Poder de fogo da quadrilha e iniciativa de usar reféns como escudo assustou a cidade

A Polícia Militar de Santana da Vargem, de Três Pontas, Boa Esperança e do 24º Batalhão de Varginha procuram por uma quadrilha que explodiu os caixas eletrônicos das duas agências bancárias em Santana da Vargem, na madrugada deste domingo (05).

Cerca de 10 a 15 homens fortemente armados com fuzis, sub metralhadora e calibre 12 chegaram por volta das 4:40 da manhã. Os bandidos teriam usado pelo menos cinco veículos – uma moto, duas caminhonetes Hillux e Strada, dois Gols e um Ecosport.

Eles foram direto a uma lanchonete na Praça da Matriz, onde estão localizadas as duas agências, do Banco do Brasil e do Sicoob. O bando enfileirou mais de 20 moradores que ficaram de mãos dadas no meio da rua em frente a Prefeitura, formando uma espécie de escudo ou barreira para dificultar a chegada da Polícia Militar. Eles usaram dinamite e explodiram primeiro o caixa do Sicoob e em seguida cortaram os fios de uma das câmeras de segurança do Banco do Brasil antes de explodirem os quatro caixas do estabelecimento. Os dois ficaram destruídos. O estrago maior foi na agência do Banco do Brasil, onde todo o prédio foi atingido. Não foi divulgado quanto havia nos caixas, mas segundo informações não seria muito dinheiro.

O barulho das explosões foi ouvido de muito longe e assustado os moradores. O comerciante Mauro Joaquim de Souza tem uma farmácia que fica entre as duas agências. Ele saiu na janela depois de ouvir o primeiro estouro e perceber uma grande fumaça. Não teve dúvidas de que era no banco, só não imaginava que o alvo seria os dois.

A Equipe Positiva encontrou um jovem que estava entre os reféns. Ele não quis se identificar, mas contou que havia muita gente lanchando, quando dois homens chegaram encapuzados e armados com submetralhadoras. A dupla disse que não queria nada deles, que estavam ali para roubar o governo, mas ordenou que todos, inclusive os funcionários saíssem e ficassem de mãos dadas na rua e de cabeça baixa. Eles formaram um círculo e ao lado da Prefeitura permaneceram, enquanto a outra parte do grupo já estava nos bancos, preparando os dinamites. De lá ouviram todas as explosões. O refém também contou que eles carregavam sacos pretos, certamente para colocar o dinheiro. Assim que fizeram terminaram as explosões, eles liberaram os reféns e saíram dado tiros para o alto. “Foi um momento de terror ninguém imagina passar”, definiu.

A Polícia Militar acionou o cerco em todas as cidades da região. Militares encontraram na zona rural do Município, próximo a um pesqueiro uma caminhonete Strada com placas de Ribeirão das Neves. O veículo teria sido roubado em Contagem.

Menor de 16 anos correu da PM mas foi apreendido, suspeito de participar da quadrilha
Menor de 16 anos correu da PM mas foi apreendido, suspeito de participar da quadrilha

06Um menor de 16 anos foi apreendido depois de uma perseguição com uma viatura da PM. De acordo com o sargento da PM Rogério Rosestolato, em Boa Esperança, uma guarnição desconfiou de um Fiat com dois ocupantes com características iguais aos veículos usados no crime.  Os militares deram ordem de parada, mas o motorista não obedeceu e foi perseguido por uma estrada vicinal. Em um ponto da estrada ele perdeu o controle da direção e se acidentou. Mesmo assim tentou fugir em direção a uma mata. Com apoio de outras viaturas, um deles foi localizado.

Ele contou que é de Boa Esperança, tem participação em diversos assaltos a veículos, mas nega participação no crime em Santana da Vargem. Porém, tudo leva a crer que ele é um dos integrantes da quadrilha. O carro que ele estava, havia sido roubado em Bom Jesus da Penha, mas ele fala que foi em Santo Antônio do Amparo.

O próprio menor informou que já roubou carros também em Cristais. Ele será encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Varginha.

DSC04942DSC04944DSC04947DSC04949DSC04950

DSC04927

DSC04933DSC04938DSC04934DSC04931DSC04928

COMPARTILHAR

Comentários