A greve dos caminhoneiros contra os recorrentes aumentos no preço do óleo diesel, com fechamento de estradas em todo o Brasil, já provoca sérios problemas em Três Pontas. Eles vão além do que a falta combustíveis nos postos da cidade. Na terça-feira (22), motoristas aproveitaram para encher o tanque aonde ainda havia combustível disponível. Em um posto no Centro, filas enormes se formaram e o trânsito ficou parado, nas proximidades do Fórum Dr. Carvalho de Mendonça. Sem gasolina, álcool e diesel nas bombas e com o tanque vazio, já tem gente deixando o carro em casa e já se percebe uma movimentação menor de veículos nas ruas.

Todos os setores do comércio e da indústria estão preocupados com o reflexo da greve que está sendo imediato. Não tem mais gás de cozinha na cidade. As distribuidoras estão fechadas porque o estoque que seria capaz de atender os clientes vários dias zerou. A distribuidora Três Pontas Gás tinha a maior quantidade de gás, mas temendo ficarem sem o produto, muita dona de casa se preveniu e comprou até além do necessário.

A distribuidora de gás, Três Pontas Gás Três Pontas zerou seu estoque na noite desta quarta-feira (23). Na quarta-feira (23), o estabelecimento foi aberto com 410 botijões e atendeu os pedidos normalmente pelo telefone até as 11 horas. Segundo o proprietário Daniel José Vitor Silva, muita gente comprou três, quatro botijões. Para fazer um controle, a empresa deixou de fazer entregas e vender apenas para quem buscasse, limitando um por pessoa. Por volta das 18 horas, se formou uma fila enorme e duas horas depois acabou e teve gente que foi embora com o botijão vazio. A Três Pontas Gás está com seu estoque de  água mineral normal e só tem gás de empilheiras, que não serve para utilizar na cozinha.

Empresas que precisam das transportadoras para receber e enviar mercadorias, estão ficando sem matéria prima e alguns setores precisaram ser parados como é o caso da Mak Plast, onde os funcionários acabaram sendo dispensados.

Na fábrica de brinquedos Estrela se a situação dos caminhoneiros não for resolvida, funcionários serão dispensados para voltarem para casa. De acordo com o supervisor administrativo Márcio Roberto da Silva, a indústria também não está recebendo matéria prima e nem conseguindo transportar os brinquedos produzidos em Três Pontas para o Centro de Distribuição que fica em São Paulo (SP). Ele ainda não soube informar quantos colaboradores não irão trabalhar, mas grande parte da fábrica ficará parada.

Francis Henrique de Souza é o proprietário do Restaurante Netinho 2, e está tendo que economizar na cozinha para não acabar com o gás. No cardápio agora estão pratos que não demandam tanto tempo de cozimento e que não precisam assar menos. A preocupação maior é com o gás, porque financeiramente é difícil manter um estoque muito grande. Mas tem também o hortifruti que já está em falta. As folhas, como alface, couve é mais fácil encontrar em hortas orgânicas, mas as frutas que vem de fora começa a faltar alguns itens. Francis defende a manifestação dos caminhoneiros, mas existem fornecedores que dobraram o preço de produtos por causa do protesto dos profissionais.

O presidente da Associação Comercial e Agroindustrial de Três Pontas Bruno Dixini Carvalho (foto) afirma que as consequências do protesto já são drásticas e tende a piorar cada vez mais, a medida que o governo não cede. Itens como carnes, leites de caixinha e ovos são os próximos produtos que podem faltar nas prateleiras. Por outro lado, tem gente estocando as dispensas e comprando mais. No Super Kiko, na quarta-feira (23), as vendas cresceram cerca de 20%, no movimento na quarta-feira e na parte da manhã desta quinta, o número de consumidores já era 10%. “Teve um cliente aqui no supermercado que comprou muito macarrão e sardinha, dizendo que era para guardar. O medo está instalado”, contou Bruno Dixini. Na opinião dele, o presidente Michel Temer está tendo pouca gestão da crise e não consegue resolver o problema de forma efetiva e o povo é que paga um alto preço”, opniou o presidente da Acai-TP.

Serviços básicos do Município sofrem alteração

Serviços básicos prestados pelo município de Três Pontas irão sofrer alterações. A partir desta sexta-feira (25) não haverá atendimento nos Espaços Arco-Iris, Espaço Verde (Martinho Campos) e no Centro dos Idosos.

Não está descartado que o transporte escolar de alunos seja afetado pela falta de combustíveis, mas a coleta de lixo será realizada em dias alternados, já a partir desta sexta-feira (25), por isto, não haverá recolhimento todos os dias. Nos Distritos de Pontalete e Quilombo Nossa Sehora do Rosário não haverá coleta por prazo indeterminado e a coleta seletiva está suspensa. A Secretaria Municipal de Transportes e Obras orienta os moradores a ficarem atentos e não colocarem lixo na rua, quando não houver coleta.

Veja a escala

24/05 (quinta-feira) – horário normal de funcionamento, a partir das 17 horas
25/05 – Não haverá coleta
26/05 (sábado) – horário normal de funcionamento a partir das 6 horas
27/05 (domingo) – (período da manhã) somente na área central
28/05 (segunda-feira) – horário normal de funcionamento a partir das 17 horas
29/05 – Não haverá coleta
30/05 (quarta-feira) – horário normal de funcionamento a partir das 17 horas
31/05 – Não haverá coleta (feriado)
01/06 (sexta-feira) – horário normal de funcionamento a partir das 17 horas
***Nos Distritos de Pontalete e Quilombo Nossa Senhora do Rosário não haverá coleta de lixo, por prazo indeterminado.

*** Não haverá coleta seletiva. A Prefeitura pede a colaboração de toda população para aque não coloquem lixo nas calçadas, mantendo os resíduos nas dependências das residências até que a questão se normalize.

COMPARTILHAR

Comentários