A sessão ordinária da Câmara Municipal de Três Pontas foi cheia de expectativas na noite desta segunda-feira (21), por conta da repercussão das investigações realizadas pelo Ministério Público que culminou com a deflagração da Operação Trem Fantasma, que prendeu cinco pessoas da Administração Municipal.

No Pequeno Expediente, os vereadores da oposição falaram da fama que a cidade tomou, por conta das suspeitas levantadas e apresentadas pelo vereador Roberto Donizetti Cardoso (Progressista). Mas foi o final da reunião que mais chamou a atenção dos vereadores e daqueles que ainda permaneciam no Plenário Presidente Tancredo Neves.

No Grande Expediente, Robertinho não estava inscrito, mas pediu para se pronunciar. Ele revelou que havia acabado de falar com o colega Geraldo José Prado (Coelho – PSD), que teria confidenciado a ele, que na quinta-feira (17) ele estava conversando na porta da Prefeitura com o prefeito Dr. Luiz Roberto Laurindo Dias (PSD), na companhia do procurador geral do Município Yves Duarte Tavares e o vereador Antônio Carlos de Lima (Antônio do Lázaro – PSD), foi quando o gestor teria dito que “vereador que faz denúncia pode amanhecer morto”. O Chefe do Executivo, não teria citado nome, mas, ao que tudo indica seria para Robertinho.

Preocupado com o que pode acontecer com o colega, Coelho só expôs o acontecido durante a reunião. A denúncia provocou espanto nos demais legisladores e nas pessoas do público, que se atentaram novamente ao término do Grande Expediente.

Robertinho pediu então à Câmara, que oficie o Ministério Público e as polícias Militar e Civil, para que ele tenha segurança e adiantou que se algo acontecer com ele, a responsabilidade é do prefeito Dr. Luiz Roberto. Em entrevista à Equipe Positiva após a sessão, Coelho disse que ele também se assustou e não esperava ouvir aquilo do Prefeito.

O presidente da Câmara Luis Carlos da Silva (PPS) informou que irá oficiar urgente as polícias conforme solicitado. Ele esclareceu que ao término das investigações do Ministério Público, o Poder Legislativo deve pedir a documentação para tomar as providências cabíveis.

Robertinho foi até a sede da 151ª Companhia de Polícia Militar e registrou um boletim de ocorrências.

Prefeito diz que não vai se pronunciar, mas registra ocorrência

Por meio de sua Assessoria de Imprensa, o prefeito Dr. Luiz Roberto (foto) disse que está sendo vítima do crime de calúnia e tomará as medidas legais cabíveis e se pronunciará em nota do tempo oportuno. Na manhã desta terça-feira (22), o Chefe do Executivo  e registrou um boletim de ocorrências na Polícia Militar.

Ele disse que não teria dito nada direcionado ao vereador e que, portanto o relato do vereador lhe causou estranheza. Luiz Roberto havia comentado de uma maneira generalizada, que embates entre pessoas podem causar animosidades, que podem chegar a situações mais críticas e que de uma maneira em geral, uma cidade pequena como Três Pontas, poderia se manter sem tantos atritos.

COMPARTILHAR

Comentários