A reportagem publicada sobre a compra do carro zero para a Câmara Municipal de Santana da Vargem repercutiu imediatamente nas redes sociais. No Poder Legislativo, na sessão ordinária desta terça-feira (13), os vereadores demonstraram insatisfação com a atitude do vereador Osmani Silvio de Paula (PT), ao divulgar seu voto contrário à aquisição que vai custar R$77,5 mil, com recursos que segundo eles, foram economizados por eles próprios, mesmo que a Prefeitura tenha cedido um Corolla 2008/2009 por tempo indeterminado.

Os representantes do povo não se conformaram com as críticas postadas nas redes sociais. O mais indignado foi o presidente Emerson Silva Araújo (PT), que é do mesmo partido de Osmani. Na fala, o atual comandante da Casa de Leis praticamente anuncia que não tem mais clima dentro do partido, sua permanência no PT é incerta e a situação parece ter ficado insustentável.

É dele a autoria do Projeto de Resolução para a compra do automóvel. O dia que leu a reportagem e os comentários, segundo ele maldosos, mexeram com o seu emocional ao ser taxado de ladrão, quando na verdade ele diz ter o maior respeito ao dinheiro público, promovendo uma economia para devolver ao Executivo. Por fim, Emerson Araújo fez críticas ao não ser informado qual o destino que o dinheiro toma toda vez que a devolução é concretizada.

Público na sessão ordinária da Câmara de Santana da Vargem
Público na sessão ordinária da Câmara de Santana da Vargem

Para demonstrar o quanto preza por isto, divulgou em um discurso que preparou uma lista do que foi feito no seu primeiro e segundo mandato como Presidente. Para ele, isto precisa ser veiculado, já que percebeu a grande influência que a Equipe Positiva tem em toda a região. Se dirigindo aos vargenses presentes no Plenário e ao colega Osmani alguns números importantes foram citados.

Em 2013, Emerson teria devolvido aos cofres da Prefeitura quase R$80 mil, sendo que teve menor orçamento em proporção, se comparado aos presidentes anteriores, pois houve aumento no quadro de funcionários por causa do Concurso Público e aumento da remuneração dos vereadores. Outra medida adotada para cortar despesas, foi deixar de usar o celular que era de uso exclusivo da presidência. Hoje, quando precisa é o dele, particular, que é utilizado. A Câmara de Santana da Vargem possui uma das menores diárias pagas do Estado de Minas Gerais. O valor que foi gasto em 2013 não foi informado, mas o presidente justifica que foi muito pequeno. Além disso, a cada fim de ano, não é pago 13º salário aos vereadores, diferente do acontece na região. No site do Poder Legislativo que Emerson diz ter mandado fazer, estão todos os gastos que podem ser consultados por qualquer um a qualquer hora. Até as assinaturas dos jornais foram interrompidas.

Nos dois anos a frente do Poder Legislativo, a devolução integral feita ao Poder Executivo foi de R$200 mil, mas a Prefeitura sequer informa onde foram aplicados estes recursos e emendou crítica a gestão. “O prefeito faz o que quer com esse dinheiro, inclusive por ir para o pagamento da Festa do Peão, ao invés de ir para a saúde, educação ou assistência social”, abriu o jogo o Chefe do Legislativo.

“Estou profundamente chateado e com um sentimento de indignação muito grande, pois eu e os senhores, estamos batalhando duro, sério e honestamente para respeitar o mandato que nos foi confiado pelo povo vargense e vem um colega [Osmani] se utilizar de um jornal para querer se promover as nossas custas, dando a entender que só ele se preocupa com o dinheiro público. Na verdade o único aqui que faz as cosias pensando em si é o senhor Osmani, pois todos os projetos e pedidos de indicação que o nobre faz é atrás de votos e apoio político”.

Emerson revelou que uma das primeiras pessoas que teria apoiado a compra do carro foi justamente o vereador Osmani, mas milagrosamente, após uma conversa com o prefeito [Vitor Elói], mudou de ideia, comprovando que na verdade só faz o que o prefeito quer e não tem vontade própria, desabafou o Chefe do Legislativo.

Ele continuou e disse que a Câmara hoje não tem um carro, o que eles usam é da Prefeitura e irá retornar para ser usado pelo Executivo, da forma que achar melhor. Estranhamente, nesta terça-feira, o presidente recebeu uma ligação da secretária de Saúde, Jorgelaine Talma Caires Miranda pedindo o empréstimo do veículo, porque a prefeitura não tem carro suficiente para atender a população doente.

