O Pequeno Expediente da sessão da Câmara Municipal desta segunda-feira (24), teve pontos que chamaram a atenção. Desde os assuntos apresentados durante os 5 minutos de cada vereador, até a presença do público nas cadeiras do Plenário Presidente Tancredo Neves. Em determinado momento, nas duas últimas fileiras se juntaram – o presidente da Associação Comercial Michel Renan Simão Castro, o ex-vereador João Victor Mendes de Gomes e Mendonça, o ex candidato a deputado estadual Hércules Cristo (SD), o servidor Ronne César e os ex servidores Ederson o popular Dedê e Deivis Victor “Deivinho”.

O vereador Antônio do Lázaro, como rotineiramente faz, mostrou indignação quanto a revogação do Plano de Cargos e Salários e espera que agora nos próximos dois anos finais do mandato do atual prefeito Paulo Luis ele saia do papel. Antônio também comentou a entrevista do Chefe do Executivo na Equipe Positiva, onde foi afirmado que já foram cumpridos 77% dos compromissos da Administração. Na verdade, Paulo Luis disse que foram cumpridos 77% na área da Saúde e 70% na Educação. O oposicionista afirmou que nada foi feito, a não ser perseguir funcionário e gerar empregos com altos salários para cargos de confiança na prefeitura. “ Ele[o prefeito] dá cargos para uns ficar fofocando. O povo não é bobo. Está terminando o segundo ano de mandato e 99% das promessas não foram cumpridas”, esbravejou na Tribuna.

Alessandra Vitar Sudério Penha (PPS), parabenizou o Executivo pela revitalização do Parque Multi Uso da Mina do Padre Vitor que vai começar. O local é bastante usado na área do lazer e do esporte.

Já o prestígio da Administração vem dopresidente Sérgio Eugênio Silva Silva (PPS), pela melhoria nas estradas da zona rural, que ficou durante muitos anos sem manutenção, denunciou Serjão. Ele recriminou aqueles que só criticam quando está ruim, mas não reconhecem quando o trabalho está sendo bem feito.

Antes mesmo de começar as manifestações, o vereador Francisco Cougo (PT), atropelou todo o regimento e ao invés de esperar o término do Pequeno Expediente ou se inscrever nele, interpelou o presidente Sérgio Eugênio Silva (PPS), pedindo a retirada do projeto de lei de sua autoria, que Declara de Utilidade Pública o Conselho Comunitário Municipal de Segurança Pública (CONSEP). O próprio presidente já deferiu a retirada por causa da falta de documentos para que o projeto seja votado.

COMPARTILHAR

Comentários