O vereador José Geraldo Prado “Coelho do Bar” (PSD), radicalizou na sessão ordinária da Câmara Municipal de Três Pontas, na sessão desta segunda-feira (29). Ele usou um esparadrapo, como uma espécie de mordaça na boca, para demonstrar que o Poder Executivo está insatisfeito com as cobranças que ele tem feito. Durante três minutos, Coelho permaneceu de pé, em frente ao microfone da Tribuna em silêncio e nos dois minutos restantes, falou seus motivos. Em demonstração de apoio, Érik dos Reis Roberto (PSDB), Sérgio Eugênio Silva (PPS) e Marlene Lima Oliveira (PDT), ficaram de pé.

Mesmo sendo da base aliada do prefeito Dr. Luiz Roberto Laurindo Dias (PSD), Coelho disse que elogia quando precisa, reconhece o que está sendo feito, mas deixa de criticar quando erra. Seu posicionamento tem incomodado o Governo Municipal e pessoas do alto escalão da Administração disseram que ele está errado, mas seu compromisso é defender a população, o que não vai deixar de fazer, independente de quem seja o prefeito. “A irritação da base é dos puxa sacos do governo que estão ali, esperando uma cadeira para ocuparem. Tem hora que a união com eles fica difícil”, ressaltou.

O problema teria sido a reclamação que Coelho fez em reportagem divulgada pela Equipe Positiva, sobre a reforma da Praça dos Municípios na semana passada. Moradores questionaram a retirada de um canteiro central da Praça. “Não sou contra obra nenhuma. Mas quando a gente se depara com uma Praça que foi revitalizada, os bancos foram trocados e mexem novamente, mas ao mesmo tempo dizem que a Secretaria de Obras está sem dinheiro não dá para entender”, lamentou o legislador, justificando que foram os moradores que chamaram alguns vereadores sem entender o que estava acontecendo.

Durante o Grande Expediente, Coelho voltou no assunto e leu uma carta que recebeu de uma família que reside na Rua Bárbara Mendes no bairro Santa Margarida. Enquanto destrói o que está pronto, a Secretaria de Transportes e Obras deveria resolver um problema antigo dos moradores desta via. Toda vez que chove a água fica empossada na rua e invade algumas residências. Uma delas é de uma família que tem um cadeirante.

O vereador Sérgio Eugênio Silva (PPS), ficou surpreso com o comportamento de Coelho, mas demonstrou apoio ao colega. Sérgio também publicou em uma rede social sua opinião sobre a Praça dos Municípios e a postagem deu o que falar. Serjão falou que algumas pessoas postam textos com palavras bonitas, mas não conseguem se expressar.

Roberto Donizetti Cardoso (PP), revelou que está faltando pneus para atender a todos os veículos da Prefeitura, por isto, o jeito é tirar de um para colocar em outro. Um pneu de um veículo tipo caçamba foi retirado e colocado em outro que faz a coleta de lixo. O mesmo aconteceu com a Van Odontológica que está parada por que o pneu dela foi instalado em uma Van que faz viagens para Varginha. Robertinho também reclamou da situação do Centro Odontológico. As janelas estão escoradas com madeira e as portas estão quebradas. Ele esteve lá e soube inclusive que um vereador chutou a porta que está estragada.

Érik dos Reis parabenizou pela colocação de manilhas entre os bairros Jardim das Acácias e Jardim Primavera, ligando as duas comunidades, atendendo reivindicação antiga. A crítica dele foi quanto a plantação de árvores no trevo “Padre Victor” de Três Pontas. Érik quer saber quem autorizou a plantação das árvores em um trevo, se é preciso autorização do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (Deer/MG). Ele pediu o envio de ofício por parte do secretário de Transportes e Obras.

Marlene Oliveira quer o envio de ofício à Vigilância a Vigilância para reclamar sobre animais que estão percorrendo os bairros Ouro Verde. São cavalos, bois e vacas que atrapalham os moradores e deixam motoristas em risco de acidentes.

Incentivo a industrialização passa, mas com ressalvas

Não passou despercebido pelo vereador Roberto Cardoso (PP), a autorização que o Poder Executivo pediu através de um Projeto de Lei, que autoriza o Município a alocar através de processo licitatório, um imóvel de 1,5 mil metros quadrados durante pelo menos dois anos, no valor de R$2,8 mil mês, para empresa que se comprometer a gerar 8 empregos imediatamente e mais 4 no segundo ano, totalizando 12 empregos. Robertinho adiantou ter vergonha de dizer que está chegando uma fábrica na cidade, porque neste caso, deve ser apenas uma família que será empregada. Ele não acredita que haverá a contratação nem destes oito e é muito pouco diante das promessas que fizeram durante a campanha eleitoral. Robertinho votou favorável e o projeto passou por unanimidade.

Mais uma derrota

O Executivo não para de sofrer derrotas em votações na Câmara. Nesta segunda-feira, o desbarato foi a derrubada ao Veto apresentado contra o projeto do vereador Érik dos Reis Roberto (PSDB), que determinava o Município a publicar no Portal Transparência, o estoque de medicamentos e insumos que são fornecidos na Farmácia Municipal. As alegações apontadas para o Veto, é que o projeto é um vício de iniciativa e poderia somente ser feito pelo Executivo, uma vez que seria preciso contratar mais servidores para fazer o serviço. O projeto havia sido aprovado por unanimidade no dia 24 de abril deste ano. O Veto foi derrubado sendo favoráveis apenas, Benício Baldansi, Maycon Machado e Antônio do Lázaro.

O último a votar foi uma abertura de crédito especial, no valor de R$98 mil para a Secretaria Municipal de Assistência Social. Os recursos estariam sendo anulados nas secretarias de Assistência Social e Administração e Recursos Humanos. O projeto foi aprovado.

COMPARTILHAR

Comentários