Escola de Sargento das Armas fechou o desfile

No aniversário de Três Pontas não pode faltar o tradicionalíssimo Desfile Cívico. Por isto, em todo 03 de julho, muita gente sai de casa cedo com destino ao Sambódromo Jaime Abreu, na Avenida Oswaldo Cruz, para acompanhar as apresentações das escolas, centros municipais de educação infantil e convidados. Estes convidados são sempre surpresa e neste domingo, quando já se iniciava a tarde, os sons dos instrumentos da Banda da Escola de Sargentos das Armas (ESA), chamaram a atenção. Foram eles os responsáveis por encerrar o desfile e cantar os parabéns para Três Pontas pelos 159 anos de emancipação político administrativa.

DSC05696O encontro de estudantes, pais e profissionais da educação com a comunidade foi iniciado com o hasteamento das bandeiras, feito pelo prefeito de Três Pontas Paulo Luis Rabello, a vereadora Valéria Evangelista Oliveira e o Chefe da Guarda Civil Municipal (GCM), Sargento Edward Naves. As autoridades não fizeram discursos e a centenária Corporação Musical Luis Antônio Ribeiro sob a regência de Wander Scalioni executou o Hino Nacional Brasileiro.

O tema da apresentação das escolas na Avenida, foi “Bendizendo o teu passado, saúdo o teu presente”. Foi este o foco explorado pelas escolas. Frase do Hino de Três Pontas, composto por Gileno Tiso, grande músico trespontano, quando ainda tinha 13 anos de idade, que foi o primeiro homenageado no desfile.

A Banda da Apae que ao longo dos anos está se evoluindo muito e o 180º Grupo de Escoteiros Boa Vista, que celebra a retomada de seus trabalhos em prol da sociedade, foram os primeiros a passarem pelo Sambódromo. Começando a resgatar páginas importantes fundamentais para o progresso da cidade, a extinta Boa Vista foi um dos primeiros temas. O cultivo da cana para produção do açúcar, colocando a cidade na lista dos maiores produtores e com isto gerou milhares de empregos, foi representada. Passaram pela cafeicultura, base forte da economia trespontana, que mesmo diante da crescente mecanização, continua empregando e influenciando em todos os setores.

Mas também mostraram o presente. As indústrias que aportaram em Três Pontas, ajudam na arrecadação de impostos e no sustento de milhares de famílias, como a fábrica de Brinquedos Estrela, a Artvac, a TDI Máquinas e a Cocatrel.

E se o desfile foi para contar a história de Três Pontas, não poderia faltar uma homenagem ao saudoso professor de educação física Celso Macário. Vindo de Caeté, se destacou na educação e no esporte, como professor e diretor da Escola Estadual Prefeito Jacy Junqueira Gazola. Foi um dos propulsores para a criação do Departamento Municipal de Esporte da Prefeitura de Três Pontas, onde desenvolveu diversos projetos, como o Esporte para Todos, Torneio entre Bairros (TEB) e Copa Futsal do Trabalhador. Celso Macário faleceu no dia 31 de maio de 1997, e é lembrado com muito carinho e saudades.

Com a homenagem, atletas que se destacaram e aqueles da atualidade que estão ganhando título em várias modalidades exibiram troféus, medalhas e até cinturão, do campeão Sul Americano de Jiu Jitsu, Valdir Ribas Sabino, o Dil, que já participou de 27 lutas profissionais de MMA.

A terra da música, do café e da fé, também homenageou os artistas de Três Pontas, lembrou do famoso Wood Stock Mineiro de 1977, que trouxe grandes nomes da música brasileira como Fafá de Belém, Ivan Lins, Milton Nascimento, entre outros. Para reconhecer a musicalidade que existe por aqui, não se pode esquecer da Família Tiso, dos festivais de música da década de 80 e 90, do Conservatório Musical Heitor Vila Lobos e da Marolo Produções que produz o Festival Música do Mundo, entre tantos outros que se misturam a cultura, como o Encontro das Companhias de Reis.

Da fé, o Beato Padre Victor, suas virtudes e um pouco da sua história foi mostrado por várias escolas.

Os trespontanos só deixaram o Sambódromo quando já se iniciava a tarde, atrás da Banda da Essa, que fez uma participação especial em mais um aniversário. O desfile mais uma vez agradou e surpreendeu o público que é sempre muito participativo.

COMPARTILHAR

Comentários