Alguns vereadores ficaram preocupados em destinar recursos para cuidar dos animais e não socorrer o Hospital São Francisco de Assis de Três Pontas, que enfrenta problemas pontuais de falta de recursos. Mesmo assim, na sessão ordinária desta segunda-feira (26), o Plenário acabou aprovando o aumento no valor da subvenção destinada à Associação Trespontana de Proteção Animal, que era de R$18 mil ano para R$28 mil.

Ninguém falou ser contra, porém, a bancada da oposição com exceção do vereador Sérgio Eugênio Silva (PPS), alertou que o momento não é oportuno, apesar dos esforços do vereador Professor Popó, que é na Câmara o defensor dos animais e assume uma grande responsabilidade na questão do recolhimento dos cães abandonados. Ele mesmo explicou que o dinheiro será investido na continuidade das castrações que tem sido feita em média 60 procedimentos mensais. Mesmo com o crescimento no repasse, Popó afirmou que a economia do Município é grande, pois é ele quem deveria assumir através da Vigilância Sanitária, todo o serviço feito pela ONG, que é parceira desde o mandato passado. “A ONG tem suas prestações de contas todas em dia e aprovadas”, orientou os colegas, acrescentando que cuidar dos animais é também tratar da saúde pública.

Na opinião do vereador Roberto Donizetti Cardoso (PP), apesar de gostar dos animais e achar a iniciativa louvável, é preciso primeiro cuidar das pessoas antecipando que não votaria favorável.

A vereadora Marlene Lima Oliveira (PDT), tem o pensamento parecido e seguiu o raciocínio de Robertinho. Além disso, noticiou que o dinheiro está sendo retirado da da Secretaria Municipal de Cultura, Lazer e Turismo, da Associação dos Músicos de Três Pontas.

“Urgente é investir na saúde financeira da Santa Casa, que não pagou ainda o 13º salário dos seus 280 colaboradores”. Assim começou Érik dos Reis Roberto (PSDB), que não acha louvável a iniciativa neste momento, e na visão dele, os R$10 mil deveria ser aplicado na Santa Casa que poderia pagar por exemplo, 10 funcionários que ganham R$1 mil.

Sobre o repasse dos R$100 mil que a Câmara devolveu para beneficiar o Hospital, Érik chamou a atenção para os procedimentos legais para que isto se concretize, que é aprovando um projeto de lei no Poder Legislativo. Mas, além dos R$100 mil é preciso somar a ele mais R$22 mil que a Santa Casa pagou de medicamentos para a Prefeitura, por causa de uma determinação judicial que a Secretaria Municipal de Saúde teve que cumprir. “O momento é de emergência, que é de salvar a Santa Casa”, repetiu. Sobre isto, José Geraldo Prado (PSD) “Coelho”, ressaltou que o dinheiro havia sido repassado sim, porém, gasto com o pagamento de médicos no Pronto Atendimento Municipal (PAM). Ele mesmo esteve na Prefeitura após conceder entrevista à Equipe Positiva  na semana passada e no fim do dia, o caso foi solucionado e um novo repasse será feito.

Antônio do Lázaro voltou a criticar a Escola do Legislativo

Para defender seu voto favorável, o vereador Antônio Carlos de Lima (PSD), líder do prefeito na Câmara, criticou veemente a Escola do Legislativo. Com o convite da Plenária Municipal do Parlamento Jovem que acontece nesta quinta-feira (29) em mãos, criticou que este sim é um investimento vergonhoso. No Orçamento da Câmara estão disponíveis R$50 mil, mas para Antônio do Lázaro, este é um dinheiro jogado fora, porque as ações desenvolvidas não vão mudar a cabeça dos jovens, “gastando com bobeiras”, opinou o vereador.

O único da oposição a votar com a base do Executivo, foi Sérgio Eugênio Silva (PPS), que pediu um carinho especial da Administração com outras entidades, como a Vila Vicentina, os “Anjos da Vida” Socorristas Voluntários e tantas outras que precisam de amparo. Ele discordou do colega de bancada sobre a Escola do Legislativo. Serjão saiu em defesa da ex vereadora Valéria Evangelista (PPS) que lutou para implantar o projeto em Três Pontas, sem pensar em votos e registrou que falam do Orçamento da Escola, mas se esquecem dos R$130 mil que os vereadores tem disponíveis para gastar com diárias.

Antes de colocar em votação, o presidente Luis Carlos da Silva (PPS), deixou claro que o projeto que criou a Escola do Legislativo e o Parlamento foi aprovado em 2014 por unanimidade. Luisinho avisou que enquanto for presidente, o projeto seguirá e apesar do valor orçado, em 2016, nada foi gasto com a Escola, que busca ensinar aos jovens a forma certa, honesta e correta de se fazer política, capaz de transformar o futuro do país.

