*Apae de Três Pontas quer com o dinheiro, concluir a montagem de uma padaria na própria instituição

O Hospital São Francisco de Assis e as Apaes de Três Pontas e Santana da Vargem estão fazendo os últimos acertos para o show da dupla sertaneja universitária Maiara e Maraísa, que vão se apresentar neste domingo, dia 02 de julho, no Estádio Municipal Ítalo Tomagnini, o Campo do TAC, no Centro de Três Pontas. A festa integra as comemorações dos 160 anos de emancipação político administrativa do Município.

A renda será dividida entre as entidades, que são fundamentais para a comunidade e exercem um papel social vital nas duas cidades. A expectativa, segundo a organização, é que 12 mil pessoas participem do show e além de poder aproveitar o sucesso que as irmãs estão fazendo em todo o Brasil.

O provedor Michel Renan Simão Castro está que é só disposição, apesar dos compromissos que anda tendo no Hospital. Como já curtiu o show delas em Belo Horizonte a poucos dias, vai trabalhar na bilheteria. Os portões serão abertos as 21 horas e antes das irmãs, o trespontano Bruno Cabral fará um show seguido do Full DJ.

Os ingressos podem ser adquiridos antecipadamente na Apae, Associação Comercial, Hotel Ouro Verde, Speciale, Atacadão Baldansi, Conveniência Posto São José e Kanto RG. Em Santana da Vargem a venda acontece apenas na Apae.

O Campo do TAC será dividido em 4 áreas. A pista custa R$40 e meia entrada para estudantes custa apenas R$20, mas é necessário apresentar declaração escolar ou a carteirinha. Lá haverá uma barraca para atender. A área vip custa R$80 e quem estiver nela tem direito a consumir cerveja, refrigerante e água. Para o camarote a entrada é R$120 e garante vodka, cerveja, refrigerante e água. Haverá uma praça de alimentação disponível para quem estiver neste local vendendo salgados e a renda será para o Hospital. Já no camarote golden que custa R$160 tem de tudo – vodka, cerveja, refrigerante, água, wisky e salgadinhos variados.

As entradas podem ser parceladas no cartão de crédito, mas há um acréscimo da administradora do cartão. No cartão de débito não tem nenhuma cobrança a mais, mas a compra só pode ser feita no Hotel Ouro Verde. Menores de 16 anos só entram acompanhados dos pais e precisam estar munidos de documentos. Eles estarão identificados com uma pulseira por causa do uso de bebidas alcoólicas.

Dinheiro vai para pagar contas do Hospital e nas Apaes é montar padaria e ampliar estrutura

Michel Renan reconhece os esforços que os trespontanos estão fazendo, se mobilizando em prol ao Hospital, mas neste momento a necessidade é de dinheiro para arcar com as despesas e honrar compromissos. Ele pede mais uma vez que as pessoas compareçam no show de Maiara e Maraísa. Além de garantir diversão, estarão colaborando com as entidades que tem um cunho social nobre. As Apaes com seus atendimentos mudam a vida de crianças, jovens e adultos e o Hospital que salva vidas.

Ao completar 45 anos e estar em parceria a frente da organização de mais um grande show, a Apae que atende a 432 pessoas com deficiências, é conveniada ao Sistema Único de Saúde (SUS) e faz o Teste da Orelhinha além de fisioterapia, tem atualmente 85 funcionários e uma folha mensal de pagamento que varia de R$80 a R$100 mil e se mantém com o dinheiro que recebe. Não tem dívidas mas não há recursos quem sobram e para alavancar novos projetos é necessário fazer eventos e é justamente este o objetivo – arrecadar dinheiro para montar uma padaria.

De acordo com a diretora Maria Rozilda Gama Reis, a instituição já recebeu de doação da Cemig, Furnas e Pró Vida, todos os equipamentos para a fabricação de alimentos de padaria, inclusive já produz para atender sua demanda interna. Falta agora a estrutura para a comercialização. A Apae já tem inclusive mão de obra treinada através de um programa de educação profissional com meninos que estão aptos a entrar no mercado de trabalho, mas enfrentam dificuldades para serem incluídos fora da instituição. Apesar de já ter inserido 42 pessoas no trabalho formal, inclusive com carteira de trabalho assinada, segundo Rozilda, com a padaria será possível dar esta oportunidade, ajudando as famílias e garantindo uma renda constante para a Apae.

Na Apae de Santana da Vargem, é a estrutura para atendimentos a população e aos seus assistidos que vai receber investimentos com o dinheiro que irá chegar. A vice diretora Suzana Maria Lucas disse que eles precisam construir uma nova cozinha e refeitório, garantindo mais comodidade aos seus 240 alunos que recebem carinho, atenção e amor dos profissionais de lá. Mensalmente são mais de 2,5 mil atendimentos com médicos, fisioterapeutas e fonoaudiólogas.

Foto destaque: Divulgação

COMPARTILHAR

Comentários