Carro novo vai custar R$77,5 mil. Câmara já tem um Corolla 2009 mas presidente acha o veículo antigo

Em tempos de crise, de recessão e de cortes de gastos, os vereadores da Câmara Municipal de Santana da Vargem aprovaram um projeto de lei que causou a indignação de Osmani Silvio de Paula (PT), “Osmani do França”, – o único legislador que votou contrário, a nova aquisição do Poder Legislativo.

Eles tiveram pressa. A lei de suplementação foi aprovada por 7 votos a 1, na sessão desta terça-feira (06), em caráter de urgência e a justificativa usada não convenceu Osmani que está inconformado com o gasto de R$77.500,00.

O documento que é assinado pelo presidente Emerson Silva Araújo (PT), explica que o carro que ainda será escolhido – marca, modelo e cor, terá estas especificações apresentadas em um processo licitatório. O problema é que o Poder Legislativo já utiliza de um Corolla 2008/2009 cedido pela Prefeitura, desde 16 de julho de 2013. Apesar do ano, para demonstrar a necessidade de um veículo zero quilômetro, o projeto afirma que o veículo é antigo, a manutenção muito cara e que o automóvel está precisando de reparos em várias partes, uma vez que suas peças estão apresentando desgaste devido aos quilômetros já rodados.

02
Para vereadores, carro ano 2009 (que está na garagem) já é antigo e por isto aprovaram compra de um veículo zero no valor de R$77,5 mil

De acordo com a Câmara, um levantamento feito pelo órgão, apontou que as peças que necessitam serem substituídas ultrapassam o valor de R$30 mil. E dá mais detalhes. Recentemente foi trocada a caixa de câmbio do Corolla que custa R$18 mil, mas por cortesia a concessionária não cobrou.

Outros problemas são apresentados reforçar a importância da aquisição. Todos os anos há problemas para regularizar a documentação, já que o veículo é da Prefeitura.

Para o presidente da Câmara Emerson Araújo, “não há dúvida de que não compensa gastar um assombroso valor para consertar um veículo antigo, seria o mesmo que jogar dinheiro fora, principalmente por que o valor para arrumar o carro é quase a metade do valor de um novo, que não irá dar manutenção cedo e possuirá garantia de no mínimo alguns anos”.

Ainda de acordo com o Chefe do Legislativo, tal medida visa respeitar o dinheiro público, pois por estes motivos, irá ao final economizar dinheiro.

OSMANI“Momento não é propício. Município tem outras urgências”, afirma vereador

Apesar de serem do mesmo partido, Osmani teve um posicionamento diferente do presidente Emerson Araújo e dos demais vereadores. Para Osmani do França, o momento não é propício e a compra é inviável. Muito além do que a crise, o Município está precisando de recursos para investir, por exemplo, no término das obras na Avenida Hélio Terra e do Centro de Saúde que precisa também ser equipado. “Devolvendo estes R$77 mil, o Poder Executivo poderia estar investindo o dinheiro em favor da população”, criticou. Além disso, a Câmara está em poder do melhor veículo que pertence ao patrimônio do Município, superior inclusive ao carro do Gabinete do Prefeito. “Votei contra e sou contra”, termina o vereador.

COMPARTILHAR

Comentários