O Pequeno Expediente não foi demorado, mas teve assuntos que chamaram a atenção na sessão ordinária desta segunda-feira (14). A reunião foi sem som e por isto, em alguns momentos com a conversação dos colegas, foi difícil ouvir quem estava falando, seja da Tribuna ou das bancadas eles tiveram que erguer a voz.

A secretária da Mesa Diretora Valéria Evangelista Oliveira (PPS), foi a primeira e conclamou para que todos se mobilizem para combater o mosquito Aedes Aegypti, que transmite além da Dengue, Chikungunya e agora a Zika. Ela comentou que o mosquito só evoluiu nos últimos anos, que a equipe ainda é pequena, apesar da Secretaria Municipal de Saúde ter recentemente aumentado para 17 o número de agentes de endemias, as pessoas precisam ter a consciência e cada um fazer a sua parte.

O líder do prefeito na Câmara Sérgio Eugênio Silva (PPS), voltou a condenar os pronunciamentos dos colegas que segundo ele, não condiz com a realidade. Serjão foi direto e se referiu ao comentário do vereador José Henrique Portugal (PMDB), que na semana passada falou que não é vereador de cabresto, insinuando que os legisladores da situação sejam guiados pelo Executivo. “Talvez o vereador [Portugal] tenha falado em um momento de emoção. As vezes a gente fica nervoso e fala coisas que sabe que não condiz com a verdade e que ofendem”, acrescentou

Ele também criticou panfletos que foram distribuídos pela Cidade, que fazem supostas acusações ao prefeito Paulo Luis Rabello (PPS) e suas irmãs, em questões familiares. Para Sérgio Silva, o panfleto demonstra que as Eleições começaram cedo, bem antes do tempo previsto.

O vereador Antônio Carlos de Lima (PSD), primeiro condenou a situação das estradas da zona rural. Apesar de cobrar, disse que de nada adiantaria, o que seria “acender vela para defunto que não compensa”.

Depois, criticou a localização do Jardim das Esmeraldas, onde foram construídas as 316 casas do Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal na saída para Campos Gerais. Antônio afirmou na bancada que viu algumas pessoas na tarde desta segunda-feira, andando pelo meio da rua e fez anúncio que chamou a atenção dos representantes do povo. Antônio do Lázaro prevê que vai acontecer acidentes graves com as famílias que vão precisar usar a via [a Rua Barão da Boa Esperança]. Ele ainda foi além. Disse que a Administração quer fazer política sem pensar no amanhã, em um lugar onde não tem creche, posto de saúde, transporte e muito menos calçada. “Podem ter a certeza que vão  vão acontecer acidentes lá”, prevê Antônio do Lázaro.

O presidente da Câmara Luis Carlos da Silva (PPS), explicou que conversou com a empresa que faz o transporte coletivo que já fez o estudo para atender os moradores do novo bairro e assim que for oficialmente entregue, a “Circular” vai ampliar o trajeto. Antônio foi ao extremo e perguntou se o transporte seria de graça.

Ainda sobre as casas, Francisco Botrel Azarias (PT), disse que ao visitar o novo bairro, presenciou as famílias que foram selecionadas fazendo a vistoria dos imóveis. Ele conversou com algumas pessoas e viu a felicidade que os beneficiados estão. Alertou que a CEMIG ainda não fez a ligação da energia elétrica, apesar dos postes e fiação estarem colocados. Ao visitar a Secretaria Municipal de Assistência Social, soube que não há previsão de quando o serviço seja feito.

O seu último assunto, foi a 11ª edição do Arrastão Natal sem Fome, realizado anualmente pela Associação dos Moradores dos Bairros Santa Edwirges e Santa Margarida (AMSESAM). Desta vez haverá a participação além da Assistência Vicentina, membros do Rotary, Rotaract, Interact, Clube Desbravadores Guardiões da Serra da Igreja Adventista do 7º Dia, também a ONG Anjos de Assis da Santa Casa de Misericórdia de Três Pontas. A arrecadação de alimentos será no próximo domingo (20), a partir das 9:00 horas da manhã, com saída do Campo do Vila e um trajeto a pelo menos 19 bairros, que devem ser visitados pelos voluntários das entidades e instituições citadas.

COMPARTILHAR

Comentários