Em votação, por 5 votos a 4 os vereadores aprovaram o projeto da ONG. Mantiveram os votos contrários anunciados em seus discursos, Érik, Robertinho e Marlene.

A pedido do vice presidente Donizetti Benício Baldansi (PSL), o Plenário acatou a inclusão do projeto que autoriza o Município a permutar um terreno no bairro São Benedito, com área de 275m², com frente para a Avenida Senador Josino de Brito, com um imóvel residencial com área construída de 94,56 m² que fica na Rua Professora Judith Corrêa Dias. Segundo os vereadores, havia na Casa um projeto que pedia a troca da casa por dois terrenos da Prefeitura. Depois de ser analisado por uma das Comissões, o Executivo pediu a retirada e agora mandou uma nova proposta com apenas um terreno. A oposição destacou que este é um trabalho que demonstra que eles estão preocupados com o bem público e que não tem a intenção de travar nada, porém, analisa com critérios e procura ajudar o Poder Executivo. A troca foi aprovada por unanimidade.

Socorristas Voluntários voltaram a assistir as sessões da Câmara

Afastado por problemas de saúde, Maycon Machado parabeniza gestores e convida para Plenária

Vários vereadores comentaram as inaugurações do Centro de Pediatria Dr. Glimaldo Paiva no bairro Jardim Paraíso e do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS 2), Darcy Ribeiro no Complexo Randal Diniz no bairro Padre Vitor, realizadas na semana passada.

As obras são frutos de várias administrações. O Centro Catavento que leva o nome do ex prefeito, foi sonhado por ele e foi o próprio gestor que conseguiu recursos para a obra, iniciada por sua vice prefeita Luciana Mendonça, em 2009, quando Glimaldo faleceu. A conclusão foi feita por Paulo Luis e inaugurada por Dr. Luis Roberto que colocou a unidade para funcionar e atender crianças de 0 a 14 anos, de 8:00 da manhã as 20:00 horas.

A base, como o vereador Coelho registrou a satisfação do atual prefeito e chamou a atenção ao dizer que havia uma nuvem negra sobre Três Pontas, se referindo ao mandato do ex-prefeito Paulo Luis, a quem atribui uma gestão que não fez nada. A oposição fez justiça, destacando todos aqueles deram a sua contribuição. Érik dos Reis lembrou que quando foi vice prefeito, entre 2013/2016 foi preciso trabalhar junto ao Tribunal de Contas do Estado e de autorização da Secretaria de Estado de Saúde para terminar o Catavento, já que a ex prefeita Luciana havia feito uma Tomada de Contas Especial para apurar irregularidades. Assim que foi dada a permissão foi preciso inclusive investir recurso próprio para construir o muro já que não havia no projeto inicial.

O vereador secretário da Mesa Diretora Maycon Douglas Machado (PDT) está afastado por causa de problemas de saúde. A sua colega Marlene Lima foi quem usou o Pequeno Expediente para falar em seu nome. Além do atual prefeito Luiz Roberto, ele compartilhou as felicitações com as administrações anteriores que estiveram envolvidas nestas obras, em especial Paulo Luis que se empenhou.

Em seu nome, Marlene fez um convite para a Plenária Municipal do Parlamento Jovem 2017, cujo tema é “Política nas Escolas”, que acontece nesta quinta-feira (29), as 18:30 no Plenário da Câmara. Presidente da Escola do Legislativo, Maycon informou que foram várias semanas de estudo, preparo e muita dedicação para esse momento tão especial e importante para os jovens parlamentares da cidade, onde eles irão apresentar as propostas que serão levadas para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Vereadores Flavão, Sérgio e Érik

Adriene buscava harmonia entre os Poderes

O vereador Roberto Donizetti Cardoso (PP), ressaltou que ficou feliz, mas estranhou a notícia de que há 22 empresas interessadas em se instalar em Três Pontas. Ainda mais que a informação teria sido dada pelo secretário de Indústria e Comércio Sebastião de Fátima Cardoso que é seu irmão e a quem confia.

Porém, um diferencial de quando Robertinho cumpria seu primeiro mandato, é que a ex prefeita Adriene Barbosa de Faria Andrade, fazia questão de reunir os vereadores, que participam ativamente das negociações. Eles inclusive montavam uma comitiva e iam conhecer as fábricas que estão em negociação com o Município. Segundo Robertinho, foi assim com a fábrica de brinquedos Estrela e a indústria de confecção Tecnotêxtil. A sugestão dele, é que o atual prefeito siga o exemplo e consiga harmonia entre os poderes.

COMPARTILHAR

Comentários