O Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) da Macro Região Sul de Minas Gerais completou neste domingo (31), um ano de sua implantação. O serviço, que beneficia 152 cidades, que compõem a macrorregião, atende aproximadamente 2,7 milhões de pessoas, incluindo os trespontanos e constitui o maior Samu do Brasil em termos de atendimento, número de municípios e bases.

Atualmente, o Samu da Macro Região Sul conta com 593 profissionais trabalhando nas bases e Central Operativa. Neste primeiro ano de funcionamento foi levantado um número de aproximadamente 370 mil ligações ao serviço.  As USBs – Unidades de Suporte Básico – realizaram mais de 87% dos atendimentos, enquanto as USA’s – Unidades de Suporte Avançado – totalizaram um percentual superior a 12% dos atendimentos.

As causas que mais demandaram atendimento por meio das Unidades foram as clínicas e traumáticas, seguidas, respectivamente, pelas obstétricas, pediátricas e psiquiátricas. Destas causas, a que mais demandou suporte avançado foi a pediátrica. O Núcleo de Educação Permanente (NEP) realizou, durante o primeiro ano, treinamentos com os profissionais das 34 bases descentralizadas, incluindo condutores socorristas, técnicos de enfermagem, enfermeiros e médicos.

De acordo com o Secretário Executivo do Cissul/Samu, Jovane Ernesto Constantine, “com o início do serviço, os casos com risco iminente de morte passaram a ser referenciados com maior agilidade, principalmente onde a assistência e o suporte à saúde são menores”. Para Jovane, a adaptação é um processo natural e, após os seis primeiros meses de funcionamento, o reconhecimento por parte dos municípios foi ainda mais efetivo.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) repassa, mensalmente, R$ 2, 6 milhões para mantê-lo em funcionamento. O Samu Macro Sul possui sua sede – Central Operativa – no município de Varginha e atualmente conta com 34 bases descentralizadas na região, que realizam atendimentos de Urgência e Emergência por intermédio das 43 ambulâncias do serviço – 34 de suporte básico e 9 de suporte avançado, com estrutura de UTI.

Gerenciado pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde da Macro Região Sul de Minas Cissul (CISSUL), o Samu é um dos componentes da Rede de Urgência e Emergência da Macro Região Sul, contando com 28 hospitais credenciados. O Conselho Diretor é presidido pelo prefeito do município de Monte Sião, João Paulo Ribeiro.

Na inauguração em janeiro de 2015, o prefeito Paulo Luis com os funcionários da base de Três Pontas
Na inauguração em janeiro de 2015, o prefeito Paulo Luis com os funcionários da base de Três Pontas

Conscientização

Entre os projetos desenvolvidos pelo NEP estáSAMU viatura o “Samuzinho”, com foco nas escolas públicas e privadas. Ele visa conscientizar crianças de 7 a 15 anos sobre a importância do Samu, além de alertar para o perigo dos trotes e orientar sobre primeiros socorros básicos. Das 370 mil ligações ao serviço; 17% foram trotes.

Para a coordenadora do NEP, Kátia Ferreira, “o retorno dos treinamentos oferecidos pelo NEP é muito ativo, principalmente por parte das equipes de Atenção Básica, que passam a ter um contato mais estreito com a Urgência e Emergência”. Para 2016, outro projeto será capacitar Prontos Socorros e UTIs.

SAMU em Três Pontas é um divisor de águas no sistema de saúde

SAMU 2

Desde que a base do SAMU em Três Pontas começou a funcionar, e os socorristas começaram a atender, eles se tornaram indispensáveis à população. Quem ouve a sirene de uma Unidade quando eles estão em deslocamento para qualquer atendimento, as pessoas pensam logo em acidente, mas nem sempre é este caso.

É obvio que eles mudaram o conceito de socorrismo na Cidade e a falta deles pode ser catastrófica para a saúde dos trespontanos. Ao longo deste primeiro ano, foram várias situações que chamaram a atenção. Mas são os acidentes que mais repercutiram entre as pessoas e principalmente nas redes sociais. Mas nem sempre é isto.

SAMU 1

Um dos casos que chamou a atenção foi em março de 2015 e ganhou a imprensa do sul de Minas. Trata da transferência de um paciente, que sofreu queimaduras em 46% do corpo e precisava de atendimento especializado. O helicóptero Arcanjo 04, do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais fez um vôo pela vida e salvou uma vida.

SAMU 4

Em outubro de 2015, os socorristas fizeram um parto dentro de uma Unidade de Suporte Básico (USB). Uma jovem de 26 anos que mora no bairro Morada Nova, chamou a ambulância porque estava com contração, mas o bebê começou a nascer quando a ambulância ainda estava em deslocando. Quando a viatura chegou na porta da Maternidade Nossa Senhora de Fátima do Hospital São Francisco de Assis, a criança já estava vindo ao mundo e foi preciso fazer o parto, utilizando um kit que fica a disposição para estes casos de urgência. A criança foi um menino de 2.780 kg que nasceu a 00:23 e se chama Davi Luiz.

A Base Descentralizada do SAMU, entrou em funcionamento no Sul de Minas desde 31 de janeiro, mas foi inaugurada em 09 de março em uma cerimônia simples. A base atende também as cidades em um raio de 150 quilômetros, entre elas, os municípios que integram a micro região, como Santana da Vargem, Coqueiral, Boa Esperança e Ilicínea. Ela conta com 10 profissionais que possuem uma Unidade de Suporte Básico (USB “ambulância”). A Unidade fica abaixo da Rodoviária e ao lado da sede da Guarda Civil Municipal (GCM). A Central Operativa da Rede de Urgência da Região fica em Varginha. (Fotos: Arquivo EP)

COMPARTILHAR

Comentários