SANTANA DA VARGEM Renato Teodoro da Silva de 52 anos, o Renato da Farmácia, foi eleito de Santana da Vargem, com 2.841 votos na Eleição suplementar realizada neste domingo (19). O segundo colocado foi Emerson Silva Araújo (PT) com 1.641 votos (34,87%) e João Martins Boaventura (PMDB) o terceiro com 224 votos (4,76%) do total dos votos válidos. Foram 102 votos brancos e 168 nulos. Ao todo, 4.976 compareceram as urnas (84,76%) e abstenção de 895 eleitores (15,24%).

Renato vai continuar na Prefeitura, já que em 1º de janeiro, ele foi eleito presidente da Câmara Municipal e como a cidade estava sem gestor, acabou ocupando o cargo interinamente.

Renato Teodoro da Silva nasceu em Lambari (MG), é casado e pai de três filhos. Comerciante e produtor rural, foi vereador em  por seis mandatos. Já disputou cargos de prefeito e vice, mas nunca tinha vencido. Já foi candidato a vice e a prefeito, mas nunca conseguiu vencer. Em 2012, foi derrotado por Vitor Donizetti Siqueira, o Vitor Elói.

Assumiu a prefeitura este ano, depois que Argemiro Rodrigues Galvão, que é do seu partido, venceu as Eleições, mas não teve sua candidatura deferida pela Justiça Eleitoral. Em 2005, ele teria realizado aberturas de créditos suplementares no Orçamento, sem autorização da Câmara de Vereadores.

Renato da Farmácia como é conhecido, concorreu na Coligação “Saúde em 1º lugar”, composta pelos partidos PDT/ PSL/PTB e PSD. Renato foi o último candidato a votar. Ele foi às urnas as 15:30, na seção de número 8, na Escola Estadual Padre João Neiva. As urnas demoraram para chegar e debaixo de muita chuva, servidores chegaram com os dados para serem transmitidos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A transferência demorou 12 minutos e foi acompanhada pela juíza eleitoral da Comarca de Três Pontas Dra. Aline Cristina Modesto da Silva e o promotor eleitoral Dr. Artur Forster. A juiza informou que a Eleição transcorreu tudo bem e dentro do esperado.

O prefeito eleito, deve ser diplomado entre os dias 1º e 08 de dezembro. A posse pode ser marcada a partir do dia seguinte, o que depende da Câmara Municipal.

COMPARTILHAR

Comentários