Promotores de justiça da Comarca de Três Pontas e do GAECO

 

Os primeiros quatro meses de investigações resultaram na Operação “Trem Fantasma”, deflagrada nesta terça-feira (15), pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), núcleo Varginha, com apoio da 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Três Pontas, culminou na prisão de dois secretários municipais da Prefeitura e mais três servidores da Administração.

O cumprimento de 16 mandados de busca e apreensão e cinco de prisão temporária no Município, movimentou o Centro da cidade e uma multidão se aglomerou em frente a porta da Delegacia de Polícia Civil, para onde os presos foram levados. Na saída, eles foram hostilizados, moradores comemoraram as prisões e soltaram até fogos de artifícios. A dispersão da Praça Tristão Nogueira só aconteceu após o último preso ser conduzido para o Presídio, onde permanecerão por cinco dias. Ela pode ser prorrogada por mais cinco dias e depois ser transformada em preventiva.

Os promotores de Justiça com apoio da Polícia Militar foram em oito prédios públicos, sete em imóveis particulares e um em imóvel particular localizado na cidade de Coqueiral. Foram apreendidos computadores, documentos, celulares, quatro armas de fogo e munições. Lojas de peças e posto de combustível foram alvos da atuação.

Durante a tarde, na sede do Ministério Público da Comarca de Três Pontas, em uma entrevista coletiva promotores falaram das investigações que começaram a quatro meses, após uma representação feita pelo vereador Roberto Donizetti Cardoso (Progressista).

O esquema

De acordo com o promotor coordenador do Gaeco Dr. Igor Serrano Silva, as investigações apontam que 12 veículos e máquinas da frota do município receberam peças e combustíveis, mesmo não estando sendo utilizados mais. A ação estaria acontecendo desde o ano passado. Os promotores constataram por intermédio de fotos e depoimentos de servidores municipais, que os veículos estavam parados em data anterior aos supostos fornecimentos. “Muitos veículos foram encontrados em estado de conservação muito precário, até mesmo sucateados, e em razão disso nós fizemos e continuamos fazendo a comparação entre os fornecimentos de peças e combustíveis e as datas em que as testemunhas e os mecânicos, sobretudo, informaram que esses veículos pararam”, explicou Dr Igor.

Dr. Igor deixou claro que os cinco presos até o momento ostentam a condição de investigados. A medida tomada pelo MP, foi de maneira instrumental, que não se perdesse a prova que estavam produzindo diante dos elementos que surgiram durante as investigações. A linha segue pelo crime de peculato.

Não existe denúncia formal apresentada ao Ministério Público e ainda não existe réu em processo. Todos os mandados foram cumpridos nos limites da legalidade e foram usados somente os instrumentos necessários por parte do Ministério Público e dos agentes que apoiaram a Operação, ressaltou a promotora Dra. Ana Gabriela Brito Melo Rocha no encontro com os jornalistas.

As apreensões

Durante o cumprimento dos mandados, na casa de dois investigados foram localizadas quatro armas de fogo e munições. Ainda não se sabe se eles possuem porte legal. Um cortador de grama que pertence ao patrimônio municipal foi encontrado na casa de um dos investigados, em Coqueiral.

Os presos

As prisões dos secretários municipais José Gileno Marinho (Transportes e Obras) e Roberto Barros de Andrade (Fazenda), foram nas primeiras horas do dia.

José Gileno Marinho (foto) trabalhou como gerente de banco, antes de ingressar em cargos públicos. Começou na Prefeitura com a ex-prefeita Adriene Barbosa de Faria Andrade e atuou nas secretarias de Fazenda e Transportes e Obras e foi Chefe de Gabinete. Ele foi diretor da Rádio Sentinela FM entre os anos 2002 e 2007 e depois foi para a Rádio Três Pontas, que acabou fechando no ano passado. No mandato de Luciana Mendonça foi secretário de Obras e no atual mandato do prefeito Luiz Roberto Laurindo Dias, ocupava três secretarias: de Transportes e Obras, Agropecuária e de Meio Ambiente. Ele foi exonerado de duas pastas justamente após o início das oitivas realizadas pelo Ministério Público na semana passada. Ele continua o secretário de Meio Ambiente.

Roberto Barros de Andrade (foto) foi servidor da Prefeitura por 39 anos e se aposentou em 2015. Ao longo destes anos, ocupou cargos de confiança em várias administrações, como de Administração e Recursos Humanos, Fazenda e Indústria e Comércio. Junto com os filhos é dono de várias empresas, como dois postos de combustíveis, uma marina no Pontalete, a empresa de transporte urbano de passageiros, laboratório de análises clínicas e uma agência de turismo.

Segundo o promotor Dr. Artur Forster Giovannini, os investigados foram ouvidos formalmente e, analisando ainda os materiais apreendidos, o Ministério Público chegará à conclusão se houve participação destes investigados e até mesmo de terceiros que possam não ter sido até agora identificados.

Também foram presos Ralph Duarte Funchal (chefe da Divisão de Apoio Administrativo, mas atuava na Secretaria Municipal de Indústria e Comércio), Francisco Henrique de Araújo (chefe da Divisão Mat.Pat.Serv.Gerais) e Nicésio Campos Silva (chefe da Divisão de Tesouraria).

A Operação “Trem Fantasma” teve a participação de 37 policiais militares, oito promotores de Justiça, sete servidores do Ministério Público, 12 fiscais da Receita Estadual e um policial civil.

Os promotores Dra. Ana Gabriela, Dr. Igor Serrano coordenador do Gaeco e Dr. Artur Forster

Prefeitura colabora com investigações

A Prefeitura de Três Pontas informou através da Assessoria de Imprensa, que acompanha e colabora com as investigações do Ministério Público. No primeiro momento, aguarda as conclusões dos levantamentos e por enquanto não irá se manifestar.

COMPARTILHAR

Comentários