Especialista apontou para a Secretaria de Educação que crianças precisam de um descanso, ficando mais tempo com a família, assim como acontece nas escolas que tem no ano 60 dias de férias

As crianças atendidas pelos 10 Centros Municipais de Educação Infantil de Três Pontas, as chamadas creches, vão entrar pela primeira vez entrar em recesso a partir do dia 16 de dezembro de 2013 até 05 de janeiro do ano que vem. Depois que funcionários das unidades foram comunicados deste período de descanso às crianças, os pais começaram esta semana a serem avisados. As reuniões estão acontecendo gradativamente e nesta terça-feira (19), o encontro foi na Escola Municipal Professora Nilda Rabelo Reis e reuniu aproximadamente 100 pessoas entre pais, mães e responsáveis. O clima foi tranqüilo e os familiares entenderam a nova proposta que a todo momento foi destacada como importante e benéfica aos assistidos pelos Centros de Educação.

Quem explicou os motivos do descanso foi o psicólogo Luciano Virginio de Castro que falou das propostas de mudanças que ele levou ao Poder Executivo, a fim de melhorar a qualidade do ensino em Três Pontas. “São coisas que estão sendo feitas com conhecimento de causa, que foram estudadas com pesquisas e estudos feitos por especialistas da educação, mas sabemos que nem todas vão agradar”, disse Luciano Castro.

A modificação proposta neste fim de ano letivo de fechar as creches, afeta diretamente a vida de quem depende das unidades já que os filhos terão que ficar em casa. Segundo o profissional, que atende diariamente voluntariamente crianças em seu consultório e vai até as creches, há crianças com apenas três de idade com distúrbios de comportamento, que falam em matar, traficar, roubar, ficam agressivos, levam objetos para a casa. Nesta faixa etária eles tem dificuldades de aprendizagem e concentração, com um nível de estresse na vida das crianças que estão dentro da escola, tanto que é notório o aumento assustador de violência contra professoras, funcionários e colegas de sala.

Por conta disso, alertou o Luciano é que há uma grande dificuldade no sistema educacional de repor professores. Mesmo com as dificuldades de empregos que existe, muitos profissionais começam a trabalhar e logo pedem licença porque não agüentam trabalhar com a educação, o que tem deixado o setor deficitário. A convite do secretário de Educação Érik dos Reis, foi feito um trabalho com os profissionais levantando as dificuldades que tem sido enfrentadas. Depois foi apresentado à secretaria as propostas de mudanças que serão aplicadas durante o mandato, entre elas o recesso, mesmo que politicamente isto seja ruim para o próprio prefeito Paulo Luis e Érik, porém, está se honrando e cumprindo os compromissos de campanha, que entre as propostas está o de cuidar das crianças.

“Por causa disso como profissional da área, fiz uma recomendação ao secretário Érik Professor, para melhorar o nível de aprendizado, diminuir o nível de estresse, e dar o que é direito das crianças, um período chamado de descanso pedagógico também nas creches. Os pais que querem o bem para seus filhos, vão entender que eles precisam de um tempo com a família e principalmente de um descanso”, adiantou.

Neste período de fechamento, as creches passarão por reparos, reformas e melhorias para o início do próximo ano letivo.

Érik explicou que existe uma Resolução do Ministério da Educação que precisa ser seguida. Antes era preciso ter 250 dias de presença nas creches. Antes elas pertenciam a Secretaria Municipal de Assistência Social. Hoje com mudança e a responsabilidade de gerir todo o sistema sendo da Secretaria de Educação, os Centros precisam funcionar como escola e não tem férias nenhuma. Ao contrário do calendário escolar que tem 30 dias de descanso em janeiro, 15 em julho e 15 no mês de dezembro, totalizando 60 dias paralisação nas atividades todos os anos. As unidades ficam abertas de janeiro a janeiro. Acatando esta primeira sugestão, serão apenas 12 dias de recesso, contabilizando que nos dias 24 e 25 de dezembro por causa do Natal e o 31 e 1º de janeiro por conta das festas de fim de ano, as creches já estão de portas fechadas.

O próprio Conselho Nacional de Educação (CNE), reafirma que férias escolares na educação infantil é importante para estimular a convivência familiar da criança (conforme a Constituição Federal), seja para viabilizar a adequada organização pedagógica e curricular das unidades de Educação Infantil, preservando, igualmente, a relação e a identidade entre professor e alunos, que se mostra ainda mais importante nas primeiras experiências da educação formal, além de ser este período indicado para se realizar serviços de manutenção, dedetização e desratização do espaço físico escolar, além do planejamento. A criança não vai à creche simplesmente porque seus pais trabalham e não têm com quem deixá-la, ou porque na creche se oferece complementação alimentar. Muito além desses objetivos, a creche e a pré-escola têm como finalidade o desenvolvimento integral da criança até três anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade. Estas instituições são, acima de tudo, escolas e devem funcionar como tal.

Outra proposta que está começando a ser implantada na rede educacional é a instalação de câmeras em todos os 10 centros que estão na cidade e na zona rural. Tudo será registrado e acompanhado de dentro da Secretaria de Educação, para que não haja por parte de professores e profissionais, nenhum abuso contra as crianças. Para o bom profissional isto não vai fazer nenhuma diferença, já que o objetivo é também de cuidar das crianças.

No próximo ano, todas as crianças de 4 e 5 anos da educação infantil vão receber um dos melhores materiais didáticos do país que está sendo adquirido, permitindo assim que os pais acompanhem a educação dos seus filhos. (Denis Pereira – A Voz da Notícia)

DSC03714-001

COMPARTILHAR

Comentários