Três homens com idades entre 33 e 53 anos foram presos acusados de baterem carteira durante o Dia do Padre Victor (23), na Avenida Oswaldo Cruz. Dois deles são de Governador Valadares e o outro de Belo Horizonte e, de acordo com a Polícia Militar estariam agindo em conjunto para praticar os furtos a pessoas que estavam no trecho da Avenida.

Militares monitoraram suspeitos que andam geralmente em grupos, em locais já conhecidos na incidência de delitos. Os alvos são sempre escolhidos, onde há uma grande concentração de pessoas. Eles param em várias barracas, não compram nada e observam quem está passando.

O primeiro foi preso no meio da Avenida. Os outros dois no cruzamento das avenidas Ipiranga com Oswaldo Cruz. O que chama a atenção é que o rapaz que estava com uma CNH de uma das vítimas havia recebido o documento de um outro, que foi reconhecido pela vítima.

Valter de Souza Neves de 53 anos estava carregando uma sacola de roupas. A cada furto, ele trocava de roupas para não ser identificado.

Os outros são Edmilson de Souza de 43 e Cristiano Lopes da Silva de 33 anos, que nasceu em Governador Valadares, mas mora em BH. Uma folha de cheque de vítima, dinheiro e as roupas foram apreendidas. Eles foram presos e encaminhados a Delegacia de Policia Civil de Varginha. As prisões aconteceram no fim da tarde.

Policiamento reforçado e lançado com planejamento

Feira Prisões

A Polícia Militar lançou um esquema de policiamento para coibir os crimes praticados durante as festividades de Padre Victor. Com isto, o número de furtos praticados pelos batedores de carteiras diminuiu, aumentou-se as abordagens em locais com maior frequência dos crimes, mas é obvio que não acabou. Em alguns casos, antes dos ladrões se desfazerem de cartões de planos de saúde, cheques e dinheiros eles acabaram sendo presos. Os militares da Companhia de Três Pontas que contaram com apoio no efetivo de policiais de Varginha registraram boletins de ocorrências de vítimas com idades variadas. Todas elas, afirmaram estarem distraídas ou deixaram a mostra carteiras e bolsas. Apesar dos alertas, isto é rotineiro e estas pessoas se tornam vítimas.

O policiamento foi comandado pelos Tenentes Bruno Neves e Sanges Guimarães, contou com viaturas de quatro e duas rodas.

COMPARTILHAR

Comentários