPS), respondeu que por parte das escolas estaduais, elas já foram orientadas a mobilizar os estudantes e que o movimento deve começar nos próximos dias.

02

Escola e Conselho a todo vapor

O ano está começando na Escola do Legislativo de Três Pontas “Professora Maria Rogéria de Mesquita – Dona Rogéria”. A presidente Valéria Evangelista anunciou que os trabalhos já começaram, mas está precisando de parceiros que possam trabalhar com os alunos. O tema para 2016 é Mobilidade Urbana e levantamentos precisam ser feitos para sugerir as modificar nas leis de Minas Gerais, para melhorar a vida das pessoas de Três Pontas, da região e do Estado.

O que também está reiniciando as atividades é o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher. A primeira reunião do ano é nesta terça-feira (16) e vai discutir e elaborar a agenda de atividades e ações até dezembro.

Escola Edna de Abreu

Alguns vereadores como Valéria Evangelista elogiaram a Administração por causa da nova escola Edna de Abreu, no bairro Santa Edwirges. A obra está em andamento, mas seis salas e os sanitários já começaram a ser utilizados desde o começo do ano letivo.

O vereador Chico Botrel lembrou toda a história da escola, quando ela começou e atribuiu o seu funcionamento até os dias de hoje, a comunidade, liderada pela Associação dos Moradores dos Bairros Santa Edwirges e Santa Margarida (AMSESAM). Ela teria começado ao lado da Igreja Sagrado Coração de Jesus, depois na Avenida Urbano Garcia de Figueiredo Neto. Foi lá que cresceu o número de alunos e a escola se “firmou”. Terminou parabenizando insistentemente a Administração, que entendeu a vontade popular, que também soube se organizar. Em nome dos moradores e da entidade que representa a comunidade, agradeceu reconhecendo a diferença que esta obra vai provocar naquela região.

COMPARTILHAR

Comentários