Denis Pereira – A Voz da Notícia

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Regional, com sede em Varginha, acontece na manhã desta sexta-feira (30). Segundo o presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Macrorregião do Sul de Minas (Cissul), João Paulo Ribeiro, a cerimônia de inauguração acontece às 11h na sede do consórcio, em Varginha. Os trabalhos em todas as unidades do Sul de Minas, inclusive Três Pontas começam no dia seguinte, no sábado (31) e vão atender 153 municípios da região.

Para o prefeito de Três Pontas Paulo Luis Rabello, o início das atividades do SAMU fecha uma lacuna que existe no Município de ter um transporte de urgência e emergência a disposição da cidade, já que uma das bases estará instalada em Três Pontas que é sede de micro, abrangendo Santana da Vargem, Coqueiral, Boa Esperança e Ilicínea. A ambulância que ficará na unidade localizada ao lado da sede da Guarda Civil Municipal (GCM), e abaixo da Rodoviária, servirá para a população destes municípios. “Quando acontecer um acidente que em que houver a necessidade de transferência o SAMU já terá o destino certo para levar o paciente que esteja em estado de urgência ou emergência. Todas as pessoas que necessitarem de média ou alta complexidade serão transportadas através deste serviço”, afirma Paulo Luis. Quando a Prefeitura necessita de uma ambulância UTI é preciso acionar a empresa que venceu a licitação em Itajubá, o que demora no mínimo duas horas para chegar. Com o SAMU funcionando as emergências serão sanadas e será o serviço responsável pela busca de vagas em hospitais da região, assim como faz o SUSFácil.

Para ajustar o novo serviço de saúde, o 192 está temporariamente desativado, mas volta ao normal no sábado, já com a equipe do SAMU. Por isto, as chamadas para a ambulância no Pronto Atendimento Municipal (PAM) devem ser feitas através do 3266-6265.

Na solenidade que acontece em Varginha, o prefeito receberá provavelmente do governador Fernando Pimentel a ambulância e onde serão conhecidos os profissionais que trabalharão na base de Três Pontas.

A implantação da estrutura de R$ 3 milhões, que deveria estar atendendo 153 municípios do Sul de Minas desde outubro do ano passado, foi adiada três vezes, ainda durante o mandato do ex-governador Alberto Pinto Coelho. Primeiro por problemas com convênios e com o governo estadual e depois porque faltavam médicos para o quadro de serviços.

Os adiamentos também causaram transtornos para os profissionais convocados para o serviço. Muitos pediram demissão de empregos anteriores e agora estão sem salários. Dos 700 aprovados do concurso em 2013, apenas 34 estão trabalhando.

 

COMPARTILHAR

Comentários