Nos dias atuais, apesar da satisfação de grande parte da população com maior acesso a bens e serviços fornecidos no mercado de consumo, é preciso atentar ao fato de que o aumento do padrão de vida não implica em melhoria da qualidade de vida. Isso ocorre, porque o consumismo promete o que não pode cumprir: a busca da satisfação e da felicidade através da aquisição de bens e serviços. O consumo desenfreado é motivado pelo desejo de reconhecimento social, em que o grau de sucesso pessoal é medido pela demonstração de riqueza. Onde o “ser” está sendo superado pelo “ter”. Atualmente não basta “ter”, é preciso “parecer”.

E foi a partir desse tema que com o pensamento avançado, a professora de sociologia Rosiari Abreu, propôs aos alunos do 1º ano da Escola Estadual Jacy Junqueira Gazola, fazer um novo olhar crítico sobre a importância do capital, tendo em vista, o aprimoramento do modo de pensar sobre a natureza capitalista.

O projeto foi desenvolvido no dia 04 de agosto, no Supermercado GF. Os estudantes compararam os preços, analisaram as embalagens, observaram as atitudes das pessoas ao administrar o capital, e depois refletiram sobre como o dinheiro influencia na vida das pessoas.

O gerente do supermercado Matheus Costa Santos, recebeu a professora e os alunos de braços abertos, oferecendo todo apoio necessário, dando força ao projeto. Tudo isso também só foi possível devido ao apoio e a credibilidade da diretora do estabelecimento educacional Luciene Kilo, do vice Francisco Ragner e incentivo da supervisão e orientação da escola, que confiaram no profissionalismo da professora Rosiari. Dessa forma os alunos ao final do projeto fizeram relatórios sobre o que aprenderam. O dinheiro é importante na vida das pessoas, mas não é o fator principal e que deve se ter essência, valorizando mais o “ser” do que o “ter” ou “parecer”.

COMPARTILHAR

Comentários