Para demonstrar a importância que é o Legislativo ter um automóvel de uso restrito aos vereadores, na busca de recursos e emendas, é que foi utilizando dele que conseguiu cadeiras de dentistas para o Centro Odontológico, dois aparelhos de eletro para o coração e outros para equipar o PSF. As mais recentes conquistas anunciadas por Emerson, são – um carro para a saúde, no valor de R$35 mil e mais R$30 mil para equipar uma sala de fisioterapia.

O presidente Emerson Araújo prosseguiu afirmando que se sentiu triste em ser vereador, pois trabalhando duro e honestamente nunca iria ler esse tipo de comentário. Foi ainda o pior dia de sua vida como político. Sua filha comentou que estaria perdida ao ir para a escola, pois as pessoas estavam chamando o pai dela de ladrão. Mais uma vez, se dirigindo ao colega de partido e vereança, o vereador afirmou que desta vez, Osmani e o prefeito teriam ido longe demais. “Fui eleito para representar minha comunidade tendo como uma única promessa a de trabalha, trabalhar e trabalhar e acho que quem saiu na campanha prometendo casas foi você e o prefeito, então cumpra o compromisso de vocês. Não será jogando a população contra nós que vão fazer esquecer das promessas”, acrescentou.

Sobre valores demonstrados no Projeto de Resolução aprovado na semana passada, da caixa de câmbio e da cortesia que a concessionária ofereceu, Emerson reafirmou tudo e disse mais. A cortesia foi porque todas as revisões foram realizadas em dia e na mesma concessionária.

Em defesa do presidente

02 SESSÃO
Emerson usou a maior parte do tempo para defender das acusações que foram feitas nas redes sociais

Com exceção do vereador Vitor Eugênio de Souza (PT), todos os demais saíram em defesa do presidente, reafirmando o voto favorável à compra do carro e a necessidade do veículo próprio do Poder Legislativo. Eles listaram um monte de recursos e verbas que teriam conseguido indo a Belo Horizonte e Brasília usando do carro emprestado pela Prefeitura. Josino Silva (PDT) foi o primeiro a demonstrar sua indignação ao colega e classificou o ato como baixaria em um dia infeliz.

Carlos César Ribeiro foi o que mais demonstrou que o veículo é essencial na busca de recursos. Ele teria conseguido mais de R$300 mil nestas viagens em que o carro foi usado.  O mesmo pensamento tem Expedito Alves de Oliveira que afirma que os colegas buscam dinheiro para ser aplicado a favor do povo.

O vereador Joel Teodoro da Silva estava afastado da Câmara por problemas de saúde, não votou o projeto, mas se estivesse presente também votaria favorável.

Marcos Roberto da Silva falou em honestidade, tocou na construção da Câmara Municipal e disse que mais uma vez a compra foi bem planejada, é legal e é com recursos do Poder Legislativo.

Para Sebastião Araújo o carro usado por eles que é da Prefeitura pode ser pedido a qualquer momento e que nunca foi usado a toa, vai servir a todos e quando terminarem o mandato vai continuar fazendo parte do patrimônio.

Osmani se defende das acusações e diz que continua contra

04 SESSÃO
Osmani diz que não tem compromisso com o Prefeito

O vereador Osmani de Paula falou algumas vezes, entre um e outro colega. Reafirmou que a reportagem foi fiel ao projeto de lei, que a sua versão dada demonstra o seu pensamento, que o prefeito não interferiu ou interfere nas suas decisões e que mesmo sendo da Mesa Diretora, o seu voto não precisa ou tem que acompanhar os demais.

Mais uma vez, Osmani repetiu ser contra a aquisição do automóvel, mas já foi favorável em 2013. Para o petista, o gasto é desnecessário neste momento, já que existem outras prioridades, como obras que demandam recursos que a Prefeitura não tem para fazer ou concluir e que se o Legislativo devolvesse seria sim usado em favor do povo vargense.

Osmani em momento algum teria dito que o presidente ou alguém é ladrão ou estaria roubando, quis apenas mostrar que ele não compactua com a decisão da maioria em comprar o carro, se antecipando para quando o veículo chegar, a população ver e questionar.

COMPARTILHAR

Comentários