A determinação do órgão ambiental do Estado que fez a Deliberação Normativa número 128 exige que todos os municípios terão que ter o tratamento de esgoto até 2017, ou seja, uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). Caso isto não aconteça, haverá sanções assim que começar as fiscalizações.

Não é o caso de Santana da Vargem que tem em funcionamento, desde o fim do mês de agosto a sua ETE. A obra avaliada em R$1.773.711,61 começou a ser feita em 2010, pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e fica as margens da BR 265, no quilômetro 413.

A equipe responsável pela obra, fazia várias visitas, chamadas de inspeção. Periodicamente e ampliando o número de conferência na fase final, todo o cronograma estipulado foi seguido e o prazo foi cumprido.

A unidade tem capacidade de 17 litros por segundo de vazão de entrada da estação e vai atender bem toda a cidade nos próximos 25 anos. Além do elevatório de esgoto, a ETE possui laboratório.

Santana deixou de lançar o esgoto in natura, nos mananciais e receptores e agora, trata corretamente, de acordo com os padrões ambientais exigidos e respeitando uma questão que é também de saúde pública, afirmou, o gerente da Copasa em Varginha Marco Aurélio Ribeiro.

COMPARTILHAR

Comentários