Os professores da rede estadual de ensino fizeram um protesto na tarde desta segunda-feira (18), no Centro de Três Pontas. Na Praça Cônego Victor, a maioria vestida de preto, em demonstração de luto, os profissionais demonstraram a insatisfação com o Governo do Estado e pedem o fim do parcelamento e dos atrasos nos vencimentos mensais.

As aulas nas escolas do Estado em Três Pontas estão suspensas por tempo indeterminado, até que o Governo pague o salário do mês de maio, dos professores e de todos os funcionários da educação que estão atrasados. A reivindicação é que eles voltem a receber integralmente até o quinto dia útil de cada mês.

Alguns profissionais ouvidos pela Equipe Positiva, revelam que estão sendo vítimas do descaso, vivendo um transtorno. “Pagamentos parcelados em até três vezes e a primeira parcela, paga no meio do mês, o que já traz um descontrole total no planejamento orçamentário da família. Agora, para completar o descaso com a categoria, estamos sem receber e não sabemos quando receberemos. A forma com que vem pagando gera juros para muitos servidores que já tinham datas pré-estabelecidas para a quitação de suas contas. Somente uma alternativa, restou: parar com suas atividades. Eis o motivo que impulsionou tantos professores a uma paralisação”.

A suspensão das aulas foi tomada em Congresso do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG).

Em Três Pontas não tem aulas os alunos das escolas Deputado Teodósio Bandeira, Jacy Gazola, Maria Augusta, Tancredo Neves, Monsenhor Silveira, Cônego José Maria e Marieta Castro.

COMPARTILHAR

Comentários