O vereador Roberto Donizetti Cardoso (PP), é um dos que fala poucas vezes durante as sessões, mas na reunião desta segunda-feira (27), o seu pronunciamento durante o Pequeno Expediente provocou os colegas de bancada com duras acusações.

Robertinho não fez rodeios e foi direto ao ponto. Depois de ouvir o vereador Geraldo Prado (PSD), parabenizar a Administração pela inauguração das Praças no fim de semana, ele minimizou afirmando que inauguração é feita quando se constrói algo e não quando se faz “reforminhas” como foi feita na Praça do Centenário, construída segundo ele, quando muitos que estavam no Plenário nem eram nascidos.

Depois, ele criticou os vereadores que foram fazer fofoca do seu nome para o secretário de Transportes e Obras José Gileno Marinho. Alguns ele já sabia que eram fofoqueiro, mas se surpreendeu e ficou muito triste quando soube que entre eles, estava o vice presidente da Câmara Benício Baldansi, quem conhece desde a infância. Ele não disse quais seriam os outros vereadores, mas foram à Secretaria dizer que ele estaria sendo beneficiando do cargo. De acordo com legislador, nem uma vaga de creche teria conseguido e ao que tudo indica o prefeito Dr. Luiz Roberto nem o conhece. Até quinta-feira, ele era responsável pela manutenção das estradas rurais, mas depois disso, Robertinho foi transferido. Os motivos para que isto acontecesse, talvez seja medo dele denunciar ao Ministério Público que máquinas da Prefeitura estejam fazendo serviço particular em propriedades rurais. Um dele durou 15 dias para ficar pronto.

O vereador revelou uma discussão que teve com o secretário de Transportes e Obras Gileno Marinho, e nela o legislador o chamou diversas vezes de mentiroso. “Uma moça foi usada para informar que uma Patrol estava parada há um ano no Almoxarifado. Porém, ele tem a prova que foi em novembro do ano passado que um eixo quebrou e nenhum prefeito é “trouxa” de arrumar para seu sucessor.

Gileno teria dito que não tinha conhecimento de uma outra máquina, a mais nova da Prefeitura estaria abandonada na Fazenda do senhor Edmundo. Porém, Robertinho disse que tem provas que ele sabe do paradeiro da Motoniveladora, que parou de funcionar no dia 28 de janeiro deste ano e o secretário teria inclusive ordenado a funcionários a retirar pneus da máquina. Robertinho também sabe que o estrago foi por causa de um filtro que custa R$120 que não foi trocado. Agora, o Município terá que desembolsar R$7 mil para colocá-la em funcionamento. Antes de terminar, ele alfinetou o prefeito, dizendo que “Três Pontas é o único lugar do Brasil, onde o prefeito é eleito e é outro que toma posse”.

Sobre as críticas as estradas rurais, Robertinho acredita que agora a Secretaria deve colocar alguém mais competente na função, já que quem aponta os erros não é certo e sim aquele que só diz que tudo vai bem.

Público que assistiu a sessão desta segunda-feira

Outros assuntos do Pequeno Expediente

O vereador secretário da Mesa Diretora Maycon Douglas Machado (PDT), falou das inaugurações do Parlamento Jovem em Lavras e da Escola do Legislativo em Maria da Fé. Sem poder participar, Maycon parabenizou os professores da rede estadual de ensino que na última semana, protestaram contra a Reforma da Previdência.

O vereador Sérgio Eugênio Silva (PPS), não estava se sentindo bem. Mesmo assim foi a sessão, mas não conseguiu ficar muito tempo por causa da alteração de sua pressão arterial. Antes de ir embora, ele falou de uma cobrança que recebeu em uma rede social, sobre uma suposta ameaça que a mãe de um jornalista sofreu do secretário de Transportes e Obras Gileno Marinho. Uma “jovem senhora”, foi intimada quando colocava seu lixo para fora de casa, em uma lixeira anexa a sua residência. “Ela se sentiu constrangida porque disseram a ela que poderia ser multada”, alertou. Serjão informou que a mulher se sentiu constrangida ao ser ameaçada, tanto é que seus familiares expuseram o caso e eles merecem confiança. Ele pediu aos colegas vereadores da base, para que leve isto ao prefeito Dr. Luiz Roberto, pois a questão do horário da coleta de lixo divide opiniões, que precisam ser respeitadas.

Érik dos Reis Roberto (PSDB), que também foi marcado na questão da senhora que foi constrangida por causa do lixo, comentou que a questão do horário da coleta divide opiniões. A alegação é que no horário de pico atrapalha o trânsito, porém, as 17 horas, quando começa a ser recolhido o movimento de veículos também é enorme no trânsito. Os garis estão insatisfeitos e reclamam ainda que deixaram de receber a insalubridade.

O vereador Geraldo Prado (PDT), parabenizou a Secretaria de Transportes e Obras pelo trabalho que está sendo feito nas estradas. Coelho anunciou que o trabalho que está sendo desenvolvido será mais duradouro e vai perdurar pelo menos dois anos, sem a necessidade de nova manutenção. Ele defendeu a Administração das críticas e pediu tempo já que são apenas três meses de governo. Quando o prefeito ou algum secretário errar, podem ter a certeza que Coelho irá cobrar, anunciou.

 

COMPARTILHAR

Comentários