A segunda-feira, 16 de abril, foi de muita tristeza e comoção em Três Pontas, por causa da morte da ex-prefeita Adriene Barbosa de Faria Andrade (53), Conselheira do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais.

Desde o anúncio de sua morte em São Paulo (SP), onde estava internada, trespontanos demonstraram nas redes sociais, o carinho pela ex gestora que marcou a história política em Minas Gerais. Começou pela sua dedicação e defesa as políticas públicas voltadas aos portadores de necessidades especiais. Depois de 14 anos, ela galgou voos mais altos. Em 2000, foi eleita a primeira mulher prefeita de Três Pontas e realizou uma administração que investiu no social, na saúde, na infraestrutura e na geração de empregos. Trouxe para o município que tem sua principal fonte de renda a produção de café, empresas como a Estrela e a Tecnotêxtil.

Os filhos de Adriene, Diego e Bruna chegaram no carro funeral que trouxe o corpo da mãe

No fim da tarde, muita gente foi para a frente da sede da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) se despedir de Adriene. O local para o velório foi escolhido e o pedido feito por ela em vida foi atendido, demonstrando seu carinho pela instituição e o amor que ela sempre demonstrava pelos trespontanos. Eles esperaram até a noite para acompanhar a chegada do cortejo. A segurança foi reforçada com a Polícia Militar, a Guarda Civil Municipal (GCM) e uma equipe de segurança. O corpo veio desde São Paulo em um carro funeral, chegou pouco depois das 20:00 horas e nele vieram os filhos da ex prefeita Diego Barbosa de Faria Brito e Bruna Barbosa de Faria Brito. A recepção foi com música – o Hino Centenário de Três Pontas executado pelos alunos da Apae. Em outro veiculo chegou seu marido, o ex senador Clésio Andrade (MDB).

Já nas dependências da Apae, a música ficou por conta dos músicos Alex Tiso e Mauro Marques. Clésio recebeu o abraço de familiares, políticos, aliados e muitos anônimos que sentiam a doçura com que Adriene tratava as pessoas. Ela tinha em seu DNA o poder da conciliação, a alegria transmitida no sorriso e a confiança de gente de todas as idades, por isto, foi tão querida, não apenas pelos seus feitos em quatro anos de mandato a frente da Prefeitura (2001-2004), mas pela sua forma de ser.

O velório acontece na quadra coberta da Apae, rodeado por dezenas de coroas de flores e uma estrutura montada especialmente para o funeral. Primeiro o local foi aberto apenas para familiares e amigos e depois ao público para dar seu adeus à Adriene. Registraram presença na chegada do funeral – o deputado federal Diego Andrade (PSD-MG), os conselheiros do TCE-MG Vanderley Ávila, José Alves Viana e o presidente da Casa Cláudio Terrão, os prefeitos de Três Pontas e Boa Esperança, Dr. Luiz Roberto Laurindo Dias (PSD) e Hideraldo Henrique Silva (MDB), vereadores de Três Pontas e secretários municipais.

Carro funeral no pátio da Apae

Uma parte da Rua Barão da Boa Esperança está interditada desde as 15:00 horas de ontem. As bandeiras no Município estão a meio mastro, inclusive na Prefeitura e na Praça Cônego Victor. Não há aulas desde ontem na Apae. Os alunos foram dispensados e os atendimentos voltam normalmente nesta quarta-feira (18). Foi decretado luto oficial de três dias em Três Pontas e Boa Esperança, terra natal de Adriene onde ela será sepultada as 11:00 horas da manhã, no Cemitério Municipal. A Câmara de Vereadores de Três Pontas divulgou uma nota de pesar, que foi lida no início da sessão ordinária desta segunda-feira. Nela diz que “a contribuição de Adriene para o desenvolvimento da cidade está estampada no rosto de cada trespontano que agora chora uma perda lastimável”. Eles também fizeram um minuto de silêncio.

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais deputado Adalclever Lopes (MDB), em nota destacou que “Adriene dedicou-se à vida pública e marcou a história da política mineira ao conquistar cargos nunca antes ocupados por mulheres

Adriene Andrade lutava contra o câncer a oito anos. Fez tratamento e durante cinco anos, exerceu suas atividades normalmente, mas nos últimos dois anos e meio, a situação se agravou novamente e ela precisou ser internada. Na manhã desta segunda-feira (16), ela não resistiu e morreu.

COMPARTILHAR

Comentários